4 novas séries que ando a ver

Posted on

Ando feita uma papa-séries, mas também… o Inverno não pede isso mesmo? Chá quente, mantas, gatos e uma noite de Netflix? Para mim é cada vez mais o programa ideal para uma noite de Inverno. Eu sempre segui séries, mas ultimamente tenho feito novas descobertas e, com elas, adicionado mais séries à minha já longa lista. Estas são as minhas novas descobertas que passei a seguir religiosamente e das quais já não prescindo.

The Good Place

Esta série foi uma das minhas melhores descobertas do final do ano passado. The Good Place é o oposto do The Bad Place, ambos lugares para onde podemos ir depois da nossa inevitável morte.
A série começa com Eleanor Shellstrop (Kristen Bell) a chegar ao The Good Place, onde a espera o enigmático Michael (Ted Danson) que lhe vai explicar como funciona a vida depois da morte naquele lugar encantador e aparentemente perfeito.
O problema é que Eleanor é completamente imoral e foi bastante má pessoa enquanto era viva, pelo que percebe imediatamente que algum erro foi cometido e que ela não deveria estar no The Good Place.

Neste momento estou a acompanhar a segunda temporada da série, que voltou agora em Janeiro, e as coisas já deram tantas, mas tantas voltas que esta sinopse me parece redutora. Sem avançar muito mais, digo-vos apenas que esta é das séries mais bem escritas dos últimos tempos. Praticamente todos os episódios parecem resultar de uma aula intensa de escrita criativa. É simplesmente incrível e perfeita para ver à noite, depois de um dia cansativo de trabalho, pois os episódios são pequenos, divertidos e leves, algo de valor tendo em conta que a temática da série é a vida depois da morte.

Crazy Ex-Girlfriend

Não conheço mais ninguém que veja esta série, por isso se há por aí fãs de Crazy Ex-Girlfriend… acusem-se! A minha experiência com esta série é muito solitária e preciso de ajuda a explicar o quão maravilhosa ela é!
Bem, vou tentar.

A série começa com Rebecca Bunch (Rachel Bloom, actriz principal e criadora da série, com Aline Brosh McKenna), uma advogada de sucesso que estudou em Harvard e Yale e que trabalha num escritório de advogados em Nova Iorque. Um dia, durante um ataque de ansiedade face a uma iminente promoção no trabalho, “esbarra” contra Josh Chan, um ex-namorado com quem tem uma história mal resolvida.
Literalmente um minuto depois do encontro, Rebecca decidi mudar-se para onde Josh vive: West Covina, California. Nada louca… aliás, por alguma razão a série chama-se Crazy Ex-Girlfriend.
Pelo caminho, há muita cantoria (adoro musicais!), loucuras e personagens engraçadas e super bem construídas com quem estabelecemos logo uma ligação enquanto espectadores.

A parte mais gira de tudo é o facto de começarmos (ou serei só eu?) a torcer pela Rebecca quando sabemos que ela é completamente desvairada.
Neste momento a série vai na sua 3ª temporada.

 The end of the f ** king world

Estive quase para não incluir esta série nesta lista, porque já não é uma série que “ando a ver”, mas sim uma série que vi numa semana. Mas calma: antes de acharem que sou doente, eu explico: só há oito episódios e cada um tem pouco mais de vinte minutos, por isso vê-se muito bem. Ainda por cima os episódios são leves, interessantes e muito pouco parados, apesar da série se centrar maioritariamente em duas personagens: James (Alex Lawther) e Alyssa (Jessica Barden).

The End of the F**king World (o título original é mesmo assim, censurado) é a história de James, que acredita ser um psicopata e que tem um desejo obsessivo de matar alguém. James conhece Alyssa, uma rapariga estranha e rebelde, que rapidamente decide matar, mas tudo se complica quando esta convida James para fugirem juntos às suas vidas familiares difíceis. A dinâmica entre ambos é engraçadíssima e – sozinha – conseguiria transportar a série na boa. Quem também entra nesta série é a actriz que faz de Yara Greyjoy no Game of Thrones (Gemma Whelan) e que é uma agente da polícia encarregue de encontrar os fugitivos depois de algo correr muito mal durante a sua fuga.

