Não me apetece ir ao ginásio

Posted on

Neste início de ano, apesar de estar a começar bem e a fazer escolhas mais saudáveis para mim, a verdade é que estou sem qualquer paciência para ir ao ginásio. Como já vos contei algures por aqui, saí daquele que frequentava no ano passado, pois como mudei de casa e de local de trabalho, acabou por ficar um pouco fora de mão.

Na minha busca por outros ginásios mais perto dos caminhos e zonas por onde me desloco, verifiquei que o problema, mais até que a distância, é que simplesmente não me apetece estar num ginásio agora. Não estou com paciência, não me apetece e não consigo pensar nisso agora.
Mas isso não significa que não queira fazer exercício pura e simplesmente! Nada disso.

Apesar de não estar com grande vontade para exercícios mais “violentos” neste momento em que não consigo esvaziar a cabeça com tanta coisa que quero concretizar, o meu corpo e a minha mente andam a pedir – agora que já consegui escutá-los como deve ser – exercício físico mais “orgânico”.

Londres (2014)

O que eu chamo de exercício físico “orgânico” (à falta de melhor palavra) é exercício ao ar livre e decorrente de acções normais do dia-a-dia. Sair umas estações atrás e ir a pé para casa ou a pé de casa para a primeira paragem do meu autocarro, de manhã, por exemplo. Mais exercício não dependente de máquinas, mas do próprio corpo. Mais Yoga e Pilates em casa (agora que voltámos a ligar a Nintendo Wii posso voltar a fazer isso!) e – novidade – andar de bicicleta.

No fim de semana passado alugámos bicicletas na marina do Parque das Nações e foi incrível! Antes disso, acho que não andava de bicicleta desde Janeiro de 2014, em Londres. Uma vergonha! Aliás, mais quer vergonha, uma pena, para dizer a verdade. Às vezes esqueço-me do quanto adoro andar de bicicleta… De levar com o ar fresco na cara, o vento no cabelo e de sentir uma certa liberdade que não sinto num carro ou outro meio de transporte, nem seque a pé. Esqueço-me do meu próprio sorriso constante sempre que ando de bicicleta. Sorrio inconscientemente, porque me deixa feliz pedalar (turisticamente) por sítios bonitos.

Londres (2014)

Recentemente, o Pedro começou a interessar-se fortemente por BTT e aos fins de semana lá vai ele percorrer várias das ciclovias de Lisboa com amigos. Eu não ligava nenhuma, mas depois de ir a Dublin, fiquei cheia de vontade de ter uma bicicleta simplesmente para andar na cidade, mas que dê também para andar por trilhos no meio de um parque/floresta.
Depois de ter alugado a bicicleta no domingo, que era uma pasteleira e o tipo de bicicleta que mais queria antes, decidi que nem pensar, pasteleira não pode ser. Lisboa é uma cidade de colinas, subidas e descidas, por isso, lá me convenci que terá que ser uma de montanha, que sempre é mais adaptável aos tipos de terreno em que quero andar. Se tivesse a pasteleira, só mesmo para andar a direito, logo os meus passeios seriam muito limitados. Se nunca andaram numa pasteleira, experimentem fazer uma subida com ela! Yikes.

Neste momento em que vos escrevo, tenho já a eleita em vista, que irei comprar ainda esta semana e, com ela, vou poder já riscar um dos meus objectivos para 2017! 😀

E vocês, gostam de andar de bicicleta? Fazem-no regularmente? Que passeios me aconselham em Lisboa?

9 Comments

  1. Marta Chan says:

    Andar de bicicleta faz me imensa falta, pois em Quarteira é omeu transporte, mesmo quando trabalhava em Vilamoura. Para além de fazeres exercicio, é economico e amigo do ambiente.
    Mas Lisboa é um filme, para o quotidiano simplesmente não dá. Na minha zona ha algumas ciclovias e poucas subidas, otransito não é absurdo, por isso parece me que era boa ideia andar de bike por aqui. Depois é como dizes, andar em parques e sitios giros também é apelativo =) sempre sozinha ou poucas pessoas.

    Novidade: Vou entrar para o go fit do campo grande! Tambem não sou amiga de ginasios mas quando te contar as condições vais te passar hehe para mim são 5 minutos a pé, por isso acabaram as desculpas =)

    Acho que não vale de nada lamentarmos pelo nosso pesoe não fszer nada quanto ao assunto. Ultimamente ando assim. Por isso, mãos à obra! E podes contar cmg para umas tardes de pedalada.

    1. joan of july says:

      Sim, Lisboa é difícil, mas há planos para criar cada vez mais ciclovias na cidade! Na nossa zona até nem é muito mau. 🙂 Mas sim, conto contigo para passeios e tardes de pedalada! Tens bike cá? Eu vou comprar a minha na quinta-feira!! 😀 So excited!!

