personal

Hoje casei-me

Pronto, não foi hoje, mas vocês sabem que sou fã desta saga do “hoje…”. Faz hoje, na verdade, precisamente um mês desde o meu casamento. Que coisa tão estranha de escrever, “o meu casamento”, logo eu que nunca quis casar. Na verdade, só nunca quis o típico dia de casamento, mas isso é algo de que só me apercebi recentemente.

Durante muito, muito tempo achei que não queria casar. Aliás, isso não mudou, não exactamente. É difícil de explicar, mas como diz o meu irmão, “é o que é”. Decidimos casar à nossa maneira, no dia em que celebrámos também 15 anos juntos.

Como podem imaginar e certamente perceber, como não revelei nada no blog ou em qualquer rede social minha sobre este acontecimento, também não vou revelar muitos detalhes agora, mas ainda assim não posso deixar esta data passar em branco aqui este blog que já me acompanha há quase 11 anos. Neste cantinho online que é só meu, já registei inúmeros momentos importantes da minha vida e este é um deles.

Não vou dizer que o dia do casamento foi o mais importante da minha vida, pois na nossa mente já éramos casados há anos, desde – pelo menos – que decidimos viver juntos (há sete anos) e adoptamos os nossos gatos em conjunto. Mas há laços que a sociedade só reconhece quando legalizados, então cá estamos nós. Não há nada de romântico nisso. O que há de romântico é em nós, no nosso percurso, na nossa história e na forma como interagimos um com o outro todos os dias, não apenas num dia marcado no calendário.

Mas por falar em dia, o nosso é e sempre foi 16 de Agosto, o dia em que começámos esta bonita história e, agora, o dia em que a oficializámos.

O dia em si foi dos melhores de que tenho memória. Nessa parte, foi – parece-me – semelhante ao de todos os casais que casam de forma tradicional até. 

Casámos no civil, sem testemunhas (para além da querida Margarida Pestana que nos fotografou), fomos a Monserrate (um dos nossos sítios especiais) tirar estas fotos lindíssimas que acompanham este post (mais outras que ficarão só para nós) e partilhamos a noite com a nossa família mais próxima, o que é muito especial para mim,. pois a minha veio do Porto, de propósito, numa sexta-feira.

Foi tudo muito simples, muito discreto e 100% à nossa maneira. Sei que muita genbte prefere aquela festa tradicional, mas nem eu nem ele queríamos algo assim para nós. A ideia do dia inteiro rodeada de pessoas (umas especiais e próximas e outras que os pais normalmente “obrigam” a convidar) nunca me seduziu. Parece-me tão cansativo e tudo o que eu queria era desfrutar deste dia. Não que as pessoas que fazem festa não desfrutem, mas devido ao meu tipo de personalidade…hmm..prefiro assim.

Só vos posso dizer que, no final do dia, pensei e disse em voz alta: “Adorei este dia. Foi exactamente como eu queria, nem mais, nem menos.” E, nessa noite, adormeci de sorriso no rosto, a sentir-me incrivelmente feliz.

No fundo, o que eu espero é que toda a gente se sinta assim no dia do seu casamento, seja a via pela qual enveredou, seja ele mais tradicional ou moderno.

Que a simplicidade, fluidez e alegria deste dia sejam o mote para todos os outros da nossa vida.

11 Comments

  • Micaela

    Muitas felicidades Catarina!
    As fotos conseguem transmitir a vossa cumplicidade e alegria e ainda a simplicidade que foi o dia do vosso casamento. Beijinhos.

  • Pedro

    claro que adormeceste de sorriso no rosto, como habitual, com 3/4 da cama para ti e o teu marido ali à beirinha com uma perna já quase a cair e a outra a lutar para se manter na cama :))
    amo-te muito e adorei o post

    • Margarida Pestana

      Meus queridos, que prazer enorme em viver convosco este momento.
      Foi mesmo bonito e bom. Diferente também, de tudo o que já vivi. E também me começo a ver nessa versão mais simplista da vida, das celebrações.
      Fiquei muito babada por ver as fotos a acompanharem tão bem este teu texto.
      Tinha saudades de te ler.
      Muito feliz por vocês. Um beijo enorme com muita gratidão por me terem dado tanta confiança. ❤️

  • Natália Rodrigues

    Tão bonito! É mesmo assim, fazer desse dia, um dia de felicidade, da forma que nos faz mais sentido. As fotos estão lindas, o sitio é maravilhoso, e desejo-vos a continuação de uma bonita história de amor.

    bjs

  • Rita

    Querida Catarina, muitos parabéns! Que linda estavas…e que lindas as fotos!
    Que essa felicidade se prolongue para toda a vida 🙂
    Um beijo,
    Rita Duque

  • Carolina

    Que sejam mais felizes a cada dia!
    Casaram no dia dos meus pais, que já estão juntos há 32 anos, por isso acho que escolheram bem o dia 🙂
    Não há regras para celebrar a união das pessoas que se amam (ainda que o mundo diga que sim) e o importante
    é que a festa tenha traduzido as vossas personalidades e gostos 🙂 Felicidades!

  • Ana Garcês

    Os meus favoritos de todos ❤

    Que o vosso amor continue para sempre, nesse estado tão puro e simples como o amor deve ser e que dá gosto de ver.

    Gosto muito de vocês ❤

  • Sara Gonçalves

    Muitos parabéns, Catarina! Que lindo. 🙂 Felicidades e tudo de bom para ti e para o teu agora marido!
    Concordo contigo no que toca a ter uma celebração mais intimista. Acho bonito celebrações do género, mais tranquilas, sem certas pessoas com as quais estarias a fazer frete e sem centenas de pessoas, embora respeite quem goste e queira fazer festa com pompa e circunstância.
    É triste existirem certas pessoas que não reconhecem a legitimidade na união de facto (no fundo, é estar casado com a outra pessoa!). Até há aquelas pessoas que mandam palpites, do género: “vão ser sempre só namorados?”, ou “então, juntos há tanto tempo e nunca mais se casam?”, etc…. O que importa, verdadeiramente, é que as pessoas sejam felizes, estando ou não casadas!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *