Páginas Salteadas: Chá das Cinco com o Principezinho

Posted on

As receitas do Páginas Salteadas voltaram! Após o mês passado em que fizemos uma pausa no projecto para celebrarmos o seu primeiro aniversário em boa companhia e boa comida na Academia Às Nove, voltamos agora à preparação das receitas. Para este mês de Agosto escolhemos um dos livros do Clube de Leitura das meninas do Armazém de Ideias Ilimitada: o Principezinho.

É difícil, senão impossível encontrar alguém que não conheça O Principezinho, de Antoine de Saint-Exupéry. Mesmo quem nunca leu, já ouviu, de certeza, referências à obra, assim como citações e as ilustrações originais do livro.

Eu li-o duas vezes; uma vez em criança, outra já em adulta e só posso recomendar que o façam em várias alturas diferentes da vida. De uma forma quase mágica, de cada vez que o lemos, vamos descortinando mais e mais sobre esta obra aparentemente pequena, mas tão cheia de significado e de razões para reflectir.

As receitas

Para o desafio deste mês imaginei um cenário em que eu era uma das pessoas que o pequeno príncipe conheceu na sua vinda ao planeta Terra, para onde viajou do seu planeta chamado Asteroide B-612 para se curar da solidão.

Receita 1: chá para dar a conhecer os sabores do Planeta Terra

Servir chá aos nossos convidados durante um lanche é quase um ritual. Aliás, em alguns países – como no Japão – existe mesmo uma cerimónia do chá, por isso faz sentido. Para além disso, no passado sábado estive presente no workshop Herbalismo Prático, com a Isa Batista na Casa do Fauno, e saí de lá inspirada para criar as minhas próprias misturas herbais.

O chá que escolhi para servir neste lanche contém os seguintes ingredientes:

  • erva príncipe – para um Principezinho!
  • perpétua roxa – para lhe dar a conhecer outras flores para além da sua amada rosa, que ficou para trás no seu planeta;
  • flor de hibisco
  • umas folhas de chá branco com pêssego
  • frutos vermelhos desidratados

Este chá feito com deliciosas ervas e flores, dá a conhecer ao pequeno Príncipe os sabores mágicos das espécies herbais que habitam este planeta.

Receita 2: scones para invocar a (minha) infância

Diz-se que quando Antoine de Saint-Exupéry escreveu O Principezinho, fê-lo a pensar em aspectos da sua própria infância, sendo que ele próprio admitiu lembrar-se desse período da sua vida melhor que a maioria dos adultos. Por vezes, também sinto que me lembro da minha infância de uma forma muito vívida, sabem? Também acontece convosco?

E se há coisa que me leva de volta à infância é o cheiro de scones no forno. Lembro-me tão bem de quando a minha mãe os fazia, de vez em quando, aos domingos. Adorava comê-los ainda quentes, variando entre manteiga (quem dão adora quando ela derrete em cima de um pedaço de scone?) e doce.

A receita dos scones em si é facílima, mas para o caso de se esquecerem das quantidades, cá vai.

Ingredientes:

  • 500 g de farinha
  • 1 colher de chá de sal
  • 1 colher de sopa de fermento em pó (bem cheia)
  • 5 colheres de sopa de açúcar
  • 40 g manteiga
  • 1 chávena de leite
  • 1 ovo (grande)
Preparação:
  1. Ligua o forno e regule-o para os 200°C.
  2. Numa tigela mistura a farinha com o sal, o fermento e o açúcar. Abre uma cavidade no meio da farinha e junta a manteiga com o leite e o ovo.
  3. Mexe rapidamente com uma colher de pau até os ingredientes estarem ligados.
  4. Deita a massa em montinhos, com a ajuda de uma colher sobre um tabuleiro de forno polvilhado com farinha e deixa cozer durante uns 10 minutos no forno.

Receita 3: doce de ameixa com canela – porque sozinhos podemos estar bem, mas com companhia tudo sabe melhor

Como estava a dizer no início do post, o Principezinho sentia-se sozinho no seu planeta, o que consigo compreender perfeitamente, já que era o único habitante humano do mesmo. Por vezes precisamos de alguém como nós para desabafarmos e, acima de tudo, para partilharmos tudo o que desejarmos.

Transpondo este pensamento para a comida, de facto os scones sozinhos não têm grande piada e precisam, definitivamente, de uma companhia. Como vos disse, eu prefiro alternar entre doce e manteiga, mas este doce que escolhi para o Páginas Salteadas de Agosto é bastante especial, pois foi feito por mim!

Eu e o Pedro levámos uma caixa cheia de ameixas que os pais deles nos deram para o Algarve, mas como não comemos todas e já estavam demasiado maduras para o meu gosto (gosto delas mais rijinhas), trouxe-as connosco de volta para Lisboa após a nossa estadia do Algarve. Para não as desperdiçar, fiz delas doce!

As ameixas são biológicas e crescem no terreno dos meus sogros, pelo que seria mesmo uma pena deitá-las fora. E não sei quanto a vocês, mas eu adoro doce de ameixa com uma pitada de canela! Não é por ter sido eu a fazê-lo, mas este doce ficou delicioso! Aqui fica a receita (fiz na Bimby).

Ingredientes:

  • 800 g ameixa vermelha, (sem pele e sem caroço)
  • 300 g açúcar
  • 1 pau de canela
  • 1 casca de limão

Preparação:

  1. Colocar a ameixa e o açúcar no Closed lid, e triturar 10 seg / vel 5.
  2. Juntar o pau de canela e a casca de limão e programar 40 min / temp 100º / vel 1 / Counter-clockwise operation.
  3.  Retirar o copinho e colocar o cesto virado ao contrário, no cimo do copo, e programar 15 min / temp Varoma / vel 1 / Counter-clockwise operation. Verificar a consistência, não esquecendo que o doce depois de frio endurece um pouco, e programar mais uns minutos se preferir uma compota mais consistente.
  4. Deitar o doce em frascos de vidro herméticos, deixar arrefecer completamente e fechar bem.

     

Fonte: Mundo de Receitas Bimby

“Só se vê bem com o coração
O essencial é invisível aos olhos.”

Espero que tenham gostado desta nova receita do meu querido Páginas Salteadas. Já tinha saudades de cozinhar para ele e para os livros! 🙂

Agora – já sabem – não se esqueçam de ir ver o que as minhas parceiras fizeram também a pensar n’O Principezinho. Fiquem atentos às próximas segundas-feiras de Agosto:

Joana Clara, Às Cavalitas do Vento
Vânia Duarte, Lolly Taste
Andreia Moita, Andreia Moita Blog

Se quiserem espreitar as minhas receitas anteriores, basta clicarem aqui.

2 Comments

  1. Rosarinho e Susana says:

    Catarina!! Não nos cansamos de agradecer! Obrigada por terem aceite o nosso desafio! Sentir que fazemos parte das vossas deliciosas Páginas Salteadas é um grande privilegio! O pessoal do Clube de Leitura ficou super entusiasmado. Acho que no próximo encontro, lá para setembro, quando formos partilhar os nossos pensamentos sobre este lindo livro, podemos replicar a receita 😉
    Beijos

    1. Catarina Alves de Sousa says:

      Ohhh obrigada eu, aliás, nós, pela maravilhosa sugestão e inspiração literária. Fico muito contente que tenham gostado, muito obrigada pelas vossas palavras sempre tão queridas, meninas! :)*

Leave a comment

Your email address will not be published.

CommentLuv badge