Piódão e Foz d’Égua: duas das aldeias mais bonitas em Portugal

Posted on

Até há bem pouco tempo, Piódão era – para mim – um daqueles locais que estão praticamente sempre nas listas de sítios mágicos a visitar em Portugal, mas nunca tinha pensado em colocá-lo especificamente nos meus planos de escapadelas “cá dentro”. Já tinha também visto Foz d’Égua em artigos do género “10 aldeias abandonadas em Portugal” ou algo assim, mas também não pensei que fosse visitá-la tão cedo, pois parti do princípio que seria daqueles lugares super remotos. Mal sabia eu que era tão perto de Piódão (dá para ir a pé e há trilhos!). Em Janeiro deste ano – no mesmo fim de semana em que visitei a Serra da Estrela e o Covão da Ametade – também tive o privilégio de conhecer Piódão e Foz d’Égua. Venham visitar estes dois lugares lindíssimos comigo.

Piódão

Como vos contei neste post sobre a viagem à Serra da Estrela, durante esta escapadela no final de Janeiro, ficámos hospedados numa casinha lindíssima na aldeia desabitada de Chãs de Égua. Esta pequena aldeia pertence à freguesia do Piódão, pelo que esta visita esta iminente. Aliás, foi-nos aconselhado logo à chegada que nos deslocássemos ao Piódão para fazer as nossas refeições. E assim fizemos.

Assim que nos estávamos a aproximar, pude logo reconhecer a aldeia do Piódão, tão facilmente reconhecível pelas casas de xisto que se erguem em “fila” pela encosta acima. A única coisa a destoar das típicas casinhas de xisto é a bonita igreja branca, mas que – de alguma forma – acaba por complementar tão bem a paisagem.

A aldeia de Piódão, situa-se numa encosta da Serra do Açor. As habitações possuem as tradicionais paredes de xisto, tecto coberto com lajes e portas e janelas de madeira pintadas de azul. O aspecto que a luz artificial lhe confere, durante a noite, conjugado pela disposição das casas, fez com que recebesse a denominação de “Aldeia Presépio”. (fonte: Wikipedia)

A aldeia do Piódão é lindíssima e pudemos ficar a conhecê-la tanto durante o dia, como durante a noite. Ela é muito pequenina e vê-se em pouquíssimo tempo, mas é sempre boa ideia passar lá umas boas horas em boa comida e – claro – comida, pois tem vários restaurantes bons, onde se come bem e não se paga muito. 🙂 Sei que não é nada típico, mas comi um risotto de cogumelos e espargos que me deixou simplesmente encantada…

Os pequenos almoços tomámos sempre no café A Gruta, que se vê logo quando se chega à “praça” principal da aldeia e onde também podemos encontrar artesanato e produtos locais, como medronho, licores, mel e outras delícias.

Foz d’Égua

E chegámos à minha outra parte favorita desta escapadela, a seguir ao Covão da Ametade! Já queria ir a Foz d’Égua desde que vi fotos muito semelhantes às que tirei aqui em alguns artigos de viagens.

Nas fotos sempre me pareceu Hobbiton, aquela aldeia bonitinha e pitoresca onde mora o Bilbo, o Frodo, o Sam e todos os outros Hobbits na Terra Média do Senhor dos Anéis. Ao vivo o sentimento é o mesmo.

Ao chegar ao destino, é impossível não reparar na quietude e silêncio que reinam nesta aldeia, pelo menos no Inverno, já que no Verão é uma popular praia fluvial que atrai amantes deste tipo de cenário e de destinos menos turísticos. E fazem bem; Foz d’Égua é, de facto, uma pérola preciosa ainda não tornada mainstream no sector do turismo. 😀

         

A aldeia de Foz D’Égua pertence à freguesia do Piódão e com ela partilha a beleza mística da Serra do Açor.
Caraterizada pelo seu aspecto rural serrano, com as típicas casas de xisto e lousa, circundadas por uma natureza quase em estado puro, é rica em espécies de fauna e flora que aqui encontram o seu habitat natural.

Em Foz D’Égua situa-se uma praia fluvial de grande beleza, o ponto de encontro da ribeira de Piódão com a ribeira de Chãs, que correm em direcção ao rio Alvoco e cujo percurso é travado por uma represa criando um espelho de água.

Fonte: Câmara Municipal de Arganil

Espero que tenham gostado de mais este passeio por Portugal! Já agora, convido-vos a percorrerem outros trilhos e caminhos comigo por esse Portugal fora na secção de viagens “cá dentro” aqui do blog. 🙂

1 Comments

  1. Margarida Pestana says:

    Já te disse que és uma das minhas maiores inspirações?
    Sempre que te leio ou vejo estás tuas fotografias, dá-me logo uma vontade de agarrar na máquina ou escrever. Obrigada por isso ❤️

Leave a comment

Your email address will not be published.

CommentLuv badge