mejores doctores en América Dapoxetina elección de plan de seguro médico
3 In food/ Páginas Salteadas/ recipes

Páginas Salteadas: um brunch e duas receitas rápidas para desfrutar… com calma

Recentemente apresentei-vos o Páginas Salteadas, o meu novo projecto em conjunto com a Joana, a Andreia e a Vânia. Agora que já sabem em que consiste e que vamos fazer uma receita por mês inspirada num livro comum a todas, tenho o prazer de anunciar que hoje é a minha vez de trazer a nova receita. Na semana passada foi a vez da Joana nos presentear com uma criação deliciosamente fresca que trouxe o aroma e o sabor do mar para a mesa. Fiquem agora com a minha receita e a explicação por trás da mesma.

Já queria ler o livro Simplifica a Tua Vida da Rute Caldeira há algum tempo, mas então quando foi sugerido para ser o primeiro livro deste projecto, vi aí a minha oportunidade (e motivação extra) para o comprar e devorar. À medida que o tempo foi passando, comecei a achar que, afinal, não seria assim tão fácil pensar numa receita inspirada no livro. Comecei por pensar em receitas saudáveis e minimalistas, a fazer jus ao mindfulness e bem-estar que este livro aborda, mas quando li uma história real de alguém que a Rute conheceu e cujo testemunho inclui no livro, soube o que teria que fazer e que faria todo o sentido para mim.

A história em questão é de alguém a quem a Rute chamou “Zé Sem Tempo“. O Zé Sem Tempo era aquele típico workaholic que nunca tinha tempo tempo para a família, amigos e para estar presente física e emocionalmente em eventos da vida das pessoas mais próximas de si porque o trabalho lhe ocupava não só todo o tempo, mas o pensamento. Até ao dia em que teve um AVC e ficou uns tempos sem poder comunicar oralmente. A sua vida mudou a partir daquele momento e, como um qualquer situação de trauma ou susto, o Zé Sem Tempo reavaliou a sua vida. Arrependeu-se do tempo desperdiçado a dedicar-se apenas ao trabalho, enquanto negligenciava a sua família e começou a pensar que talvez (provavelmente) tivesse já pouco tempo para viver e se redimir. Quando recuperou a fala, o Zé Sem Tempo só falava de tempo: que gostava de ter mais tempo para recuperar o amor da família, que gostava de ter-lhe dedicado mais tempo, …

Tempo, tempo, tempo.

Quantas vezes damos a desculpa de não termos tempo quando temos tanto tempo como qualquer outra pessoa? Não é o tempo que gere a nossa vida; temos que ser nós a tomar as rédeas do tempo, dizer-lhe onde o vamos gastar e não deixá-lo dizer-nos a nós o que fazer com ele.

Eu recuso-me. Não fui feita para trabalhar apenas, fui feita para viver. Se o trabalho faz parte da vida (que faz), mais ainda fazem os meus amigos, namorado e família.

E foi assim que surgiu a ideia para levar adiante a ideia que já tinha tido há tempos de fazer um brunch lá em casa. Um brunch de domingo, sem pressas. Sou fã incondicional de brunches que duram horas e horas pela tarde dentro e queria que o meu brunch caseiro fosse precisamente isso; uma celebração de um dia de descanso – o domingo – com pessoas de quem gosto e em casa para não termos que ser “expulsos” por estarmos num qualquer estabelecimento e ele ter que fechar à tarde. Sim, já aconteceu!

Quanto ao brunch, a ideia foi muito simples: comidas simples, mas saborosas e nutritivas com um bocadinho de tudo o que costumamos comer quando vamos tomar o brunch “lá fora”. Confesso que o objectivo também foi um bocadinho convencer o meu namorado a gostar de brunch. 😛

Coloquei na mesa, primeiro, pão de centeio, manteiga (a nossa favorita cá em casa), fiambre de perú e duas variedades de queijo Terra Nostra (a versão Gourmet fez muito sucesso ontem) e algumas coisas que trouxe da Padaria Portuguesa: croissants, pão de deus e alguns salgados para não faltar nada!

