mejores doctores en América Dapoxetina elección de plan de seguro médico
9 In books

Os 5 melhores e piores livros da minha vida – Dia Mundial do livro

Feliz Dia Mundial do livro meus queridos leitores (deste blog e de livros, pois claro)! Esta é uma efeméride que me apetece verdadeiramente celebrar e que melhor forma de o fazer aqui no blog do que listar o meu top 5 de melhores e piores livros? Pelo menos dos que já passaram pelas minhas mãos, estes foram os que causaram mais impacto (ou não).
Já agora, obrigada Sofia por teres lançado o desafio! 😀

Os melhores

1. As Brumas de Avalon – Maria Zimmer Bradley

Começo este top já com uma batota: “As Brumas de Avalon” não é o título de um livro, mas sim de uma saga de quatro livros. Estes quatro livros são quatro dos livros da minha vida e que me acompanharam na transição de pré para adolescente. De alguma forma, ajudaram-me a ser a pessoa que sou hoje, pois moldaram a minha mente e a capacidade de sonhar e imaginar numa fase tão determinante da vida, em que estamos a moldar a nossa personalidade.
Porém, estes não são livros juvenis, antes pelo contrário, mas eu adorava-os na mesma porque sempre adorei as lendas Arturianas (do rei Artur). Em As Brumas de Avalon, conhecemos mais acerca da lenda do Rei Artur aos olhos das mulheres, sacerdotisas de Avalon, entre elas a meia-irmão do rei, Morgana.

Vale muito a pena! Aliás, valem os quatro muito a pena!

2. A Incrível e Triste História da Cândida Eréndira e da Sua Avó Desalmada – Gabriel García Márquez

O que eu adorei ler este livro! Composto por pequenas short stories, este é um livro delicioso e quente, perfeito para ler na praia no verão, pois leva-nos a terras de calor e cores e apresenta-nos personagens únicas e inesquecíveis. É um livro pequeno e, em geral, fácil de ler, excepto numa das histórias em que o escritor decidiu não usar vírgulas nem pontos finais. 😛
Se quiserem ler a minha review deste livro, podem lê-la aqui.

3. Adeus, Tsugumi – Banana Yoshimoto

A Banana Yoshimoto é das minhas autoras favoritas e das quais praticamente nunca falo. Grande erro.
Durante um estágio que fiz na Bertrand há muitos anos atrás, tive que ir dar assistência por umas semanas à loja de Picoas na altura do Natal em que tinham que expedir imensas encomendas e foi aí que me deparei com um pack de quatro livros desta autora que, na altura, não conhecia. Não, não eram uma saga, cada um era um livro “sozinho”. Achei barato: 20€ por quatro livros, e levei-o comigo para casa, longe de saber que tornaria a minha vida melhor e mais rica.
Creio que os autores japoneses têm uma forma diferente de escrever e de contar histórias e eu gosto disso. Sinto-o na escrita de Banana Yoshimoto também e foi o que me fez colar logo no primeiro livro que li dela, que foi o A Última Amante de Hachiko. Posso ter eleito o Adeus, Tsugumi como um dos meus favoritos, mas estava super indecisa entre esse e o Kitchen, talvez o livro mais conhecido desta autora.
Os livros de Banana Yoshimoto são pequeninos e deliciosos de ler, por isso não há nenhuma razão para não lhes darem uma hipótese!

4. As Virgens Suicidas – Jeffrey Eugenides

Li este livro já depois de ver o filme da Sophia Coppola quando tinha 16 anos. Era uma miúda torturada, no pico da adolescência, que escrevia imenso e adorava ler e aquele livro fez todo o sentido naquela altura. A melancolia, mistério e até tristeza que se sentem durante a leitura, fizeram as delícias da Catarina adolescente. Sabem qual é o tema do livro, certo? Cinco irmãs decidem suicidar-se sem motivo aparente e a história é contada pelos rapazes do bairro, que as observavam à distância. É um dos livros mais misteriosos que já li!

5. Trainspotting – Irvine Welsh

Para mim, o Trainspotting é e sempre será das melhores coisas de sempre, tanto o filme como o livro. Vi o filme aos 15 anos (too soon? Nahhh) e li ao livro aos 18, quando um amigo mo ofereceu nos anos. A minha edição é maravilhosa e vem escrita em “escocês”, ou seja, tal e qual como eles falam. Difícil de ler? Sim, mas tornou a leitura e a história ainda mais genuínas. Pode parecer estranho dizer iso, mas o Trainspotting é das histórias da minha vida.

