A Beautiful Week (semanas 9 a 12)

Posted on

Mais um mês termina e, como ele, regressa mais um A Beautiful Week, o projecto fotográfico mais bonito e no qual me tem dado tanto gosto participar. Neste último mês não foi muito fácil fotografar lá fora, pois apesar da chegada da Primavera a chuva tem sido uma constante. Fotografar no exterior só mesmo nos breves intervalos da chuva. Apesar disso, houve momentos muito bonitos este mês que passo a partilhar convosco e de acordo com os temas destas últimas quatro semanas.

logo do projecto by Palavra-Padrão

 

Vamos então às fotos por semanas e por temas, shall we? Estou com bastante vontade de vos guiar pelas minhas fotos e pelos significados. 🙂

Week 9 – Vulnerability

Para o primeiro tema deste A Beautiful Week de Março – Vulnerabilidade – pensei numa miríade de coisas. Pensei em auto-retratos (que acabei por deixar para o B&W, abaixo), em natureza frágil, animais vulneráveis na exterior… mas depois, como em várias alturas da vida, cheguei à conclusão de que, por vezes, o essencial é invisível aos olhos estava diante dos meus olhos.

Durante o meu fim de semana em família, no Porto, decidi revisitar os meus diários. São três volumes e vão desde os meus 7/8 anos aos meus 15/16. Olhei para eles, reli muitas partes e, depois, achei que seriam perfeitos para este desafio A Beautiful Week.

Há lá alguma coisa que nos deixe a sentir mais vulneráveis do que a ideia de alguém ler os nossos pensamentos, medos e desejos mais íntimos? Dificilmente.

Apesar de já terem passado muitos anos desde que escrevi num destes diários pela última vez, é uma ideia que continua a deixar-me embaraçada caso se concretize. Há coisas que merecem ficar só para nós. Para sempre.

Week 10 – Where you live

Ainda nesse fim de semana no Porto e aproveitando um intervalo da chuva, fotografei as minhas ruas e os caminhos de ferro.
Nasci, cresci e vivi no Porto durante muitos anos. Já moro em Lisboa há doze anos, mas há uma parte de mim que nunca saiu do Porto e que se recusa a admitir que não vive lá, porque – no fundo – vive, sempre viveu e sempre viverá.

Nunca irei olhar para o Porto sem ver “casa”, afinal, home is where the heart is, não é verdade? E o meu coração é como os Horcruxes do Harry Potter; está espalhado por vários lugares: Porto, Lisboa, Algarve, Escócia, Irlanda…

Week 11 – Portraits of loved ones

Esta categoria foi muito difícil para mim, confesso. Há tanta gente que podia ter fotografado. Pai, mãe, irmão, avô, resto da família, amigos, o Pedro, os meus gatos… Mas não deu para tudo. Aproveitei o tempo de qualidade com a minha mãe e com a Ana, de regresso a Lisboa, para estes cliques. A minha pequena Skadi lá conseguiu aparecer na foto. Começo a achar que gosta de aparecer.

Na verdade, eu ia escolher entre outras duas fotos para esta categoria neste mês. Tinha umas fotos recentes do meu irmão e da minha mãe que eram absolutamente maravilhosas; estavam ambos a rir num momento mega descontraído e espontâneo num fim de semana em que vieram ver-me cá a Lisboa.

Eu disse “ia escolher” porque perdi as fotos. Não sei como, nem porquê ou o que raio é que lhes fiz, mas perdi-as e estou inconsolável.

Procurei-as no computador, na reciclagem, em vários cartões de memória… nada. Estou tristíssima porque são momentos que, embora se venham a repetir (se tudo correr bem), nunca serão 100% iguais ou então as fotos não sairão tão boas. A parte melhor destas fotos é que nenhum deles tinham reparado que eu estava a fotografar, daí terem ficado tão naturais e bonitas… Não me consigo conformar com esta perda.

Week 12 – Black and White

Quem não gosta de ter uma boa desculpa para fotografar a preto e branco? 🙂 Eu gosto, e muito!

