Halloween 2014 – As Histórias de Terror do Navio Negro (Book Review)

Posted on

Se já me seguem há algum tempo ou se me conhecem, poderão já ter reparado que sinto um grande fascínio pelo mar e por todos os seus mistérios. Já de si o tema é, para mim, aliciante, então aliado ao género literário de terror, torna-se simplesmente irresistível.

Está então explicado o motivo de ter eleito o livro Histórias de Terror do Navio Negro, de Chris Priestley na Feira do Livro deste ano. Achei também, devido à temática do mar e ao seu tamanho , que seria o livro ideal para ler na minha primeira semana de férias no Algarve. Esta acabou por se revelar a melhor decisão que podia ter tomado relativamente à escolha do meu companheiro literário de férias.

Vá lá, não me abandonem já… Já não fazia uma review a um livro por aqui há imenso tempo. 🙂

Sinopse

book pages

Ethan e Cathy são dois irmãos que adoecem inesperadamente durante uma tempestado e, enquanto aguardam o regresso do pai que saiu para ir chamar o médico, acolhem um estranho marinheiro. Fascinados por histórias de terror – quanto mais mórbidas melhor – os dois irmãos deixam-se encantar pelos contos do misterioso Thackeray, mas acabarão por descobrir que a história mais assustadoras de todas não é, de todo, ficcional…

O ambiente e a escrita de Chris Priestley

Para ter uma pequena noção do quão fantástico este livro é, é necessário descrever brevemente o cenário onde se passa a acção principal. Por acção principal refiro-me ao local onde são contadas as histórias.

Cathy e Ethan vivem numa casa situada por cima de um penhasco que, por sua vez, se encontra por cima do mar. Ao longo de toda a narrativa, toda aquela encosta é cruelmente fustigada pelas ondas do mar que batem furiosamente contra a rocha e ameaçam a integridade da casa – e da seguraça – dos irmãos.

talesofterrorfromtheblackship

Então temos: mar, encosta, penhasco, casa antiga (não disse antes, mas digo agora), tempestade, chuva e trovões. Perfeito. Está montado o cenário gótico ideal. A escrita de Priestley é simples, sem grandes elaborações e floreados, mas muito eficaz na evocação do ambiente gótico/vitoriano que conferiu a todas as histórias.

Na verdade, o estilo gótico não é, em Histórias de Terror do Navio Negro, apenas parte da paisagem, mas sim também parte do estilo de escrita de Chris Priestley e das ilustrações de David Roberts, que em muito contribuem para este universo negro.

As histórias

Como o próprio título indica, este livro é composto por várias pequenas histórias mas, apesar disso, existe uma história principal por detrás. No entanto, só chegamos a essa conclusão no final, de tão surpreendente que é.

Podem achar, à primeira vista, que este é um livro infanto-juvenil e que as histórias que o compõe se destinam a uma faixa etária certamente inferior à vossa. Não vos vou dizer que estão errados; o livro é, de facto, comercializado como sendo um livro juvenil. Porém, rapidamente me esqueci desse facto assim que comecei a ler. A verdade pura e dura é que a mente adulta consegue decifrar terrores para lá dos descritos que, possivelmente, a mente infantil não conseguirá. Ao longo da leitura deste livro, dei por mim – com a minha idade e experiência de vida actual – a imaginar cenários com pormenores bem piores do que a minha mente infantil seria capaz de fazer.

Das onze histórias, à semelhança do que fiz nesta review, se tivesse que escolher uma favorita, esta teria que ser, sem dúvida nenhuma, O Navio Negro. E se tivesse que escolher uma palavra ou reacção para a descrever, seria “arrepios”. Esta sensação arrastou-se para a história seguinte, Mata-Lobos.

Não há nenhuma história má, mas há umas melhores que outras, claro, e o facto de serem narradas por uma personagem tão enigmática como Thackeray ajuda a aumentar o meu grau de interesse enquanto leitora. Da forma como este marinheiro é apresentado faz-nos querer saber mais. Apesar de falar pouco dele próprio, sentimos que podemos descobrir mais um bocadinho se lermos com atenção as suas palavras e não conseguimos deixar de pensar se conhecerá todas aquelas histórias apenas pela boca de outros marinheiros, companheiros de viagens marítimas intermináveis, ou se por as ter presenciado.

talesofterror2

Thackeray é uma personagem-chave deste livro, não só porque é o narrador das histórias, mas por ser também quem faz com que Cathy e Ethan descubram o que se está a passar realmente nas suas vidas e com o seu pai, que parece nunca chegar com a promessa que lhes fez quando os deixou para ir buscar o médico à aldeia.

Não vou – nem posso – estragar-vos o final do livro, mas o que os irmãos vão descobrir é terrorífico e é uma descoberta muitíssimo forte. Foi essa mesma descoberta que me fez questionar se este seria realmente um livro para crianças/jovens…

Conclusão

Não me parece justo terminar esta review com algo que não soe a recomendação, por isso vou fazê-lo de qualquer forma. Se gostam de histórias de terror e não é preciso um terror muito refinado para vos pôr a pensar e a sonhar, leiam as Histórias de Terror do Navio Negro. Penso que ainda não o frisei, mas estas histórias são perfeitamente apropriadas para serem contadas ou lidas em voz alta a crianças. De preferência, junto a uma lareira crepitante ou perto do mar num dia cinzento.

A minha avaliação: 4,5/5

 

Se quiserem comprá-lo online, não se esqueçam do Wook.pt*! 😀

As Histórias de Terror do Navio NegroPreço Wook.pt€15.50

*conforme já mencionei neste blog, recebo uma pequena comissão do Wook sempre que alguém faz compras através dos meus links de afiliada. Assim, compro mais livros e faço mais reviews por aqui. 😉

0 Comments

Leave a comment

Your email address will not be published.

CommentLuv badge