advice,  Work

10 tips to turn your hobby into a business

Hoje em dia, transformar um hobby num negócio é cada vez mais frequente. Também é frequente culparmos a crise (e o Governo) por todos os males deste Mundo, mas temos que ver, por outro lado, que foi também por “culpa” da crise que foram criadas empresas e ideias verdadeiramente inspiradoras.

Em Agosto de 2012, lancei a NatusPurus juntamente com a minha tia. O que conseguimos até hoje com a nossa marca é algo que nunca pensei ser possível, nem muito menos projectei antes de partir para esta aventura. Não é que seja uma grande autoridade nesta área, mas acho que adquiri algum conhecimento que poderá ser útil a quem está a pensar lançar algo seu. Como sempre, quero partilhar com vocês!

1. Às vezes o que custa é começar

Dá mais trabalho pensar em algo para fazer e poder monetizar do que pegar em algo que já fazemos (bem) e monetizar. Se tiverem a sorte que eu tive, serão, um dia, possuídos por uma ideia genial que chega inesperadamente e que vocês sentem sem qualquer dúvida que pode resultar.

Se esta inspiração repentina nunca chegar, pensem naquilo que gostam ou gostariam de fazer. Se não possuem ainda algum talento (que também era o meu caso), procurem fazer algo para mudar essa situação (já lá vamos).

Algumas das áreas em que poderão começar um pequeno hobby-negócio são:

  • Artes manuais, fotografia/vídeo, ensino e formação, consertos/prestação de serviços (costura, etc.), moda e costura, culinária e pastelaria, assistência pessoal, babysitting, pet-sitting/ dog walker, “faz tudo” (como o Moço de Recados, conhecem?)

2. Torna-te realmente bom naquilo que fazes

É verdade, toda a gente diz que fazes uns cupcakes muito bons. Mas tens a certeza de que são suficientemente bons para o mercado? O que satisfaz perfeitamente a nossa família e amigos, pode não satisfazer um cliente que paga por um serviço. Antes de decidires transformar o teu hobby num negócio, aconselho sempre um workshop na área em que pretendes fazê-lo. Para além de poderes aperfeiçoar a tua arte, garanto que vais ficar com muito menos (ou nenhumas) dúvidas sobre se deves ou não seguir em frente com a tua ideia.

Investir num workshop pode fazer-te poupar centenas de euros, pois se chegares à conclusão de que não tens assim tanto jeito para a coisa, não vais fazer grandes investimentos em material para o teu negócio.
Hey, temos que pensar em todas as possibilidades! Mas tenho a certeza de que vão descobrir mas é que já deviam ter feito isso há mais tempo. : )

3. Pede ajuda 

Se achares que transformar o teu hobby num negócio é um passo muito arriscado e demasiado exigente para dares sozinho, podes sempre arranjar um sócio/sócia! Pensa em amigos ou familiares que possam estar interessados.
Se funcionas melhor sozinho, mas durante o teu percurso o trabalho for demasiado para ti, podes sempre incluir alguém mais à frente. Aqui não há regras; quem tem o seu próprio negócio, é o seu próprio chefe.

4. Faz um check-up às tuas finanças

Para começares um negócio- mesmo que seja um pequeno negócio- vais precisar de fazer um investimento, por mais pequeno que seja (para comprar material, comprar um domínio na internet, etc.). Antes de gastar dinheiro no teu novo negócio, faz um check-up às tuas finanças para determinar quanto podes gastar inicialmente.

5. Estuda o mercado 

Antes de lançares o teu negócio, diverte-se a ver páginas e sites dentro da área em que estás a pensar lançar o teu negócio. Para além de ganhares inspiração, ficas com a plena noção do que está a ser feito por diversas pessoas e marcas. Isto será muito útil para inventares formas de te diferenciares da concorrência. Não te preocupes, não vais inventar nada de novo (em princípio), mas a forma como fazes os teus produtos, faz toda a diferença em destacá-lo dos outros que já existem no mercado.