Para este desafio decidi tirar uns auto-retratos por mais nenhuma razão do que por não ter auto-retratos actualizados há muito tempo. Bem, quanto a esta categoria não há muito a explicar. É o que é, como se costuma dizer.

E assim termino a minha participação de Março no desafio A Beautiful Week. 🙂
Espero que tenham gostado e que decidam também ir espreitar as fotos dos outros participantes. Deixo-vos os links abaixo.

9 Comments

  1. Joana Sousa says:

    Adoro adoro adoro a foto da tua mãe! Tão espontânea e leve, e a luz é linda!

    Acho que acabei por nunca ser fiel aos meus diários precisamente pelo lado de ficar vulnerável à exposição dos meus pensamentos. Agora que penso nisso, talvez seja até essa a razão pela qual raramente me abro verdadeiramente com alguém – deep stuff goin’ on :p

    Anyway, que bela colecção de fotos, Cat!

    Jiji

  2. Ana Garcês says:

    Adorei todas as tuas fotografias, Cat!
    Apesar de já ter ido ao Porto imensas vezes e também ter deixado o meu coração lá, é sempre incrível conhecer essa cidade através dos teus olhos. É quase como se estivesse lá contigo.

    Os teus auto-retratos estão incríveis! E a fotografia da tua mãe está linda, linda, linda! Vejo muito dela em ti ?

    Mal posso esperar para ver o que vais fotografar para Abril!

  3. Raquel Dias da Silva says:

    Quando era miúda, também escrevi muitos diários, todos embaraçosos agora, diga-se de passagem. Mas sinto que preciso de voltar a ter um, para escrever sem filtros. Há tanto a passar-se na minha vida neste momento e sinto que gostava de registar em papel. Lembro-me que quando era miúda e passava para papel os meus pensamentos parvos de repente sentia-me melhor e era capaz de olhar para tudo de uma outra perspectiva.

    Gostei muito da fotografia da Ana com a Skadi. Não sei se já te disse, mas este ano é o meu último na residência de estudantes e como vou ter de alugar uma casa pela primeira vez e por tempo indefinido quero muito adoptar dois gatos bebés (sinto que dois é o número certo porque quando eu não estiver vão poder ter a companhia um do outro). Ainda falta um pouco para sair da residência (irá acontecer lá para maio/meio de junho) mas já ando maluca a inspeccionar o mercado de gatos para adopção. Vamos ver ?

  4. Marta Chan says:

    A tua visão de vulneravel foi sublime! Tal como tu tenho diários de quando era miuda e volta e meia vou espreitar ? Quando tinha quinze anos o sacana do meu irmão leu o meu diário em voz alta, senti-me fraca como se não conseguisse mover… foi uma facada no peito que jamais esquecerei. Ainda por cima adolescente com tantas crises existenciais.

    Apesar de teres perdidos as tuas queridas fotos olha que a foto da Ana e da Skadi está super amorosa, apetece-me abraça-la hehe

    Mas do que gostei mais são as a preto e branco, adoro quando metes o teu Emo Mode On e pões-te a tirar fotos a ti própria, mostra bem a tua beleza e feminidade.

    http://www.viveraviajar.com

  5. Marta Moura says:

    Gosto de várias das tuas fotos mas a última é a minha favorita. Está e estás linda.

  6. LucieLu says:

    Os teus autorretratos!
    És tão bonita!

    Também gosto da do túnel!
    Tem uma luz brutal! Faz-me lembrar os Estados Unidos… E eu nunca lá estive… Enfim!
    O Porto é uma nação e deve ser bom descobri-lo contigo.

  7. Daniela Oliveira says:

    Os diários! Adorei!! Foi um hábito que mantive até muito tarde, e meio que ainda mantenho, ainda que com um formato diferente, de diário da gratidão. Sem dúvida que são uma fonte inesgotável de um sentimento de vulnerabilidade e exposição!
    Amei as duas últimas fotos, tão sinceras!
    Beijinhos,

    Daniela

Leave a comment

Your email address will not be published.

CommentLuv badge