      Por acaso já andei num Go Fit há anos e não gostei, mas pode ser que o do Campo Grande seja fixe! Espero que gostes, porque realmente é perto de casa, que sorte! 😀
      Eu acho vou dar uma corridinha à Quinta das Conchas para começar. Lá está, é exercício orgânico como me apetece agora. Ehehehhe

  2. Marta Chan says:

    Gosto do conceito do exercicio organico =D só que para mim não dá, a não ser que haja uma obrigação, como pedalar para o trabalho, um horario, como aulas de dança, ou dinheiro, como mensalidade do ginasio. Não tenho motivação nenhuma para pegar em mim e ir correr. Quem me dera!

    A bike do Bruno (ele não usa) ainda está na povoa mas ja dei um prazo de até final de Janeiro traze-la.

    1. joan of july says:

      Boa!! Ela parada também não está lá a fazer nada, não é? 😉
      Cá a espero.

      1. Ana Paula Sobral Cardoso says:

        ​Como a Marta mencionou, a despesa do ginásio a cair todos os meses na conta é uma excelente motivação para pôr o corpo a mexer… Adoro ir ao ginásio, aulas de grupo com coreografias ajudam-me a melhorar a coordenação. O Bruno, o meu Personal Trainer, está-me sempre a desafiar superar os meus limites! Gosto muito do PUMP ficava a caminho de casa e tem imensas aulas.
        Ana Paula Sobral Cardoso recently posted…Amanhã é Grátis #37 – O Livro do HyggeMy Profile

  3. Catarina Gralha says:

    Faço natação praticamente desde que me conheço, e não tenho piscina em casa (olha que pena… 🙁 mas não se pode ter tudo eheh), por isso a minha única opção é mesmo um ginásio ou algo do género. Também faço algumas coisas em casa, assim como caminhadas. Há muitos anos que não ando de bicicleta, mas é algo que quero voltar a fazer agora em 2017. É tão bom passear de bicicleta por parques e jardins!

  4. Ana Paula Sobral Cardoso says:

    Parabéns Catarina por te juntares a este fantástico mundo das 2 rodas!!! 😀

    Como sabes sou uma ciclista e “activista” da mobilidade suave! A bicicleta é tão minha amiga, que até me fez “chocar” com o amor da minha vida! <3 Pedalo há mais ou menos há 5 anos, mas infelizmente não o faço todos os dias. Comecei com passeios organizados pela Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta, fui conhecendo pessoas e um passeio puxa o outro… Quando me senti mais segura a manejar a bicicleta, comecei a participar na MASSA CRÍTICA LISBOA em que aprendes a circular na estrada num ambiente seguro, pois vais em grupo. A MC realiza-se todas as últimas sextas-feiras do mês. Reunimo-nos no Marquês de Pombal e partimos pelas 19h. Vou-te adicionar ao grupo do Facebook, por lá são discutidos imensos assuntos relacionados com a mobilidade suave e são publicitados imensos passeios.

    Outras questões relevantes: O capacete não é obrigatório, se precisares de um, terei todo o gosto em te oferecer 🙂 Compra luzes para a bicicleta, são obrigatórias, quanto mais potentes melhor! As últimas que comprei são recarregáveis via USB.

    Agora só falta teres a tua bicicleta 🚲 para combinarmos um passeio!!! 😀
    Ana Paula Sobral Cardoso recently posted…Séries para que vos quero! #2 – Novidades de 2017My Profile

  5. Daniela Soares says:

    Acho que é uma óptima alternativa e essas pequenas decisões como sair na paragem antes ou ir a pé para casa podem parecer pequenas mas acabam por fazer a diferença, e por vezes até ajudam a poupar.:P Eu também sou da opinião que devemos procurar algo que nos dê realmente prazer (apesar de ser sempre preciso algum esforço claro), porque se nos formos inscrever no ginásio só porque sim acabamos por apanhar uma seca e facilmente desistimos. Eu por exemplo costumo optar pelas caminhadas, muitas vezes acompanhada, já que a conversa ajuda a aumentar o trabalho cardíaco e é sempre motivadora.:P

    Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

  6. Catarina Coelho says:

    Revejo-me imenso neste teu post, Cat! Eu estou inscrita num ginásio mas a verdade é que não gosto de ginásios. Vou porque me faz bem à saúde e porque acaba por proporcionar condições mais completas para o treino. No Inverno nem sempre é fácil ir para o exterior e o ginásio tem muitas opções indoor. Mas, na verdade, o que eu gosto meeeeesmo é de caminhar e andar de bicicleta ao ar livre! Durante o meu ERASMUS na Holanda andava sempre de bicicleta para todo o lado. Era tão bom! E foi quando consegui perder mais peso e tonificar melhor as pernas 😛 era um exercício que fazia naturalmente, durante o meu dia-a-dia. E dava-me tanto gozo pegar na bicicleta e ir para todo o lado 😀 sinto alguma falta disso, confesso.
    Catarina Coelho recently posted…MAKEUP | New in: NYX CosmeticsMy Profile

Leave a Reply to Daniela Soares Cancel reply

Your email address will not be published.

CommentLuv badge