mejores doctores en América Dapoxetina elección de plan de seguro médico
11 In what I've learned from

14 lições de vida que aprendi com ‘Mean Girls’

Se há coisa que devem saber sobre mim e sobre os meus gostos cinematográficos é que, para mim, o filme Mean Girls é o melhor filme de sempre. Ponto final e não estou aberta a discussões. Quer dizer, admito que do ponto de vista artístico possa não o ser, mas que é um dos meus favoritos, isso é-o de certezinha absoluta.

Vi-o pela primeira vez aos 16 anos, por isso (se o conhecem) perceberão o impacto que teve em mim na altura.
Houve certas lições que retirei do filme nessa altura que ficaram, mas há outras elações que só agora- em anos mais recentes- tirei. Estas são algumas delas:If there’s one thing you should know about me is that I find Mean Girls to be one of the greatest movies ever. End os story; I am not open for discussion. I mean, I admit that from the artistic point of view Mean Girls may not be the greatest movie ever but it is definetely one of my favorites.

The first time I saw it I was 16 years old, so you can tell how big an impact it had on me at that age.
There were certain life lessons I learned from the movie back then and stuck with me until now, but there are others I only understood in more recent years. These are some of them:

1. A amizade feminina é extremamente complexa 

Os homens passam a vida a gozar com a amizade entre mulheres e a compará-la à que têm entre eles. Eu bem tento desmistificar alguns ideias pré-concebidas que eles têm em relação a este tema, mas há coisas às quais tenho que dar o braço a torcer. Não há volta a dar, nós somos seres complexos e, como tal, assim são também as nossas relações umas com as outras.

2. Não podes, em circunstância nenhuma, namorar o ex de uma amiga tua. 

Esta (lição) é básica, não é? Não preciso de ser eu a dizer-vos isto. Nem há perdão para tal coisa. Isto é, tipo, a regra de ouro do feminismo. (ahahah “tipo”).

3. Não tires conclusões precipitadas. 

A tua nova colega de turma/trabalho vem de África. É tudo o que sabes acerca dela. Quando a conheces tens uma surpresa: é branca. Só para que saibas: não podes andar por aí a perguntar porque é que as pessoas são brancas. Isto é uma metáfora para: não faças juízos de valor e, principalmente, pensa antes de abrires a boca para dizer porcaria. Deal? 🙂

4. Não tenhas medo de desabafar. 

Às vezes é mesmo disso que precisamos. Mas, por amor da Santa, controla-te, procura o melhor timing. Há um local e altura certos para tudo, lembra-te disso.

Se vires que não os encontras nem por nada e já estás quase a rebentar com tantos sentimentos por expressar, então porque não consideras, por exemplo:


… ou começar um blog. Também há isso.
… or start a blog. There’s also that.

5. Ninguém gosta de frontalidade/honestidade, por mais que te digam o contrário.

Acho hilariante sempre que alguém vai para um reality show dizer “eu é que sou frontal” ou “eu sou mesmo assim, eu digo tudo na cara de toda a gente!”. Pois querida, e é por isso que toda a gente te odeia.

Não estou a defender, de maneira nenhuma, a mentira e a falsidade, mas se há aspectos de que não gostas nada em alguém que até gosta de ti e não te faz mal nenhum, porquê estragar uma boa relação ao dizer-lhe na cara “olha, eu acho que és uma pêga porque foste para a cama com um gajo qualquer da última vez que fomos sair”?

Às vezes não ganhas nada em dizer o que pensas sobre as pessoas. Antes de abrires a boca para “dizeres certas verdades” a alguém, pensa primeiro se é mesmo defeito ou se é algum preconceito teu em relação a essa pessoa (às vezes é).

6. Adapta-te a qualquer situação menos favorável. 

 

Como dizia o outro, “Brock you fockers!” És fabulosa (bitch, I’m fabulous!) e nada te pode deitar abaixo. Compraste um vestido novo e entornaste um copo de vinho logo agora que decidiste estreá-lo num jantar fora de casa? Azar, até chegares a casa não podes fazer nada. Não costumas andar por aí com uma muda de roupa, pois não? (a do ginásio não conta)

Assume- pode acontecer a toda a gente- e, de qualquer forma, a mancha não arruinou o corte do vestido que mostra tão bem os teus atributos, pois não? Work it!

7. F*ck the haters!

Aprende a distinguir entre as pessoas que estão a tentar deitar-te abaixo e as que estão realmente a fazer-te críticas construtivas. Há uma diferença enorme entre estes dois tipos de pessoa. Se vires que a intenção é a primeira, então… “Brock you fockers!”.

8. Quando uma rapariga elogia a tua saia nova, na realidade odeia-a. 

 

As tuas verdadeiras amigas vão fazer uma piada engraçada com o teu novo trapinho, porque têm confiança para tal, mas as outras… bem… elas SENTEM quando tens uma peça de roupa nova e em relação à qual ainda te sentes insegura. O que é que elas vão logo fazer? Elogiá-la. Típico comportamento das frenemies (inimigas que fingem ser amigas aka. gajas que não te curtem).

 

9. As pessoas são más. Ponto final. Dá-lhes a resposta que merecem.

 
 

Enquanto as frenemies fingem ser tuas amigas, há aquelas pessoas que simplesmente te insultam na cara. Não chores, não tremas, não te escondas. Tens duas opções: finges que não ouviste ou mandas-lhe uma boca bem mandada. Ou… (algo que eu faria) finge que não ouviste à primeira para que a pessoa tenha que repetir, de forma a ganhares mais tempo para pensares numa resposta memorável.

10. Nao te leves demasiado a sério. 

Saberes rir-te de ti própria e quando ser palhacinha é algo muito atraente. Ainda ontem estive a ver o filme das Spice Girls e, enquanto as outras entravam nas brincadeiras e usavam os disfarces mais totós à face da terra, a querida da Victoria andava sempre séria, sempre de saltos altos e parecia nunca se misturar com a “plebe”. Anota: ninguém gosta disso e vais ficar com fama de enjoada se fores sempre assim.

11. Não tenhas falsa modéstia. 

Confiança, confiança, confiança. Metam na cabeça que ninguém gosta de falsa modéstia. Os homens não gostam, as outras mulheres ainda menos e, menos que elas, os empregadores. Não precisam de se mostrar convencidas e presunçosas, mas mostrem orgulho no que são e no que conseguem fazer e alcançar. Isso sim, é bonito. 🙂

A parte mais “tricky” é encontrar o equilíbrio perfeito entre mostrar uma dose saudável de confiança em ti própria e um excesso de confiança para lá de irritante. Outra característica de que também ninguém gosta.

12. Mostra à tua amiga gira que está à “pesca de elogios” que tu percebeste o esquema dela. 

Vocês sabem ao que me refiro. É àquelas fotos legendadas “Euzinha sem maquilhagem”, “#nofilter”, “Oh God… sou mesmo feiaahhhh”. Desculpem, mas é insuportável.

13. Não deixes as tuas amigas fazerem figuras tristes. 

 
 

Amigas que são amigas dizem-vos que estamos demasiado produzidas, maquilhadas, provocantes e que… bem, estão a tentar demasiado para um primeiro encontro. (ou entrevista de emprego, já agora).
Também nos dizem quando já bebemos demais e já passámos a fazer de ter piada, que é quando já estamos a envergornhar-nos em público e a fazer figuras tristes.

14. Toda a gente tem um talento e não há talentos estúpidos.

A sério! Toda a gente sabe fazer qualquer coisa, mesmo que digam que não. Só têm que descobrir o quê. Eu sempre disse a alto e bom som que não tinha o mínimo jeito para artes manuais e olhem para mim agora: faço sabonetes, cosméticos variados e até bandoletes! (e outras coisinhas cá para casa que vos vou mostrar mais tarde).

Quando descobrirem o vosso talento- por mais parvo que achem que é- aproveitem para tentar fazer algum dinheirinho com ele! Porque não? Quanto mais estapafúrdio (leia-se, único) for, maior é a probabilidade de não haver muita concorrência no mercado.

P.S.

A Regina George é a melhor. De. Sempre. 

Ainda há tantas, mas tantas lições a retirar de Mean Girls… Mas por agora já chega. Digam-me as vossas! 😀

Se perceberam esta referência, são SUPER awesome. (e qualquer desculpa é boa para usar um gif da Jennifer Lawrence).

