Por que me recuso a participar em desafios de leitura este ano

Posted on

Tinha pensado em publicar este post no Dia Mundial do Livro, que se celebrou nesta passada segunda-feira, mas como já vão perceber, este ano estou do contra. Em anos anteriores participei em desafios anuais de leitura no Goodreads. Se não sabem como funciona, é simples: cada pessoa estabelece um número de livros que se propõe a ler nesse ano, normalmente a começar logo em Janeiro, aproveitando aquela típica resolução de ano novo: “ler mais”. Já vos explico o que me levou a desistir deste desafio este ano.

Não é que não queira ler mais. Eu quero.

Em 2016 doze foi o número mágico. 12 livros pareceu-me perfeitamente razoável. E foi.

Na onda da auto-confiança que completar esse desafio, aumentei a fasquia em 2017: dezasseis livros. 16.
Se o completei? Sim! Então, qual é o problema?

Bem, como a vida não é perfeita e nem sempre há tempo ou disposição para ler, dei por mim várias vezes a ler livros à pressa ou – pior – a escolher livros que achava que ia ler em pouco tempo e, com isso, “riscar” mais um livro da lista.

Não vou mentir; dava-me um gozo enorme em dar um livro como lido no Goodreads e ver o número de livros lidos a aumentar, aproximando-o mais um bocadinho do estimado 16. É aquela ligeira adrenalina de quando riscamos uma tarefa que estava na nossa lista, ou quando clicamos na checkbox da tarefa, para quem utiliza aplicações de gestão de tarefas.

Percebo tão bem essa sensação… Mas este ano, logo no início e ao contrário dos anos anteriores, dei por mim sem vontade de ler. Claro que isso, entretanto, mudou, tal como eu esperava, mas no processo compreendi porque é que assim foi.

Ler é, para mim, um exercício de relaxamento e a minha forma de meditação. É o meu momento para descomprimir e passar tempo comigo mesma. Para mim, “Ler Devagar”, não é apenas o nome de uma das livrarias mais bonitas de Lisboa; é também a forma como gosto de ler, de estar e de passar tempo com os meus livros, as suas histórias e personagens.

Atenção, não tem nada de mal participar num desafio de leitura, mas na fase da vida em que me encontro em que tenho prazos e demais obrigações, não quero que a leitura seja mais uma. 🙂

Depois de me ter apercebido disto e de ter decidido ler conforme me apetece e o que me apetece, a experiência de leitura tem sido muito melhor e sempre que termino um novo livro, tem sido ainda mais recompensador do que somente marcar como lido no Goodreads. Não preciso de sentir nenhum tipo de pressão ou ansiedade quando estou a ler; o objectivo é ter o efeito inverso. Nem quero mais ler livros “fáceis” ou pequenos só por contribuirem de forma rápida para a lista de livros lidos.

Num mundo tão acelerado comprometo-me a manter a leitura lenta, simples e descomplicada.

E vocês, que tipo de leitor são? Estão a participar em algum desafio de leitura este ano?

4 Comments

  1. Catarina Gralha says:

    Parece-me que o teu problema foi com a pressão do número, de achares que tinhas mesmo de atingir o que tinhas colocado lá. Interpretei bem? Corrigi-me se estiver errada 🙂 Há muitos anos (desde 2012) que coloco esses desafios no Goodreads, mas nunca os vi como obrigação, sabes? É um “era bom se lesse estes todos, mas se ler menos do que o número que pus aqui, está tudo bem”. Por vezes, temos só de tirar a pressão das coisas. De qualquer das formas, o que interessa é que tenhas encontrado algo que resulta para ti 😀

  2. Vânia Duarte says:

    este ano entrei com mega fé na leitura. Em janeiro despachei 3 livros, li-os furiosamente, mas depois a vontade abrandou e eu só pensava que não ia conseguir cumprir o desafio a que me propus do Goodreads de 12 livros. Entretanto esqueci-me completamente do desafio, deixei esta preguiça passar e agora a vontade voltou novamente mas tal como tu sem pressas. Porque ler é terapeutico e tudo o que nos faz bem deve ser saboreado assim devagar 🙂

  3. Mariana Leal says:

    Este é o segundo ano que coloco o desafio no Goodreads, mas não lhe ligo muito. Sinceramente, até me esqueço dele frequentemente, vou lendo o que quero e o que posso. Acaba por ser só mais uma ferramenta para eu me manter mais organizada, não sou muito boa a manter agendas e cadernos :p Ler é bom demais para ser visto como obrigação 😀

  4. Alda Moreira says:

    Nunca participo nesse tipo de desafios de leitura (muito menos em desafios de temas), gosto da liberdade de ler o que quero e quando quero sem regras ou orientações. Se assim não fosse não tiraria nenhum prazer da leitura

Leave a comment

Your email address will not be published.

CommentLuv badge