Páginas Salteadas | recipes

Páginas Salteadas: Chá das Cinco com o Principezinho

07/08/2018

As receitas do Páginas Salteadas voltaram! Após o mês passado em que fizemos uma pausa no projecto para celebrarmos o seu primeiro aniversário em boa companhia e boa comida na Academia Às Nove, voltamos agora à preparação das receitas. Para este mês de Agosto escolhemos um dos livros do Clube de Leitura das meninas do Armazém de Ideias Ilimitada: o Principezinho.

É difícil, senão impossível encontrar alguém que não conheça O Principezinho, de Antoine de Saint-Exupéry. Mesmo quem nunca leu, já ouviu, de certeza, referências à obra, assim como citações e as ilustrações originais do livro.

Eu li-o duas vezes; uma vez em criança, outra já em adulta e só posso recomendar que o façam em várias alturas diferentes da vida. De uma forma quase mágica, de cada vez que o lemos, vamos descortinando mais e mais sobre esta obra aparentemente pequena, mas tão cheia de significado e de razões para reflectir.

As receitas

Para o desafio deste mês imaginei um cenário em que eu era uma das pessoas que o pequeno príncipe conheceu na sua vinda ao planeta Terra, para onde viajou do seu planeta chamado Asteroide B-612 para se curar da solidão.

Receita 1: chá para dar a conhecer os sabores do Planeta Terra

Servir chá aos nossos convidados durante um lanche é quase um ritual. Aliás, em alguns países – como no Japão – existe mesmo uma cerimónia do chá, por isso faz sentido. Para além disso, no passado sábado estive presente no workshop Herbalismo Prático, com a Isa Batista na Casa do Fauno, e saí de lá inspirada para criar as minhas próprias misturas herbais.

O chá que escolhi para servir neste lanche contém os seguintes ingredientes:

  • erva príncipe – para um Principezinho!
  • perpétua roxa – para lhe dar a conhecer outras flores para além da sua amada rosa, que ficou para trás no seu planeta;
  • flor de hibisco
  • umas folhas de chá branco com pêssego
  • frutos vermelhos desidratados

Este chá feito com deliciosas ervas e flores, dá a conhecer ao pequeno Príncipe os sabores mágicos das espécies herbais que habitam este planeta.

Receita 2: scones para invocar a (minha) infância

Diz-se que quando Antoine de Saint-Exupéry escreveu O Principezinho, fê-lo a pensar em aspectos da sua própria infância, sendo que ele próprio admitiu lembrar-se desse período da sua vida melhor que a maioria dos adultos. Por vezes, também sinto que me lembro da minha infância de uma forma muito vívida, sabem? Também acontece convosco?

E se há coisa que me leva de volta à infância é o cheiro de scones no forno. Lembro-me tão bem de quando a minha mãe os fazia, de vez em quando, aos domingos. Adorava comê-los ainda quentes, variando entre manteiga (quem dão adora quando ela derrete em cima de um pedaço de scone?) e doce.

A receita dos scones em si é facílima, mas para o caso de se esquecerem das quantidades, cá vai.

Ingredientes:

  • 500 g de farinha
  • 1 colher de chá de sal
  • 1 colher de sopa de fermento em pó (bem cheia)
  • 5 colheres de sopa de açúcar
  • 40 g manteiga
  • 1 chávena de leite
  • 1 ovo (grande)
Preparação:
  1. Ligua o forno e regule-o para os 200°C.
  2. Numa tigela mistura a farinha com o sal, o fermento e o açúcar. Abre uma cavidade no meio da farinha e junta a manteiga com o leite e o ovo.
  3. Mexe rapidamente com uma colher de pau até os ingredientes estarem ligados.
  4. Deita a massa em montinhos, com a ajuda de uma colher sobre um tabuleiro de forno polvilhado com farinha e deixa cozer durante uns 10 minutos no forno.

Receita 3: doce de ameixa com canela – porque sozinhos podemos estar bem, mas com companhia tudo sabe melhor

Como estava a dizer no início do post, o Principezinho sentia-se sozinho no seu planeta, o que consigo compreender perfeitamente, já que era o único habitante humano do mesmo. Por vezes precisamos de alguém como nós para desabafarmos e, acima de tudo, para partilharmos tudo o que desejarmos.

Transpondo este pensamento para a comida, de facto os scones sozinhos não têm grande piada e precisam, definitivamente, de uma companhia. Como vos disse, eu prefiro alternar entre doce e manteiga, mas este doce que escolhi para o Páginas Salteadas de Agosto é bastante especial, pois foi feito por mim!

Eu e o Pedro levámos uma caixa cheia de ameixas que os pais deles nos deram para o Algarve, mas como não comemos todas e já estavam demasiado maduras para o meu gosto (gosto delas mais rijinhas), trouxe-as connosco de volta para Lisboa após a nossa estadia do Algarve. Para não as desperdiçar, fiz delas doce!

As ameixas são biológicas e crescem no terreno dos meus sogros, pelo que seria mesmo uma pena deitá-las fora. E não sei quanto a vocês, mas eu adoro doce de ameixa com uma pitada de canela! Não é por ter sido eu a fazê-lo, mas este doce ficou delicioso! Aqui fica a receita (fiz na Bimby).

Ingredientes:

  • 800 g ameixa vermelha, (sem pele e sem caroço)
  • 300 g açúcar
  • 1 pau de canela
  • 1 casca de limão

Preparação:

  1. Colocar a ameixa e o açúcar no Closed lid, e triturar 10 seg / vel 5.
  2. Juntar o pau de canela e a casca de limão e programar 40 min / temp 100º / vel 1 / Counter-clockwise operation.
  3.  Retirar o copinho e colocar o cesto virado ao contrário, no cimo do copo, e programar 15 min / temp Varoma / vel 1 / Counter-clockwise operation. Verificar a consistência, não esquecendo que o doce depois de frio endurece um pouco, e programar mais uns minutos se preferir uma compota mais consistente.
  4. Deitar o doce em frascos de vidro herméticos, deixar arrefecer completamente e fechar bem.

     

Fonte: Mundo de Receitas Bimby

“Só se vê bem com o coração
O essencial é invisível aos olhos.”

Espero que tenham gostado desta nova receita do meu querido Páginas Salteadas. Já tinha saudades de cozinhar para ele e para os livros! 🙂

Agora – já sabem – não se esqueçam de ir ver o que as minhas parceiras fizeram também a pensar n’O Principezinho. Fiquem atentos às próximas segundas-feiras de Agosto:

Joana Clara, Às Cavalitas do Vento
Vânia Duarte, Lolly Taste
Andreia Moita, Andreia Moita Blog

Se quiserem espreitar as minhas receitas anteriores, basta clicarem aqui.

Only registered users can comment.

  1. Catarina!! Não nos cansamos de agradecer! Obrigada por terem aceite o nosso desafio! Sentir que fazemos parte das vossas deliciosas Páginas Salteadas é um grande privilegio! O pessoal do Clube de Leitura ficou super entusiasmado. Acho que no próximo encontro, lá para setembro, quando formos partilhar os nossos pensamentos sobre este lindo livro, podemos replicar a receita 😉
    Beijos

    1. Ohhh obrigada eu, aliás, nós, pela maravilhosa sugestão e inspiração literária. Fico muito contente que tenham gostado, muito obrigada pelas vossas palavras sempre tão queridas, meninas! :)*

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *