mejores doctores en América Dapoxetina elección de plan de seguro médico
3 In Irlanda/ travel

Dublin em menos de 48 horas

À semelhança da minha passagem por Edimburgo, em 2015, a minha visita a Dublin também foi curta. Curta, mas muito produtiva em termos de visitas a pontos de interesse que estavam na nossa lista. Se vão ou estão a planear ir a Dublin nos próximos tempos, vejam o que conseguem ver e fazer em menos de 48h e os preços de entrada em vários destes locais!

Claro que os interesses variam de viajante para viajante, mas nós (eu e ele) decidimos visitar estes locais e não nos arrependemos! Ainda assim, tenho um ou dois conselhos para vos dar. 😉

Trinity College – Book of Kells & Old Library

A visita à Trinity College é absolutamente obrigatória para amantes de História, de Literatura e de Bibliotecas lindas. Sobre a biblioteca da Trinity College já falei aqui, se quiserem ver em mais pormenor.
A grande atracção desta visita é, sem dúvida, o Book of Kells, um Evangelho do Novo Testamento ilustrado de uma forma lindíssima e à mão, como se fazia na época, cujo trabalho remonta ao séc. VIII d.C.

Preços:

Visita guiada: 13€
Visita não guiada: 10€

Horário:

Seg. a Sáb: 08:30 – 17:00 (Maio a Setembro) | 09:30 – 17:00 (Outubro a Abril)
Domingos: 09:30 – 17:00 Maio a Setembro) | 12:00 – 16:30 (Outubro a Abril)

National Museum of Ireland – Archeology

Ao contrário do National Museum of Edinburgh, o de Dublin está dividido em vários edifícios com diferentes áreas: Arqueologia, a de História e Artes Decorativas, Country Life e História Natural.
Nós acabámos por visitar o núcleo de Arqueologia por duas razões: ficava perto da universidade, o primeiro local que visitámos no único dia completo que passámos em Dublin, e porque sabíamos que íamos encontrar vários vestígios Viking, algo que também encontrei no National Museum of Edinburgh. Vocês sabem que eu adoro este povo. 😀
O Museu de Arqueologia em si, já nem falando nas exposições, é absolutamente LINDO. Não consegui parar de fotografar os pormenores: as grades, as portes, a madeira trabalhada, as padrões,… É um verdadeiro festim para os olhos, acreditem.

Preço: grátis.

Horário:

De terça a sábado: 10:00 – 17:00
Domingos: 14:00 – 17:00

Secret Book and Record Shop

Esta loja já estava na minha lista de coisas que queria visitar em Dublin, mas juntou-se o útil ao agradável e calhou ficar em caminho, após as duas visitas anteriores! Tudo a correr bem neste dia. 🙂
Escrevi em detalhe sobre esta loja magnífica neste post. É absolutamente imperdível para amante de livros e vinis!

Horário: das 11:00 às 18:30

Dublin Castle

Confesso que não me animei muito com as fotos que vi do castelo de Dublin. De novo, odeio estar a comparar, mas o de Edimburgo é tão fantástico e memorável, que este me pareceu mais… meh. Para além disso, como tínhamos muita coisa para ver e pouco tempo, optámos apenas por conhecê-lo por fora.

Preço: 4,50€ (adultos), 2,00€ (crianças)

Horário:

De segunda a sexta das 10:00 às 16:00.

Christ Church

E chegámos à parte religiosa da nossa visita a Dublin. Começámos pela Christ Church, que ficava a caminho da nossa rota turística a pé pela cidade.

A Christ Church é a mais antiga das duas catedrais de Dublin, sendo a outra a célebre St. Patrick’s Cathedral. Foi construída em 1038 pelo rei Sitric Silkenbeard, o rei viking, em Dublin.

Pode ser coincidência ou não, mas o Dublinia (o museu da cultura Viking in Dublin) localiza-se mesmo ao lado desta catedral.