6. Escolhe uma plataforma de venda na internet

Não é obrigatório criares uma página no Facebook, embora aconselhe, pois torna o teu negócio mais facilmente encontrado pelas pesquisas do Google. Ah, e mesmo que não sejas fã desta rede social, não podes negar o seu esmagador sucesso junto de praticamente todas as faixas etárias. Isto não quer dizer que não possas ter uma loja online fora do Facebook   com um ar mais profissional e clean. Investiga as plataformas mas utilizadas para vendas online e escolhe a que melhor se adequar a ti. Podes fazer uma loja online com um template de eCommerce no WordPress, por exemplo, ou uma loja na Etsy, na Ticktail (que é gratuita), no Jumpseller (eu tenho lá a minha), entre outras.

7. Não te limites 

Não estou a falar, por exemplo, de serviços de design, mas se o que estiver em causa forem produtos, tenta sair também da internet. Ou seja, não limites as tuas vendas à internet: envia emails, vai a lojas com produtos para mostrar e, se possível, com um catálogo feito por ti de tudo aquilo que fazes. Em suma, arranja parcerias e lojas onde possas pôr produtos à venda nem que seja à consignação.

8. Estabelece um horário de trabalho 

Quando temos o nosso próprio negócio começamos por pensar “olha que maravilha, posso dormir até às horas que quiser e trabalhar só quando me apetecer”. O problema, à medida que o tempo vai passando e o volume de trabalho aumentando (o que é muito bom sinal) é que vais queres trabalhar cada vez mais. Nem duvides! É algo teu, criado por ti e que vês crescer, por isso vais querer trabalhar continuamente para dar resposta a todos os pedidos de todos os clientes que vão aparecendo e vais querer estar sempre a inovar e a criar novos produtos.

A dica aqui é saber quando parar. Acorda a horas decentes e tenta cumprir um horário de trabalho “tradicional” com tempo para algumas pausas.

9. Regista tudo: controla todas as saídas e entradas de dinheiro

Isto parece óbvio, não parece? Mas muita gente ainda sem experiência, atribui uma importância enorme ao registo de despesas (o que não está incorrecto), mas esquece-se de registar as receitas. É natural que, quando fazem uma venda de 100€ ou mais, tenham a sensação de que está a entrar imenso dinheiro, especialmente numa fase muito amadora do vosso projecto, mas se não registarem o dinheiro que fazem, não vão perceber se estão a ter prejuízo ou não.

Às vezes é nas pequenas coisas que gastamos imenso dinheiro, mas como são gastos esporádicos e, quiçá, espaçados, não nos parecem muito significativos, pelo que facilmente caímos na esparrela de acreditarmos que gastamos menos do que o que estamos a ganhar.

A minha dica aqui- e para a vida pessoal também- é registar tudo isto onde vocês quiserem. Eu como sou uma pessoa metódica e com a mania da organização (porque gosto de controlar tudo e saber sempre onde estão todas as coisas e onde gasto cada cêntimo) uso um software de gestão de finanças pessoais, neste caso, o Boonzi.

Estas duas imagens dizem respeito às despesas e receitas (por categoria) num período não especificado da NatusPurus.

Erros que detectei desta leitura e que são de evitar no mês seguinte: não usar a conta da NatusPurus para gastos pessoais (comida e telemóvel, neste caso…). Não foram graves, mas o melhor é não abrir precedentes.

Assim é difícil escapar-vos alguma coisa. : )

Antes que me perguntem, não, o Boonzi não é um software gratuito, mas tem uma versão gratuita (Boonzi Light).

De qualquer forma, se quiserem experimentar o Boonzi gratuitamente durante 30 dias (sem limite de funcionalidades), podem fazê-lo aqui.

10. Não tentes conquistar o Mundo todo de uma só vez 

Podes não atingir grande sucesso logo de início, tens que te mentalizar de que essa é uma possibilidade. Caso contrário, podes bem vir a enfrentar uma crise de motivação. Para além disso, é normal que assim seja, porque ainda te falta “criar marca”. Faças o que fizeres, fá-lo devagar e bem. Não tentes logo aparecer em todo o lado e produzir para todo o tipo de target, que é como quem diz “não tentes agradar a gregos e a troianos”. Especializa-te em algo e torna-te excepcional nisso antes de tentares expandir o teu negócio ou linha de produtos.

Espero que tenham gostado destas dicas e que vos possam ser muito úteis.

Já agora, há por aí alguém a pensar em transformar alguma actividade ou hobby no seu pequeno negócio?, ou alguém que já o tenha feito e que queira partilhar também algumas dicas? 🙂

20 Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *