Suíça: Thun e Oberhofen (lagos e castelos)

Posted on

Está na hora de voltar aos relatos da viagem à Suíça. Com este segundo relato de viagem, levo-vos comigo à lindíssima cidade de Thun e um castelo, o Oberhofen. Pelo caminho vamos passar por montanhas nevadas e lagos do verde mais bonito que já vi.

Thun

A nossa visita a Thun foi programada; a cidade é pequena e tem alguns pontos de interesse e vistas lindíssimas para os lagos e para os Alpes, pelo que fizemos dela paragem obrigatória.
O dia que escolhemos para a visitar teve uma explicação: o tempo estava demasiado mau para irmos a Jungfraujoch (uma montanha cheia de neve e uma das grandes metas da nossa viagem), pois não havia lá visibilidade nenhuma nesse dia. Então optámos por ir antes a Thun e deixar Jungfraujoch para o dia seguinte quando a previsão meteorológica era mais favorável.

Munidos do nosso Swiss Travel Pass, fizemos novamente uso dos fantásticos comboios suíços e rumámos a um dos nossos destinos do dia. Thun fica a cerca de trinta minutos de Interlaken, uma viagem que parece ainda mais curta, uma vez que simplesmente não é possível não irmos distraídos e encantados pela paisagem. Perdi a conta às vezes em que me apeteceu parar e sair do comboio para contemplar de mais de perto o lago ao longo do qual viajámos. Mais uma vez vos digo: a cor dos lagos na Suíça é diferente, é linda e nunca tinha visto nada assim. A paisagem verde-esmeralda dos lagos complementada com as montanhas dos Alpes torna-se verdadeiramente irresistível.

Registos históricos mostram que a fundação da cidade de Thun remonta a 2500 a.C., pelo que não há dúvidas de que é uma cidade com muita história e que, apesar do tempo, manteve sempre o seu charme.
Uma das características desta cidade são as calçadas, diferentes das calçadas cobertas de Berna e únicas na Europa. Para nos deslocarmos de um lado para o outro em Thun andámos a pé, pois anda-se muito bem assim. Para quem gosta de andar, aconselho também a subida ao castelo por dentro das muralhes, na parte inferior da cidade antiga.

 

O castelo de Thun

O castelo de Thun, o tal a que se pode subir através das muralhas da cidade, foi construído em 1190 pelos duques de Zähringen. O seu nome oficial – apesar de ser conhecido como “Castelo de Thun” é, de facto, Zähringen Schloss (“schloss” é castelo em alemão).

Algumas informações sobre o castelo:

  • Horário de funcionamento: de Abril a Outubro, das 10:00h às 17:00h | de Novembro a Janeiro – aberto apenas aos domingos das 13:00h às 16:00h | Fevereiro e Março: todos os dias das 13:00h às 16:00h
  • Entrada: Adultos 10 CHF | Estudantes & Seniores : 8  CHF | Crianças: 3 CHF
  • Grátis com o Swiss Travel Pass

Apesar de ser grátis com o Swiss Travel Pass (que nós tínhamos), optámos por passar a visita a este castelo à frente, visto termos um dia cheio pela frente e, por isso, sermos obrigados a fazer algumas escolhas difíceis. Por outro lado, assim que chegámos ao castelo não senti grande vontade em entrar, pois pareceu-me demasiado “arranjado” por dentro. Por fora o castelo é lindo e bem conservado, mas por dentro pareceu-me demasiado modernizado, tendo perdido a antiguidade que poderia ter sido conservada parcialmente. Hoje em dia, o interior funciona como museu de história e é até alugado para casamentos e eventos particulares.

Para confirmar (ou não) as minhas suspeitas, decidi entrar numa igreja ao lado do castelo, uma igreja bastante antiga, com séculos de existência, embora não me lembre exactamente da data de fundação.
Por dentro era assim:

Infelizmente, confirmou-se: os monumentos podem ser muito antigos, mas por dentro estão demasiado recuperados e modernizados. É uma particularidade minha, eu sei, mas… não gosto. :/
É por isso que gosto tanto dos monumentos dos países do Reino Unido (em geral).

Oberhofen

Esta é a parte da viagem em que tirei algumas das minhas fotos favoritas do ano, incluindo esta que o P. me tirou e que publiquei no Instagram.

Do centro de Thun até Oberhofen fomos de autocarro. Este era um castelo que já sabíamos que queríamos visitar desde que andávamos a planear a viagem, ainda em Portugal. A imagem daquela torre sobre a água não abandonava a minha mente e estava desejosa de ver aquele cenário idílico pessoalmente.

Enquanto castelo, o Oberhofen remonta ao séc. XIII, com a sua fortaleza medieval e a sua torre do lago, a tal que eu acho lindíssima.

Nestas fotos, podem ver – mais uma vez – a cor maravilhosa dos lagos Suíços e a área circundante do Oberhofen.

    

Lá dentro, este castelo é – à semelhança do Castelo de Thun – um museu histórico, com várias salas (antigos quartos e outros compartimentos do castelo) transformadas em exposições de armaduras, de sumptuosas salas de jantar e banquetes, bibliotecas, um salão oriental, etc.

As vistas de dentro do castelo para o lago Thun são absolutamente incríveis…

Adoro este tipo de pormenores na decoração. 🙂

Quando visitámos o castelo Oberhofen havia lá uma exposição que reconstituía a vida e o dia-a-dia dos criados do castelo no início do séc. XX (se não me engano) e foi das minhas favoritas, nem sei bem porquê. Os quartos eram verdadeiramente amorosos, tipo Ikea, apesar de serem uma reconstituição do início do século passado.
Aliás, tudo era amoroso, como podem ver.

Sinto que fizemos bem em passar à frente a visita ao castelo anterior e ir em frente com a visita a este. Adorei de coração tudo o que vi no Oberhofen, especialmente uma exposição de chapéus antigos! (embora quase nenhum me tenha servido porque tenho basicamente um cabeção).

    

Horário de funcionamento do castelo de Oberhofen:

de Maio a Outubro –> fecha à segunda-feira.
–> de terça a domingo das 11:00h às 17:00h

Espero que tenham gostado deste segundo relato da viagem à Suíça. Vêm aí mais alguns e estamos quase quase a chegar à neve e aos Alpes! 😀

4 Comments

  1. Helena dos Santos Pereira says:

    Bem, que vistas de tirar o fôlego e que fotografias incríveis.
    Eu sou como tu, também não aprecio muito quando os castelos, palácios ou que for tenham o aspecto original por fora e estejam completamente reconstituídos. Acho que tira muito a graça e é como se deixasse realmente de pertencer à época em que foi construído.
    Infelizmente esta é uma tendência que anda a marcar e marcará cada vez mais o Porto, sendo que todas as reconstruções devem apenas permanecer com a mesma fachada e o interior pode ser totalmente alterado.

    Lena’s Petals xx

Leave a comment

Your email address will not be published.

CommentLuv badge