Os piores

Achei que um top 5 dos meus livros favoritos não era suficiente para comemorar o Dia Mundial do Livro nem sequer seria realista, porque nem todos os livros são bons. Certo? Eu certamente não gostei de todos os que já li, mas estes foram – de longe – os piores ou menos memoráveis.

1. Lobas do Mar – Zoé Valdés

Este livro tinha tudo para resultar: piratas, melhor, mulheres piratas e uma história passada na Era Dourada da pirataria algures no século XVII/XVIII. My kind of thing. No entanto, a história é tão mal conduzida e a escrita tão aborrecida, que acabou por estragar tudo para mim. Uma pena.

2. A Pirata – Luísa Costa Gomes

Comprei este livro no final do ano passado e li-o em Fevereiro deste ano. Ironia das ironias: é sobre as mesmas mulheres pirata de que fala o “Lobas do Mar”, mas achei “hey, não vão estragar esta história duas vezes”. Enganei-me.

3. As Senhoras de Grace Adieu – Susanna Clarke

Outro livro que tinha tudo para dar certo, mas não deu. Acabei de o ler ainda este mês após uns anos na minha prateleira. Achava que ia gostar tanto deste livro que adiei a leitura para um momento mais “especial”. Pois, não valeu a pena. Para um livro que consiste em short stories relacionadas com o folklore inglês e irlandês, foi terrível. As histórias em si começavam sempre bem, não houve nenhuma que não tivesse potencial para ser fantástica, mas depois o final deixava-me sempre “what the fuck?!” por nunca terem um final decisivo e, em alguns casos, sequer relacionado com a história. Noutras palavras, finais nada a ver. Que frustração no final de cada história. O que me deixa perplexa é a nota no Goodreads, que é óptima! Não sei como…

4. Olhos Azuis, Cabelo Preto – Marguerite Duras

Este livro não é exactamente mau, é mais na onda do nada memorável. Não tenho nada a dizer sobre ele porque simplesmente não me lembro de quase nada, excepto talvez ser incrivelmente melancólico (não no bom sentido) e só ter duas personagens, um casal muito chato.

5. As 50 Sombras de Grey – E.L.James

Eww. Just eww. Não quero ofender ninguém que tenha lido e gostado deste livro/trilogia, mas na altura em que saiu em Portugal a editora enviou-me um exemplar e comecei a lê-lo, mas tive que o deixar a meio (coisa que nunca fiz propositadamente com mais nenhum livro). Eu tentei, a sério que tentei, mas aquilo é mau. Muito mau. Não sei se é da tradução, mas achei a escrita tão infantil e imatura… num livro com tantas cenas de sexo é bizarro estarem escritas daquela forma. Parece ter sido escrito por uma adolescente virgem de 15 anos que imagina como será o sexo e tem o sonho de ser escritora. É isto. Falta experiência na escrita, nada parece ter sido vivido na 1ª pessoa, o que por sua vez retira autenticidade à coisa. Oh well.

Os vossos melhores e piores livros…

Quais são? 😀
Contem-me tudo! Já agora, vão celebrar o dia de hoje ao comprar algum livro especial?

You Might Also Like

9 Comments

  • Reply
    Sofia Costa Lima
    23/04/2017 at 5:28 PM

    Nunca consegui passar do 2.º volume d’As 50 sombras… e já acho que li muito! Provavelmente esses dois também estão na minha lista de piores livros… juntamente com o “Prometo Falhar”, do Chagas Freitas!

