Lisboa,  out and about,  personal

Descobertas de um fim de semana preenchido (ADAO + Festival DIY)

Esta última semana que passou foi uma autêntica loucura a nível de eventos e actividades. Confesso, ainda hoje é segunda-feira e já estou cansada (cansaço da semana que passou), mas sei que valeu a pena e entro nesta semana cheia de coisas para vos contar, mostrar e apresentar.

Se durante a semana só tive dois dias (depois do trabalho) livres, durante o fim de semana não foi nem um.

Sexta-feira

Na sexta-feira vi três concertos, a começar com Dead Combo no Centro Cultural de Belém, passando para o Lounge, no Cais do Sodré, onde vi L’Œillère, guitarrista belga, e Probosci, um duo composto por Gyan Riley (filho do compositor Terry Riley) e do violinista Timba Harris (dos Secret Chiefs 3 e dos Estradasphere, entre outros).
Foi, portanto, uma noite de concertos instrumentais. Portanto, nesta última semana vi quatro concertos (com Zola Jesus na terça-feira, 3 de Novembro, que fotografei para a Festmag).

Este vídeo dos Probosci não foi filmado na noite do Lounge, mas dá para ter uma ideia do estilo de música que tocam e do ambiente musical desta última sexta-feira. 🙂

Sábado

Sábado foi um dia igualmente preenchido.

feira-diy-2

A tarde começou com uma visita ao Idé Lisboa Creative & DIY Festival. Estava desejosa de visitar este festival de DIY, o primeiro em Lisboa, pelo que fui com algumas expectativas.
Querem saber como foi? Vou ser sincera com vocês, não fiquei minimamente impressionada. Tinha algumas coisas giras, mas maioritariamente washi tape, tecidos, coisas para encadernar cadernos, etc. Ou seja, a variedade não era muita (embora a secção de scrapbooking me tenha agradado) e o “festival” deu-se apenas em duas salas do Pestana de Santo Amaro. Uma das salas era a venda de material DIY, a outra era venda de diversos artigos já feitos, como malas para bebé, bonecas, etc.

festival-diy-lisboa

Por mim, tinha-lhe chamado “Pequena mostra de materiais de DIY” ou algo assim. Chamar-lhe festival foi um gesto ousado, na minha humilde opinião. Se soubesse que ia pagar 2,5€ para ver apenas uma sala com (pouco) material de DIY não tinha ido.

Enquanto a noite ameaçava instalar-se, rumámos à baixa para lanchar e, a seguir, partir para o Barreiro.
Porquê o Barreiro? Porque nesse sábado teve lugar o ADAO – Open Day. A ADAO (Associação Desenvolvimento Artes e Ofícios) tem lugar num antigo quartel de bombeiros (segundo me disseram) junto à estação ferroviária do Barreiro. Diversos artistas e criativos aproveitaram o espaço outrora abandonado para expor a sua arte em várias salas e torres do quartel, enquanto músicos e DJs se ocuparam das restantes salas.

adao-barreiro-2

Foi uma noite de muita criatividade e talento absolutamente brutais e que merece o seu próprio post. Quero mesmo falar-vos da ADAO com calma, para que possam comprovar por vocês mesmos que vale a pena ir a esta festa, até porque haverão outras edições.

Domingo

estufa-fria-1
Estufa Fria

Se me tinha dado jeito ficar a descansar no domingo? Talvez, mas agora que já passou vejo que foi muito melhor assim!
Já tinha combinado ir conhecer a Estufa Fria (que é linda como só ela e que merece também um post única e completamente dedicado a ela) e fotografar a Joana, a minha mais recente “modelo” a quem tirei fotos ontem.
À semelhança das sessões fotográficas anteriores, estou desejosa de vos mostrar o resultado! 😀

photoshoot-Joana

Portanto, como podem ver, foi um fim de semana em cheio! E, por isso mesmo, começo esta semana com um novo ânimo (ainda que um bocadinho cansada) e muito, muito inspirada. 🙂

E vocês, que coisas fantásticas descobriram este fim de semana? Alguém visitou o festival de DIY? O que acharam?

 

5 Comments

  • Ana

    Estava a contar ir ao Festival, mas acabei por não conseguir. E pelos vistos, ainda bem, parece que não perdi muito! (se calhar tenho mais material cá em casa!)

    • joan of july

      Acho que ias ficar mesmo desiludida, Ana, especialmente porque deves ter imenso material por causa da Tia Anica. 🙂 Não vi assim nada de novo nem de surpreendente. É pena.

  • Lúcia

    Olá Catarina e Ana não foi mesmo nada de especial. Eu fui para aproveitar o workshop de aguarela com a Ana Oliveira da Ilustrana e por isso tive que pagar a entrada, mas é pena! Também fiquei a pensar? É só isto?… Ok… Ainda por cima fui muito cedo a achar que ia ver imensa coisa… Restou o jardim lá fora e um sol espetacular 🙂 . E o workshop da Ana ter sido super animado e cheio de descobertas, mas também cheio de interrupções porque as salas não estavam assinaladas… Enfim!
    Boa semana * *

  • Catarina

    Ora bolas, eu convencida que esse festival ia ser a doideira e lá está, tal como a Ana, se calhar tenho mais material cá em casa :p é pena realmente! Podiam ter apostado na variedade, em coisas novas e que só se vêm lá fora, ter feito workshops e outras actividades do género, mas afinal parece que foi mais uma feira que um festival. Pode ser que as outras edições corram melhor 🙂

    Realmente o teu fim-de-semana foi mega ocupado! O meu também, e ontem sentia-me exactamente como tu, cansada e a precisar de uns dias para descansar do fim-de-semana. Mas feliz, porque fiz imensas coisas giras e conheci pessoas fantásticas 🙂

    Beijinhos*

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *