Uma tarde à descoberta da Estufa Fria de Lisboa

Posted on

Quem em Lisboa nunca ouviu falar da Estufa Fria? É um dos locais mais visitados e turísticos da cidade, tenho a seu favor uma excelente localização – o Parque Eduardo VII – e metro muito perto. Porém, foi só no final do ano passado que a conheci. Foi no dia em que fui fotografar a Joana, cuja sessão era para ter sido lá, mas como a Joana vinha de longe e de comboio, chegou um bocadinho mais tarde e a estufa fechou. Felizmente, antes da Joana chegar, tive tempo para a conhecer bem e tirar umas fotos lá dentro. 🙂

 photo estufa-fria27.jpg

 photo estufa-fria26.jpg

 photo estufa-fria25.jpg

 photo estufa-fria24.jpg

 photo estufa-fria22.jpg

 photo estufa-fria20.jpg

A Estufa Fria tem este nome, mas na verdade é constituída por três partes: a Estufa Fria propriamente dita, a Estufa Quente e a Estufa Doce.

A Estufa Fria é a maior das áreas e é coberta com um ripado de madeira que controla de forma natural a temperatura e a luz no interior. Alberga espécies como a azálea (Rhododendron spp.) e cameleiras (Camellia japonica), provenientes de diversos pontos do globo.

 

 photo estufa-fria18.jpg

 photo estufa-fria17.jpg

 photo estufa-fria16.jpg

Um pouco de História

“A Estufa Fria foi inaugurada em 1933, sendo o resultado de um projecto idealizado pelo arquitecto Raul Carapinha. Foi construída sobre uma zona de antiga extracção de basalto, actividade interrompida após a descoberta de uma nascente de água no local.[2]

A Estufa sofreu uma remodelação, que acompanhou a remodelação do Parque Eduardo VII, nos anos 40 com a construção do lago à entrada e uma enorme sala, a chamada nave, onde ainda hoje se realizam vários tipos de eventos..

Em 1975 duas novas secções abriram, a Estufa Quente e a Estufa Doce, expandindo a colecção botânica para incluir espécies tropicais e equatoriais.

A designação “Estufa Fria” provém do facto de não utilizar qualquer sistema de aquecimento. As ripas de madeira que a cobrem protegem as plantas das temperaturas excessivamente frias ou quentes.

Do património artístico da Estufa fazem parte estátuas de Soares Branco, Leopoldo de Almeida e Anjos Teixeira (filho). Quanto ao pórtico da entrada, trata-se de um projecto de Keil do Amaral.”

– Wikipedia

 photo estufa-fria13.jpg

 photo estufa-fria12.jpg

A zona da Estufa Quente ocupa cerca de 3000 m² e alberga espécies tropicais como o cafeeiro (Coffea sp.) ou a mangueira (Mangifera indica).

A Estufa Doce possui espécies pertencentes à família das Cactaceae (dos cactos, portanto) e outras plantas suculentas, como o aloé (Aloe vera).

Um pouco por toda a estufa podemos também encontrar pequenos lagos e cascatas e também obras de estatuária.

 photo estufa-fria11.jpg

 photo estufa-fria10.jpg

 photo estufa-fria9.jpg

 photo estufa-fria8.jpg

O exterior da estufa é lindíssimo também!

 photo estufa-fria7.jpg

 photo estufa-fria5.jpg

 photo estufa-fria6.jpg

 photo estufa-fria4.jpg

 photo estufa-fria3.jpg

Sabiam que a Estufa Fria fechou em Abril de 2009 devido ao risco de colapso da sua estrutura metálica de cobertura? A abertura teve lugar apenas dois anos depois, em Abril de 2011.

Ou seja, quem não conhece este espaço lindíssimo (tal como eu não conhecia até Novembro do ano passado), já teve muito tempo para o fazer! 😀

 photo estufa-fria1.jpg

 photo estufa-fria.jpg

Acreditem, vale mesmo a pena a visita e o passeio e, se precisarem de um cenário bonito para fotografias, voilá! 😀
Da minha parte, apesar de não ter conseguido fotografar a Joana na Estufa Fria naquele dia, continuo a querer fazer lá uma sessão fotográfica. 🙂

Já conheciam a Estufa Fria de Lisboa?

8 Comments

  1. Mariana Capela says:

    Oh uaau!! Já tinha ouvido falar, mas nunca lá fui. É tão bonita!!

  2. Sara Cabido says:

    Que partilha tão bonita, Catarina!! Eu já me havia rendido aos encantos da Estufra Fria há muito mas vê-la agora, através da tua lente, é de tirar o fôlego. Captaste-a tão bem *suspiros* E de facto, é um pequeno oásis escondido bem no coração de Lisboa, não é?

    Deste lado temos muitas saudades tuas!
    Beijocas grandes

  3. Maria says:

    Bem estas fotografias estão fantásticas. A quinta fotografia é a minha favorita. As cores das flôr é algo mesmo lindo.

    O espaço parece ser absolutamente magnífico. Eu acho que quanto mais tempo estamos numa cidade, ou quanto mais no habituamos a ela, menos acabamos por conhecer. Sempre vivi em Lisboa e não fazia ideia deste espaço. Está visto que ainda tenho muito por descobrir.

  4. Blogue Ela e Ele, Ele e Ela says:

    Não fazemos grande questão de ter plantas em casa. Não ligamos muito e acabariam a ser comidas pelos gatos ou a esquecermo-nos de as regar. Falaram-nos neste local e pensámos que não nos interessaria visitar. Mas depois destas fotografias… Mudámos de opinião!
    Obrigado pela partilha!!

  5. Ana S. says:

    Epa, ainda no último post referi que tenho mesmo de visitar isto. Inacreditavelmente ainda não conheço! E já passei por lá tantas e tantas vezes! As fotografias ficaram fantásticas e a estufa parece ser lindíssima! Conhecê-la está definitivamente nos planos a curto prazo.

    Aonde (não) estou

    1. joan of july says:

      Obrigada, Ana. 😀 Espero que consigas visitá-la em breve!

  6. Inês Silva says:

    Estou de facto chateada por nunca lá ter ido nem sequer ouvir falar desse sítio 😮 como é possível? E eu adoro sítios assim, damn!
    Inês Silva recently posted…365 MarçoMy Profile

    1. joan of july says:

      Tens que lá ir da próxima vez que vieres a Lisboa, merece a visita. 🙂

Leave a comment

Your email address will not be published.

CommentLuv badge