Arthur’s Seat (revisitado) e a próxima viagem

Posted on

Duas coisas fizeram com que fosse buscar estas fotos ao baú: a primeira é, claro, a procura de fotos para começar a encher as paredes da casa nova. A segunda tem a ver com o planeamento da próxima viagem, que já está marcada para Novembro.
Recentemente comecei a reparar mais em mim nas minhas fotos de viagens passadas. Acho-me sempre diferente (para melhor) nessas fotos, mas só consigo pensar que a diferença não é necessariamente física, embora se traduza no olhar.

Escócia: um túmulo de guerra e um túmulo pré-histórico

Posted on

Como revelei como quem não quer a coisa neste post, estou a planear uma nova viagem para breve e, como não podia deixar de ser, ando toda wanderlust a ver coisas bonitas para visitar nessa próxima viagem, enquanto revisito também os álbuns de fotografias da anterior. Falo da viagem à Escócia, claro, que entretanto não houve mais nenhuma para fora do país. Sinceramente, estava a achar difícil haver outra ainda este ano, por causa da casa nova e tudo, mas os astros alinharam-se, I guess. 🙂

Mas voltando às fotos da Escócia que voltei a passar a pente fino como se as estivesse a ver pela primeira vez, bem, eu apercebi-me de que não falei de

Souvenirs: L’eau de Loch Ness e um achado de 1934

Posted on

Não sou pessoa de ir viajar e voltar cheia de recordações típicas e claramente turísticas. Porta-chaves com a bandeira do país, miniaturas do ex-líbris arquitectónico da cidade, bonés e t-shirts a dizer ” I love + o nome da cidade ou país”, etc., não são para mim.
Por isso, não será surpresa nenhuma dizer que não trouxe nada disso da Escócia. Mas trouxe algo muito melhor. Como nunca vos mostrei o que trouxe para mim própria, para recordar sempre esta viagem maravilhosa, decidi fazê-lo agora.

Castles, Lochs and Mountains in the Scottish Highlands

Posted on

Sinto que fiz uma pausa enorme no relato da minha viagem à Escócia e a culpa é toda do Bloggers Camp. No bom sentido, claro. 😉
Tenho-me dedicado imenso à organização deste evento com a Catarina e a Ana, pelo que o blog tem sido um bocadinho prejudicado, mas nunca esquecido.

Agora, de volta à Escócia, uma vez que já passámos por Edimburgo e pelo centro de Inverness, já posso entrar finalmente na minha parte favorita da viagem: as Highlands!

Sabem aquelas viagens de sonho sustentadas por uma ideia idílica que temos de um certo país ou região, mas que, quando as realizamos, nos apercebemos de que as nossas ideias foram criadas por mera ficção?
Pois…

Arriving in Inverness, capital of the Scottish Highlands

Posted on

O dia em que trocámos Edimburgo por Inverness trouxe alguns mixed feelings. Por um lado, estava pronta e entusiasmada para conhecer finalmente os sítios com que sonhava desde criança (todos localizados nas Highlands), mas por outro estava profundamente triste por deixar Edimburgo para trás.

Mas a viagem tinha que continuar e a magia das Highlands aguardava. Tinha que descobrir se a imagem que tinha das Highlands correspondia à realidade ou se tinham sido gravemente exageradas por todos os filmes que tinha visto e pelos livros que tinha lido.

E então seguiu-se uma viagem de cerca de três horas por camioneta que nos fez passar por cenários incríveis que nunca na vida irei esquecer.
Era dia 2 de Maio, plena Primavera, mas aquelas terras permaneciam de pedra e cal no

Greyfiars Kirkyard Stories and Harry Potter History in Edinburgh

Posted on

Se leram o meu último post sobre a viagem à Escócia, sabem que era a publicação de um post exclusivamente sobre o Greyfiars Kirkyard era inevitável. E eu bem vos avisei que o próximo relato da Escócia seria um pouco creepy, não avisei? Mas não se assustem e fiquem por aqui, vão ver que vai valer a pena. 😉

Antes de mais, falo-vos um pouco acerca do Greyfiars Kirkyard, mas sem me alongar muito que isto aqui também não é nenhuma página da Wikipedia, local esse onde podem ler muito mais acerca deste cemitério de Edimburgo.
Só para vos localizar temporalmente, saliento apenas que o terreno onde se situa o Greyfiars foi decretado como terreno de sepulcro pela

Epifanias a caminho do Arthur’s Seat, Edimburgo

Posted on

Este primeiro post sobre a minha viagem à Escócia custou a sair(-me) e creio que os seguintes irão custar da mesma forma. Porque quanto mais rápido os “despachar”, mais rapidamente deixarei de ter uma “desculpa” para prolongar na minha mente os dias mágicos que passei num dos países que mais queria visitar em todo o Mundo (e desde sempre).

Mas adiante.
Decidi falar-vos de um dos dias mais inspirados da viagem, em vez de começar exactamente pelo início.
Claro que agora me lembrei da célebre frase do Jean-Luc Godard: “A story should have a beginning, a middle and an end, but not necessarily in that order.”

E é precisamente isto que vai acontecer aqui, porque por vezes a ordem cronológica dos eventos não é a que mais sentido faz para nós.

Por isso, começo a relatar-vos a minha viagem por uma parte do segundo dia, mas que foi o primeiro dia completo em Edimburgo.