Em termos de receitas, tal como vos disse, queria fazer algo muito simples, que não me levasse muito tempo de preparação na cozinha para poder desfrutar mais da companhia dos meus convidados. Então as duas receitinhas simples que fiz e que vou partilhar com vocês foram as seguintes:

Bebida de baunilha

 Esta bebida é super simples de fazer, mas mesmo assim foi grandemente elogiada! Basta:

Esta bebida é deliciosa geladinha, mas pode ser adaptada a uma versão quente também, sem o gelado.

Ovos no forno

A primeira vez que vi uma receita parecida com esta foi num livro de cozinha que eu tinha quando era pequena. Era mesmo um livro de receitas para serem feitas por crianças (com supervisão de um adulto, claro), portanto simples de confeccionar. A segunda vez que a vi foi no livro brunch da Claudia Villax, um dos meus favoritos de cozinha que tenho em casa. Embora com muitas variações, já tinha feito algo parecido com isto uma vez e saiu tão bem que decidi repetir para este brunch.

No fundo, a ideia é apenas rechear pequenas taças que sejam próprias para ir ao forno e depois servir com aquilo que bem quisermos, colocando um ovo por cima e deixando-o cozer no forno.

Neste caso, usei os seguintes ingredientes:

  • 300 gr. de cogumelos brancos laminados
  • 75 gr. de espinafres baby leaf
  • um pouco de tempero Knorr legumes (de origem natural)
  • pimenta
  • 4 ovos
  • opcional: queijo

Salteei primeiro os cogumelos com um pouquinho de cebola e um fio de azeite; quando estavam quase prontos juntei os espinafres e deixei-os impregnar com o sabor do tempero Knorr de origem natural para uma dose extra de sabor. A seguir enchi as tacinhas, parti os ovos, um para cada uma e levei ao forno.
Há mil e uma forma de fazer isto; podemos escolher quaisquer ingredientes que nos apeteçam, colocar queijo para derreter e tostar no forno também, ervas aromáticas e tudo o que possamos imaginar. Quanto ao ovo em si, eu gosto de deixar a gema meia líquida para que se possa envolver nos ingredientes mais para baixo quando se abre o ovo e se envolve tudo. Uma delícia!

A beleza da cozinha é mesmo essa: termos o poder de compor os nossos pratos e alterar as fórmulas das nossas receitas se assim nos apetecer. E eu não sou de seguir receitas. Parto sempre de receitas existentes como base, mas acabo sempre por me afastar da trajectória proposta. Um pouco como na minha vida. Regra geral, é como as coisas funcionam melhor para mim e como a vida fica mais interessante.

Concordam? 🙂

Espero que tenham gostado desta minha primeira contribuição para o projecto Páginas Salteadas e que visitem as minhas companheiras de projecto:
Joana Clara, Às Cavalitas do Vento
Vânia Duarte, Lolly Taste
Andreia Moita, Andreia Moita Blog

 

You Might Also Like

3 Comments

  • Reply
    Thenotsogirlygirl
    18/07/2017 at 1:54 PM

    Aí pá isto é maravilhoso! Fiquei com uma vontade de ir ao brunch, omg! Adoro os produtos terra mostra: a manteiga é A minha preferida, e o queijinho… yumms 😉
    Adorei o teu blog, e já estou a seguir! Gostava muito que me seguisses também! Além disso está a decorrer um giveaway no meu blog, participa!

  • Reply
    Cherry
    19/07/2017 at 2:40 PM

    Este projeto é mesmo interessante, relacionar livros com receitas :). Tenho que ler esse livro.
    Duas receitas simples e fáceis :).
    By the way, vi-te no outro dia na TVI, e dou-te os meus parabéns por teres lançado um livro que, certamente, será muito útil não só a recém-licenciados,como aqueles que estejam a acabar o curso e estejam preocupados com o futuro. Eu vou a meio do meu curso, mas já acho que o teu livro me será muito útil, pelo que estou mortinha para lê-lo.
    Beijinhos,
    Cherry
    Cherry recently posted…10 sinais que és a mãe do teu grupo de amigosMy Profile

  • Reply
    Kéké
    20/07/2017 at 2:20 PM

    Nhamiiii dás-me um bocadinho, minha Cat? Esse vosso projeto é tão fenomenal <3

    Beijo no coração,
    da tua Kéké

  • Leave a Reply

    CommentLuv badge