Suíça: Interlaken e o miradouro Harder Kulm a mais de 1300 m de altitude

Posted on

Chegou finalmente a hora de vos falar sobre a minha viagem à Suíça, especialmente porque ainda está bem fresquinha na memória (e não só pela neve que por lá vi :P).
Como sempre que vos escrevo acerca de uma viagem minha, vou começar pelo início cronológico da viagem.
Na verdade, o início foi mesmo Genebra, onde aterrei pela TAP, mas o destino inicial sempre foi, para nós Interlaken. Descubram porquê.

Antes de mais: comprámos logo o Swiss Travel Pass

Assim que chegámos a Genebra, fomos logo comprar um Swiss Travel Pass, um passe para andar em vários transportes por toda a Suíça durante um tempo limite, que pode ser durante 3, 4, 8 ou 15 dias. No espaço de tempo em que o vosso Swiss Travel Pass (STP) é válido, têm praticamente (se não todos) os transportes à borla, assim como entrada à borla em vários museus e muitos descontos que fazem com que este passe valha mesmo a pena, apesar de ser caríssimo (custa quase 300€ para três dias). Mas acreditem, compensa especialmente se, como nós, quiserem ir à montanha Jungfrau, cujo bilhete de comboio só para lá custa mais de 150€. Com o Swiss Travel Pass temos um desconto de 25% (se não me engano) neste bilhete para Jungfrau, mas as vantagens não ficam por aqui. À medida que for escrevendo mais sobre a viagem noutros posts, mostro-vos de que forma o STP compensou. 🙂

Confesso que, embora estivesse reticente em relação à compra do STP, acabei por concordar que foi o melhor que podíamos ter feito, porque na verdade passámos o tempo a andar de comboio de um lado para o outro, o que sem o STP, nos teria saído muito mais caro.

Hallo, Interlaken!

Depois de quase três horas a andar de comboio – já com o Swiss Travel Pass – de Genebra até Interlaken, lá chegámos, mas não sem antes de termos já ficado com um gostinho do que seria o resto da nossa viagem. Ao andar de comboio, acaba por se ver tantas paisagens lindíssimas… cada vez acho mais que vale a pena andar de comboio em viagem; já na Irlanda tive essa experiência de poder apreciar as paisagens a caminho de um dos nossos destinos.

Ver as paisagens através das janelas do comboio antes de chegarmos ao destino é como se estivéssemos a ver o trailer de um filme que há muito aguardamos.

Escolhemos Interlaken como a nossa “sede” em viagem por ser um excelente ponto de entrada para os Alpes suíços, algo que uma pesquisa prévia à marcação da viagem revelou e que se confirmou plenamente.
Interlaken situa-se na parte alemã da suíça e o seu nome significa – literalmente – “entre os lagos“, sendo eles os lagos Thun e Brienz.

Primeiras impressões de Interlaken

Já agora, uma coisa em que reparei enquanto ainda estava no avião, prestes a aterrar, foi que a cor dos rios/lagos era diferente na Suíça. Até achei que pudesse ser impressão minha, mas enquanto estava na viagem de comboio rumo a Interlaken, constatei efectivamente que os lagos têm uma cor muito diferente da água em Portugal. A cor é mesmo esta na foto abaixo, parece cor de pedra preciosa, de coisas gélidas e anciãs; a cor é simplesmente linda.

As nossas primeiras impressões de Interlaken foram muito positivas; assim que saímos da estação de comboios fomos logo brindados por um céu azul e vimo-nos rodeados de montanhas enormes, algumas carregadas de neve, outras não, mas igualmente imponentes. Eu já tinha ido até lá meia maluca com a vista das montanhas geladas, entusiasmada como se fosse uma criança, portanto assim que cheguei a Interlaken e me vi tão perto delas, não pude deixar de abrir muito os olhos e de sorrir de orelha a orelha.

Para além disso, no céu azul acima de nós encontravam-se também dezenas de pessoas a fazer paragliding (não sei a palavra em português para isto, desculpem-me). Paragliding é toda uma cena em Interlaken! Todos os dias vêem-se dezenas e dezenas de turistas a voar pelos céus com – não duvido nada – uma vista de cortar a respiração a toda a volta e abaixo deles. Deve ser incrível.

Em termos de restaurantes é que Interlaken deixou algo a desejar. Há imensos restaurantes asiáticos, muitos com os menus e as informações escritos apenas com o alfabeto deles, o que torna as coisas um bocadinho difíceis para nós. Mas também estávamos à procura de comida típica da região, como costumamos fazer sempre que viajamos e então encontrámos o Bebbis.

Apesar de lá termos encontrado a comida tradicional que procurávamos, isso não quer dizer que tenha sido boa. Não vos vou mentir, não comemos bem na Suíça. Podemos ter tido azar, mas é a verdade.

O miradouro Harder Kulm e o meu ataque de pânico a subir até lá

O Harder Kulm é um miradouro situado a 1322 metros de altitude com uma vista privilegiada e panorâmica para toda a extensão de Interlaken e de onde se vêem ambos os lagos que a rodeiam, bem como as montanhas Eiger, Mönch e Yungfrau.

A subida para Harder Kulm faz-se de duas formas: ou a pé ou por um funicular. Os bilhetes para o funicular custam 16 CHF (13.80€) cada um (ida e volta), mas com o desconto do Swiss Travel Pass ficam a 13.80€ ambos. Que maravilha! Ah, não fosse o facto do funicular ser simplesmente assustador para quem tem um certo pavor de elevadores e coisas parecidas. Infelizmente é o meu caso e sofri horrores a subir aquilo. A inclinação é horrorosa e não havia sítio para onde pudesse olhar sem me sentir invadida por um sentimento de pânico.

Agora, para as pessoas normal é óptimo… Ao menos é rápido, pronto…

Mas… a vista lá de cima compensou!

 

Alojamento e vistas de Interlaken

A região de Interlaken é muito bonita, deixem-me que vos diga. Nós ficámos alojados no Sunny Days Bed & Breakfast, uma casinha bem gira e bem ao estilo suíço, com um atendimento muito caloroso e um pequeno-almoço delicioso. Na Suíça faz todo o sentido escolherem um sítio confortável e com todas as comodidades importantes para vocês quando se encontram em viagem, pois tudo fecha muito cedo e em Interlaken não existe exactamente vida nocturna.

O Sunny Days fica muito perto da estação de Interlaken West (também há uma Interlaken East, do outro lado da vila) e chegávamos lá a pé em dois ou três minutos, o que faz da localização deste bed & breakfast perfeita.

Deixo-vos então com mais algumas fotos de Interlaken antes de concluir este primeiro post sobre a viagem à Suíça.

     

E assim concluo o primeiro post sobre a minha viagem à Suíça, que fiz no mês passado. Alguém está a pensar ir lá? Há alguma coisa que queiram perguntar? 🙂

6 Comments

  1. Joana Sousa says:

    Ai Suiça <3 quero muito ir lá – até porque a irmã do meu namorado vive lá, o que ajuda :p – mas não tem sido fácil (€€€ xD). Mas caramba. As vistas valem a pena!
    Joana Sousa recently posted…#causemyfriendssaidso | Wishlist: Home editionMy Profile

    1. Catarina Alves de Sousa says:

      O facto de teres onde ficar já ajuda muito (€€). Mas sim, vai preparada na mesma, é tudo caríssimo (mas vale mesmo a pena). As paisagens são das mais bonitas do mundo. Sem palavras.

  2. Catarina Gralha says:

    Os comboios são o meu meio de transporte preferido, e é bom ver que outras pessoas também percebem as suas vantagens 🙂 Como costumo dizer, é fantástico porque podemos ver as paisagens lindas lá fora e não se apanha trânsito!

    Quanto a Interlaken, estive lá algumas horinhas em 2014, quando fui à Suíça visitar um amigo meu. Não deu tempo para ver muita coisa, mas adorei as montanhas! Já na altura havia imensa gente a fazer parapente (é assim que se chama em português :P). Tive pena de não o ter feito também, mas não houve tempo.
    Catarina Gralha recently posted…Sobre as agências e visitas organizadas na MongóliaMy Profile

    1. Catarina Alves de Sousa says:

      Parapente, é isso mesmo, obrigada Catarina! 😀 Eheheheh

      Normalmente não adoro andar de comboio, só mesmo em viagens, mas neste em especial valeu muito a pena. 🙂
      Espero que consigas voltar à Suíça com mais tempo. Até eu espero voltar lá com mais tempo! Ainda há muito para ver; fica sempre algo por ver, aliás. 🙂

  3. Daniela Soares says:

    Acho que sonho com essas paisagens desde o tempo em que via a Heide. Devem transmitir uma calma e serenidade incriveís! Para ajudar à festa ainda há o chocolate maravilhoso, tudo perfeito!:p

    Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

    1. Catarina Alves de Sousa says:

      Oh, sim, o chocolate aliado a estas paisagens é a cereja no topo do bolo! Então se for quente, melhor ainda. 😉

Leave a comment

Your email address will not be published.

CommentLuv badge