 

Gostaram? Que tema sugerem para o “O que aprendi com” da próxima semana? : )

You Might Also Like

11 Comments

  • Reply
    Ana Garcês
    05/02/2014 at 10:07 PM

    Ai adorei!
    (E fartei-me de rir!)

    • Reply
      Catarina
      06/02/2014 at 9:59 AM

      Eheheh obrigada! Também eu, nem imaginas! 😛

  • Reply
    Catarina S.
    06/02/2014 at 10:52 AM

    Também gosto do filme e tbm aprendi algumas dessas coisas com o filme 🙂
    Beijinhos*
    Treze Mundos
    My Photography

    • Reply
      Catarina
      06/02/2014 at 2:30 PM

      O filme é maravilhoso e hilariante! Aposto que se eu pensasse ainda mais no assunto saíam mais umas conclusões. 😉
      Beijinhos*

  • Reply
    Ju Figueiredo Silva
    06/02/2014 at 10:53 AM

    Hehe, muito bom!
    Ó pá eu nunca vi esse filme, mas ri-me imenso com as tuas conclusões..tão verdadeiras! Nós gajas somos mesmo um ser de outro mundo…não dá hipótese, eu assusto-me a mim própria!!! *

    • Reply
      Catarina
      06/02/2014 at 2:30 PM

      Ahahah obrigada! O objectivo era expor mais ou menos os “podres” das amizades femininas, mas com algum humor. 😉

      É verdade, Ju! Somos mesmo complexas. Mas acho que temos muito mais piada assim. 😀

      :*

  • Reply
    Catarina
    06/02/2014 at 2:32 PM

    Ahahaha eu também adorei este filme e todas as referências que fizeste são realmente interessantes e é a prova de que, todos os filmes tentam passar alguma mensagem, e se estivermos atentas podemos tirar deles vários ‘ensinamentos’ 🙂

    Beijinhos,
    Catarina.

    http://www.day-dreamer.pt/

  • Reply
    Nancy Wilde
    06/02/2014 at 3:48 PM

    Mean Girls, apesar de ser bombardeada com gifs no tumblr, nunca vi :X
    Quanto à tatuagem, acho que basta ires a alguém competente^^ E as clutches, eu incorporei o link da loja Etsy onde as podes comprar :)*

  • Reply
    Adriana Gonçalves
    06/02/2014 at 9:06 PM

    Esse é daqueles filmes que também marcaram a minha juventude. Ri-me bastante com ele, mas, não é dos meus favoritos. Quanto a todos os tópicos, concordo com tudo. Mesmo sem ter analisado assim perante o filme, eu acho que esses ensinamentos vamos adquirindo ao longo do tempo. As próprias pessoas ensinam-nos, porque erramos várias vezes. Eu agora ando numa fase em que tudo o que digo, interpretam mal ou simplesmente dizem que estou a ser demasiado agressiva. Por vezes, já nem digo e sei que faço mal, mas já estou numa fase que penso “não vale a pena” e fico na minha. Claro que como sou transparente, consigo mostrar que não estou bem e o que também é mau, porque começa tudo a perguntar-me ” estás bem?” , quando aquela pergunta ainda me irrita mais que tudo. Será normal? Só uma fase?
    Não sei, talvez como finalista sinta-me um pouco pressionada e acabo por “descarregar” um pouco em todos os que me rodeiam. Ou será que estou a mudar e nem percebo como nem porquê?
    Ai ai, desculpa este desabafado mas depois de tudo aquilo que escreves-te foi o que me veio à alma.
    Beijo querida, ☆

  • Reply
    Blackbird
    06/02/2014 at 10:49 PM

    Eu já vi esse filme mas já foi há bastante tempo por isso de pouco me lembro. Fiquei com vontade de ver novamente, após ler o que tu aprendeste!

  • Reply
    Raquel Dias da Silva
    03/10/2016 at 11:15 PM

    Cat, Mean Girls marcou a minha adolescência. Tenho uma amiga, a Rita, que adora bom cinema e, ainda assim, Mean Girls faz parte da lista de filmes dela que toda a gente devia ver. A Regina George é a minha personagem preferida também.

  • Leave a Reply

    CommentLuv badge