A catedral e si é linda por fora e não desilude por dentro. A arquitectura e decoração são simples (estilo gótico/românico), despojado (para aquilo a que estamos habituados por terras lusas) e muito sóbrio. Não há cá talhas douradas ou grandes trabalhos e pinturas. De facto, a decoração mais “complexa” são mesmo os vitrais, algo muito comum nas igrejas irlandesas deste estilo e período.

Já na parte de baixo da catedral, na cripta, as coisas mudam de figura. Lá, encontram-se túmulos sumptuosos e muito trabalhados, em pedra, muitos deles mandados construir pelas famílias abastadas dos falecidos. Havia também uma pequena exposição de vestidos medievais, supostamente usados por actrizes e actores da série The Tudors (que eu amava!!), que teve algumas cenas filmadas nesta catedral.

Outro ponto de interesse é o “quadro” do gato e do rato mumificados “The cat & the rat”, que foram encontrados num tubo do órgão da Christ Church. Ambos são mencionados na obra Finnegans Wake, de James Joyce:

“… as stuck as that cat to that mouse in that tube of that Christchurch organ…”


Preço
: 6,50€ (adultos), 2,50€ (crianças com menos de 16 anos)

Horário:

Seg. a Sáb: 09:30 – 18:00 (Março e Outubro) | 09:30 – 19:00 (Abril a Setembro) | 09:30 – 17:00 (Novembro a Fevereiro)
Domingos: 12:30 – 14:00 / 16:30 – 18:00  (Março e Outubro) | 12:00 – 14:30 / 16:30 – 19:00 (Abril a Setembro) | 12:30 – 14:30 (Novembro a Fevereiro)

St. Patrick’s Cathedral

Esta catedral é a outra das catedrais medievais de Dublin, fundada em 1191, sendo também a Catedral Nacional da Igreja da Irlanda (National Cathedral of the Church of Ireland). Com quarenta e três metros de altura, é a igreja mais alta  – e maior – da Irlanda.

O estilo é, à semelhança do da Christ Church, gótico, bem simples de linhas e decoração, mantendo os vitrais maravilhosos que caracterizam as igrejas irlandesas.

Em termos de visita, bem… depois da Christ Church, francamente não me fascinou muito. Não fiquei deslumbrada. Não sei se foi da cripta ou da ligação à série The Tudors, mas gostei muito mais da catedral anterior. Não que não se deva visitar as duas, mas – um conselho de amiga – se estão a viajar com pouco tempo e não querem gastar ainda mais dinheiro do que o necessário, optem por uma.

Preço6,50€ (adulto)

Horário:

Seg. a Sexta: 09:30 – 17:00 (Março a Outubro) | 09:30 – 17:00 (Novembro a Fevereiro)
Sábados: 09:00 – 18:00 (Março a Outubro) | 09:30 – 17:00 (Novembro a Fevereiro)
Domingos: 09:00 – 10:30 | 12:30 – 14:30 | 16:30 – 18:00 (Maio a Setembro)
09:00 – 10:30 | 12:30 – 14:30 (Novembro a Fevereiro)

St. Stephen’s Green

O St. Stephen’s Green é um parquezinho muito verde e agradável no coração de Dublin. É grátis, como a maioria dos espaços verdes o são, e uma espécie de oásis de tranquilidade numa cidade tão movimentada e enérgica como Dublin. Adorei passar por este parque e senti que, se vivesse em Dublin, seria lá que passaria muito do meu tempo a ler e a andar de bicicleta.

Preço: grátis

Horário:

Segunda a Sábado: 7.30  – anoitecer
Domingos e feriados: 9.30  – anoitecer
Dia de Natal: 10:00 – 13:00

Oscar Wilde’s statue

Este é somente um ponto de interesse, não é um sítio de “entrar e visitar”, mas os verdadeiros admiradores do escritor irlandês, quererão certamente ver ao vivo a estátua dedicada ao escritor. Nós fizemos questão, ou não fosse Oscar Wilde um dos meus escritores favoritos desde que me lembro de ler livros “a sério”.

Preço: grátis

Horário:

Localizando-se dentro do Merrion Square Park, há horários a respeitar, pois o parque também fecha.