    Obrigada por teres participado! 😀

    • Reply
      joan of july
      24/04/2017 at 4:46 PM

      Ahahaha sim, já leste muito! Eu não consegui sequer acabar o primeiro… damn, que mau.
      Obrigada eu por me teres convidado, sabes que adoro desafios com livros. 😉

  • Reply
    Francisca B.
    24/04/2017 at 12:02 AM

    Eu nem consegui acabar de ler as As Senhoras de Grace Adieu xD a sinopse parecia tão boa e depois que desilusão! E concordo contigo em como os japoneses têm uma forma tão diferente de ver a vida. E adoro isso também. 5 que me marcaram: Lord of the Rings, Pride and Prejudice, O Líder Sem Título, Em Busca do Carneiro Selvagem, Paris é uma Festa 🙂

    • Reply
      joan of july
      24/04/2017 at 4:48 PM

      Nem conhecia mais ninguém que já tivesse lido (ou tentado, vá) As Senhoras de Grace Adieu. Caramba, fiquei mesmo desiludida, achei mesmo que ia gostar.
      Obrigada pela tua partilha, Francisca. 🙂
      Vou investigar esse “Em Busca do Carneiro Selvagem”.

  • Reply
    Ana Teles
    24/04/2017 at 12:08 PM

    Uma amiga minha (tradutora) traduziu o filme e, para isso, leu o livro para facilitar a tarefa. Ficou enervadíssima com a péssima qualidade da escrita e mas a história revoltou-a ainda mais por considerar que era uma relação abusiva e ainda haver quem ache que é uma belíssima história de amor. UGH!
    Ana Teles recently posted…DIY | palette coastersMy Profile

    • Reply
      joan of july
      24/04/2017 at 4:49 PM

      Ui, eu aqui só falava da escrita, mas sim, há muito para dizer sobre essa relação… Não vi amor nenhum.

  • Reply
    Catarina Gralha
    25/04/2017 at 5:29 AM

    Eu podia ficar a falar de livros horas e horas seguidas, sem dar pelo tempo passar… Curiosamente, nunca li nenhum dos livros que tens aqui, nem os melhores nem os piores! Mas já ando há uns tempos para ler As Brumas de Avalon.

    É muito difícil escolher os meus livros preferidos… Porque ainda são alguns! Adorei O Principezinho e já o reli algumas vezes. Todos os livros do Tolkien são, para mim, uma perdição. Assim como a maior parte dos livros de Saramago e de George Orwell. Acho que vou mais por escritores do que por livros. Há uns quantos escritores cuja obra literária completa são completamente a minha praia.
    Catarina Gralha recently posted…4 dias de comboio entre Moscovo e Irkutsk: a vida sobre carrisMy Profile

    • Reply
      joan of july
      25/04/2017 at 11:06 AM

      Eu e tu, eram horas em tertúlia literária! Eheheheh
      Oh, eu deixei tantos de fora só para fazer um “top 5”. E só deixei de fora os do Harry Potter – por exemplo – porque esses eram muito óbvios. 😛
      Mas lê As Brumas de Avalon, sim! Que delícia de livros. Eu devia relê-los em adulta. 😀

  • Reply
    Abanar do Ser
    30/04/2017 at 4:17 PM

    Confesso que é difícil eleger um livro mau, isto porque quando não me agradam deixo de os ler imediatamente. As “50 Sombras” ofereceram-me (nunca compraria aquele género erótico light) e infelizmente não vinha o talão de troca, comecei e nem a meio cheguei. “O principezinho” não gostei, foi dos poucos que tentei ler uma primeira vez e desisti, anos depois, pelo trabalho, tinha um senhor no lar que queria saber o porque de tanto gostarem dele e li-lhe, no fim nenhum de nós gostou (foi o único livro que não gostei verdadeiramente e li-o todo, talvez tenha lido tarde de mais). Outro que li completo, mas não gostei como terminou foi o “Submissão” Michel Houellebecq, desiludiu-me o final da estória.
    Adoro ficção científica, distopias e biografias. Também li “As virgens suicidas” e foi dos poucos que me agradou o livro e o filme (ainda ontem revi o filme). Outro livro que gostei bastante e marcou-me umas férias de verão foi “Amor em tempo de cólera”, mas odiei o filme. Adorei, também, porque é a biografia de 2 filósofos que gosto bastante, o livro “Tete-a-Tete: Simone de Beauvoir and Jean-Paul Sartre” (marcou uma fase muito importante da minha vida). Trilogias gostei do “Senhor dos Anéis”, do “Millennium” (adoro a heroína) e da coleção da “Guerra dos Tronos”… Haveriam muitos mais para eleger como preferidos mas isso implicaria um texto maior do que este.
    Muito Obrigada pela partilha. :-*
    Abanar do Ser recently posted…MagazineMy Profile

  • Leave a Reply

    CommentLuv badge