6 vantagens de ter um namorado gamer

Posted on

Os gamers têm má fama. Quando pensamos num gamer imaginamos alguém agarrado a um comando (ou rato/teclado), fechado no escuro a jogar horas e horas a fio. E não é mentira nenhuma. No entanto, namorar um gamer tem os seus benefícios. Eu que o diga*.
Não acreditam? Eu dou-vos seis vantagens em namorar um gamer.

1. Ele compreende a dedicação que tens pelos teus hobbies

Se são obcecados por alguma coisa, por mais diferente que seja do mundo dos videojogos, ele entende. Pode não se relacionar com o vosso hobby, mas nunca vai achar parvo o facto de se dedicarem tão intensamente a algo. Ah, e um verdadeiro gamer nunca julgará o vosso hobby como parvo ou inútil. Também era só o que faltava.

2. É fácil saber o que lhe oferecer nos anos e no Natal

Pfff, esta é óbvia. Se tiverem olhinhos na cara saberão sempre o que oferecer a um gamer. Se estiverem com dúvidas entre dois jogos, comandos ou acessórios, perguntem aos amigos nerds gamers dele.

3. Nunca está aborrecido sem nada para fazer

Um gamer saudável é aquele que tem vários hobbies para além de jogar, deixemos isso já assente. Então se ele tiver também um hobby que inclui uma actividade física qualquer, perdemos um bocado a motivação para mandar vir com ele por ficar tantas horas a jogar. Mas mesmo que o vosso gamer só tenha o jogo como hobby, ele – mesmo assim e inexplicavelmente – nunca se vai aborrecer porque há uma infinidade de jogos que ele não conhece nem nunca vai conhecer.

4. É independente

Com isto quero dizer que o vosso gamer não vai ser lapa e estar convosco em todo o lado nem vai querer só fazer coisas com vocês. É verdade que, por vezes, queremos atenção, mas acho que ninguém quer assim tanta atenção. Com um gamer, vão sempre ter o vosso espaço e o vosso tempo para estarem sozinhos ou a fazer algo de que só vocês (e não ele) gostam. O mundo é o vosso palco enquanto o vosso gamer joga.

5. Faz-te sentir bem-sucedida

Não sei muito bem como explicar o que quero dizer com isto sem parecer um bocadinho mázinha, mas quando o meu gamer joga cartinhas Magic ou jogos de tiros, sinto-me menos mal quando não sou muito produtiva e me sinto demasiado cansada para escrever, preparar posts ou enviar e responder a emails, à noite, depois do trabalho quando tempo tempo de trabalhar nas minhas coisas extra-emprego (como o Bloggers Camp). Sinto-me ligeiramente má a dizer isto, porque por menos que faça – desde que faça alguma coisa – sempre é mais produtivo do que matar pessoas a fingir. Ahahahah

6. Não se leva demasiado a sério

Excepto quando perde. Isso não é óptimo? Em relação a este e ao ponto anterior, enquanto nós stressamos com coisas mais sérias, o nosso gamer mostra-nos que há mais vida para além disto! Aliás, há literalmente mais vidas, mais planetas e mais realidades alternativas. Quer gostem de jogar, que não, têm que admitir que a ideia de nos perdermos noutros mundos, ainda que virtualmente, pode parecer bastante sedutora quando o nosso parece estar a desmoronar. Ou quando somos drama queens (como a je) e só têm um dia mau.

Conclusão

Tive a ideia de escrever este post não apenas por ter um namorado gamer, mas porque me lembrei das minhas amigas solteiras que descartam, muitas vezes, a hipótese de namorar um homem que tenha como interesse jogar jogos. Eu entendo-as. Nunca tendo travado conhecimento com esta espécie, a ideia de virem a viver com um indivíduo destes parece quase assustadora e só conseguem imaginá-lo no seu habitat cliché que é numa sala escura de comando na mão e olhar esgazeado, colado à televisão ou monitor.
Mas não tem que ser assim, aliás, nem sempre é assim. O gaming é um hobby como qualquer outro, meninas! Se calhar também temos interesses que eles acham totalmente descabidos, mas nunca o dizem, porque o deles é pior eles também têm um e que, por sinal, lhes ocupa bastante tempo.

Pronto, eu também sou suspeita porque já fui um bocadinho gamer e não foi assim há tanto tempo quanto isso. Depois de escrever este post sobre os meus 10 videogames favoritos de sempre, platinei o Skyrim. Isto sim é um achievement. Mas, com isso, penso que acabou essa parte da minha vida. Se eu for gamer agora não há cá livros nem Bloggers Camp (pelo menos com a minha colaboração) nem blog nem nada, por isso… deixai-me estar como estou.

Mas… e vocês? Também descartam completamente os gamers da vossa vida ou também têm os vossos próprios gamers?

* Reler este post quando o meu namorado me estiver a irritar a jogar CS enquanto espero por ele para vermos um filme ou série.

1 Comments

  1. Ana Teles says:

    Tive um namorado gamer e, como tal, concordo com tudo. 🙂
    Eu de jogos, só me dediquei ao Second Life e nem é mesmo um jogo, mas sim uma realidade alternativa.


    Ana Teles recently posted…cinema | Upside Down (2012)My Profile

Leave a comment

Your email address will not be published.

CommentLuv badge