Não vou aprimorar muito esta sinopse, até porque a história é muito simples; aqui o que ganha são mesmo as personagens, a sua dinâmica e o humor negro, como uma boa série de comédia britânica deve ter.

Dark

Das séries desta lista é a que comecei a ver mais recentemente, até porque só foi lançada no dia 1 de Dezembro de 2017. A série é alemã, mas mantenham uma mente aberta, por favor; nem todas as séries boas são americanas ou britânicas.

A história de ‘Dark’ passa-se na vila alemã de Winden, onde começam a desaparecer crianças em circunstâncias misteriosas. À medida que se vão investigando os desaparecimentos, vêm à luz as relações fracturadas de quatro famílias de Winden, bem como os seus segredos mais íntimos e negros. A unir as famílias há um mistério por resolver que abrange três gerações.

O ‘mood’ geral da série é assim mesmo: escuro, misterioso, para lá de creepy e até assustador. O suspense está lá do início ao fim dos episódios. Em termos de ritmo não é a série mais célere de sempre, mas sendo de suspense acho mesmo que o ritmo mais lento faz todo o sentido e que contribui para o sucesso da série em fazer os seus espectadores sentirem-se parte da história e dos crimes não resolvidos.

Outras séries que acompanho

Estas três são séries novas que comecei a ver recentemente, mas isso não quer dizer que tenha deixados as minhas séries de sempre de lado. Oh não, pelo contrário! O Netflix já tem – finalmente – a temporada 4 de Black Sails, pelo que estou agora a vê-la lá. Estava à espera que o Netflix tivesse esta última temporada de Black Sails para ver tudo seguido.
Depois, continuo também a acompanhar a minha série favorita: Vikings. Esta última não vejo no Netflix (porque não há, pelo menos ainda), mas sim na televisão, no canal TVSéries. Claro que também está disponível naqueles sites que todos sabemos, mas vejo um por semana na tv para racionar, até porque esta série só dá uma vez por ano e depois a espera pela próxima temporada demora um ano. :/ Triste, eu sei.

Se gostam deste tipo de séries como Black Sails e Vikings, vejam esta minha lista de séries para quem gosta de História. 🙂

Para além destas séries, também acabei recentemente de ver a 4ª temporada de Black Mirror, que foi simplesmente fantástica!

E vocês, seguem alguma das séries que mencionei neste post? O que acham das novas?

4 Comments

  1. RITA says:

    Só vi 2 episodios de Crazy Ex Girlfriend e acho divertidissimo! Foi-me recomendado por uma amiga minha q está viciada. Confesso que o tema do musical ainda não entrou em mim mas espero ver mais episódio para ver se gosto mesmo!

    1. Catarina Alves de Sousa says:

      Ohh, que bom saber! Ahh, mas as músicas são de morrer a rir, por isso até encaixam bem. 🙂
      Sim, dá-lhe mais umas oportunidades. És bem capaz de gostar. Eu afeiçoei-me mesmo às personagens!

  2. Joaninha says:

    Ora… Já comecei a ver The End Of The F**king World e realmente é incrível. Amanhã devo acabar, mas, para já estou fascinada: a imagem é mesmo boa, os diálogos são super engraçados e o sotaque aprimora tudo, a ideia por trás está sarcasticamente hilariante.
    Quanto às restantes, fiquei especialmente interessada na 1a, porque, adoro a Kirsten Bell enquanto artista, mesmo, acho que ela representa sempre de forma muito elegante as personagens que lhe atribuem.
    Um beijinho e boas séries eheh

  3. Rita says:

    Das 4 não vejo nenhuma 🙂

    the-choice-26.blogspot.pt/

Leave a comment

Your email address will not be published.

CommentLuv badge