De segunda a sexta: 07:30 – 17:00
Sábados e domingos: 09:30 – 17:00

Walk around

Ter um plano delineado que traçamos no conforto do nosso lar e na companhia dos nossos travel buddies (ou travel buddy, no meu caso) é sempre uma boa ideia para rentabilizar o tempo de que dispomos para ver uma cidade. Porém, nunca é má ideia reservar um tempinho para andar sem rumo certo pelas ruas da cidade. É assim que se encontram as coisas mais engraçadas, memoráveis e inesperadas, muitas delas que não vamos encontrar em nenhum guia turístico.

Go to a pub

Mas quem é que vai à Escócia ou à Irlanda sem ir – pelo menos – a um pub? Not this girl! Tal como em Edimburgo (que amei), fizemos questão de ir conhecer alguns pubs verdadeiramente irlandeses, que os que temos por cá são muito giros e tal, mas nós queríamos a experiência “real” de um pub irlandês.

O pub mais conhecido e turístico de Dublin é o Temple Bar, mas pelo facto de estar sempre cheio e ter os preços inflaccionados, decidimos explorar outros, como o The Bleeding Horse, um dos nossos favoritos durante o nosso tempo e Dublin.

Adoro comida típica de pubs escoceses e irlandeses, já agora. Estufados com Guinness, puré, molho, legumes a acompanhar, yummm….

Mas acho que vou dedicar um post só para a comida escocesa e irlandesa mais tarde, porque há muito para falar (e para vos mostrar) sobre o assunto!

A nossa viagem a Dublin foi, como todas as que fazemos, inesquecíveis. Apesar da capital da República da Irlanda nos ter brindado, à chegada, com um tempo terrível, proporcionou-nos um dia fantástico, até com algum sol, em que pudemos explorar quase tudo o que queríamos com o tempo que tínhamos.

Este será o último post sobre Dublin aqui no blog, mas não será a minha última visita a esta cidade maravilhosa, até porque ficou muita coisa por explorar à volta e mais longe, mas a partir de Dublin. Falo das Wicklow Mountains e das excursões à Irlanda do Norte, que ficam como desejos ardentes na minha bucket list de viagens. 🙂

Espero que tenham gostado!

Já agora, contam ir a Dublin em breve? Já foram? O que acharam desta cidade e do que é que mais gostaram?

You Might Also Like

3 Comments

  • Reply
    Sara Cabido
    17/01/2017 at 7:02 PM

    Minha Catarina linda, nem imaginas a sensação boa com que fiquei depois de ler este teu post! Que saudades, que nostalgia… Confesso que ainda não consegui ler os outros artigos de Dublin (já os abri noutros separadores agorinha mesmo) mas este post em questão era tudo aquilo que queria ter lido antes de ter visitado a cidade! Já vi que aquela loja secreta linda me passou completamente ao lado — agora só me apetece voltar lá e relembrar tudo! Obrigada pela tua dedicação e fotografias lindas 🙂 amei!

    Um beijinho enorme*

  • Reply
    Marta Chan
    18/01/2017 at 10:01 AM

    Uau vocês fizeram bem mais do que nós em quatro dias! Mas ja vinhamos de uma road trip de uma semana pelas highlands e estavsmos esgotados, passamos muito tempo em bares hehe adorava ter ido a biblioteca e à lojinha.
    Quero ver esse post das wicklow mountains, lindo não é? Nos fizemos a parte de baixo e foi um passeio tão bonito 💜
    Tambem quero muito ir ao Norte da Irlanda ainda este ano, mas nada de excursões, é pegar num carro et voila! 😀

  • Reply
    Catarina Gralha
    20/01/2017 at 6:53 PM

    Fiquei com muita curiosidade em relação à Christ Church e à St. Patrick’s Cathedral, pela simples razão de que sou uma apaixonada por vitrais. Há alguns que são autênticas obras de arte, e adoro a forma como a luz faz as suas cores serem realçadas. Sem dúvida que ida a um pub é obrigatória!
    Catarina Gralha recently posted…Roteiro de 4 dias em São Petersburgo, na RússiaMy Profile

  • Leave a Reply

    CommentLuv badge