Páginas Salteadas,  recipes

Páginas Salteadas: o livro e receita da quarentena e uma notícia aqui no meio

Quando comprei este livro, algures em Maio, fi-lo com a intenção de me inspirar e viver a mudança com um entusiasmo renovado. Depois da minha separação e consequente divórcio, o plano sempre foi alugar um apartamento para mim e para os meus gatos, mas entretanto conheci o meu namorado, apaixonei-me, vivi com ele durante toda a quarentena, mas… conservei o meu plano original: viver sozinha.

Como devem saber, encontrar um apartamento acessível na Grande Lisboa não é tarefa fácil e lá encontrei um overpriced numa zona com metro relativamente perto.

Passei por todos as fases de preparação de uma mudança desta envergadura: 

  • a família veio ajudar na mudança;
  • paguei a uma empresa para me fazer as mudanças maiores de móveis e caixotes de casa do ex (onde ainda tinha muita coisa) para a minha nova casa;
  • decorei-a toda;
  • fiz os clichés todos de rapariga que vive sozinha numa cidade, incluindo maratonas de O Sexo e a Cidade, sessões terapêuticas de journaling, andar cá e lá entre a casa do meu namorado e a minha, etc.

Entretanto – e isto é uma notícia que vos dou em primeira mão neste post – mudei de casa. No momento em que vos escrevo este post, estou a viver com o meu namorado numa casa nossa. Ele saiu da dele, eu saí da minha e cá estamos, a viver os dois, com os nossos respectivos gatos (quatro gatos!) em Oeiras.

Antes de vos contar com mais pormenor o que levou a esta decisão e nova mudança de vida em tão pouco tempo, partilho convosco uma receita que fiz quando vivi sozinha e que foi inspirada no livro “A Arte de Viver Sozinha e Adorar”, de Jane Mathews.

O hiatus do Páginas Salteadas em 2020

Tal como a maioria das coisas que aconteceram este ano, esta pausa no Páginas Salteadas não foi planeada. Simplesmente aconteceu, mas ficou falado que deveríamos, pelo menos, partilhar uma receita baseada num livro que lemos durante a quarentena. Pelas razões que já partilhei convosco mais acima, escolhi este. Fez-me todo o sentido.

Sobre o livro “A Arte de Viver Sozinha e Adorar”

Encontrei este livro numa manhã de compras no Continente. Tinha ido buscar alguns mantimentos quando me cruzei com ele na secção de livros do Continente (que eu adoro, btw). Mal peguei nele e li a sinopse e um pouco da vida da autora, não pude evitar identificar-me um pouco com ela. Apesar de ser mais velha e já ter filhos, Jane Mathews é também divorciada e vive sozinha. Neste livro, aborda os desafios diários inerentes à vida a solo, tais como “cozinhar para uma só pessoa, organizar as férias, fazer malabarismos financeiros ou tentar não sucumbir ao canto da sereia do vinho, dos chinelos e da Netflix.”

No fundo, aborda todos os pilares que ajudam a construir uma vida mais plena e completa: saúde, relacionamentos, lar, finanças, interesses e espiritualidade.

Como acaba por falar muito de nutrição e de receitas saudáveis, houve um dia na minha curta experiência a viver sozinha em 2020 (mas não pela primeira vez, pois já tinha vivido sozinha antes, algures em 2011) em que decidi fazer uma espécie de uma pizza mais saudável. Se calhar nem lhe devia chamar pizza, mas à falta de melhor palavra fica pizza entre aspas.

A receita: “Pizza” de hummus e guacamole

Pode não parecer fazer o maior sentido, mas eu amo estes dois ingredientes: hummus e guacamole, então… porque não tentar juntá-los? Viver sozinha é a melhor altura para experimentar coisas! Quem vive sozinho, vive para si, portanto… porque não concretizar os nossos próprios desejos? Não tinha grande coisa a perder: se saísse mal, paciência. Comia para não desperdiçar, mas não repetiria a receita. Fácil!

A base

Para a base, fiz massa de quiche na Bimby, tão simples e tão boa.

  • 250 gr. farinha
  • 50 gr. azeite
  • 45 gr. de água
  • 1 pitada de sal

O hummus

Sim, fiz o hummus do zero. Comprei as sementes de sésamo e fiz tudo! Mas se há coisa que aprendi nesta receita, foi que devia ter feito já com pasta de sésamo. A fazer com as sementes, deu imenso trabalho e não ficou com o sabor que eu gosto no hummus. Por isso, da próxima vez que a fizer (até porque, no final e com tudo misturado acabou por ficar óptimo), vou fazer já com a pasta de sésamo comprada.

Vejamos então como fazer o hummus com a pasta de sésamo:

  • 1 frasco grão
    (de 540g)
  • 1 limão
  • 2 dentes de alho
  • 3 c. sopa pasta de sésamo
  • 2 c. sopa azeite
  • sal
  • pimenta
  1. Coloca o grão e o respetivo líquido num tacho. Leva ao lume e deixa aquecer. Escorre o grão e guarda o líquido.
  2. Põe o grão no robot de cozinha e junta-lhe alho picado. Mantém o programa do robot até obteres um puré liso. Em seguida, junta azeite, a pasta de sésamo e o sumo de limão. Aciona, mais uma vez, o programa do robot enquanto adicionas a água do grão até alcançares a textura desejada.
  3. Verifica o sal e junta uma pitada de pimenta acabada de moer. Leva ao frio até ficar bem fresco.

O guacamole

  • abacates maduros
  • limão 
  • tomate (pequeno)
  • pimenta vermelha fresca (ou preta moída)
  • cebola
  • sal
  • coentro fresco (opcional)

  1. Descarta as sementes do tomate e pica-o bem.
  2. Pica a cebola e a pimenta em pedaços bem pequenos.
  3. Lava e pica os coentros (se usares – eu optei por não colocar).
  4. Corta o abacate, descarta o caroço, tira da casca e coloca a polpa numa tigela.
  5. Adiciona o sumo de limão ao abacate e amassa com um garfo até que se transforme numa pasta (sem problema se alguns pedaços ficarem maiores).
  6. Mistura o tomate, cebola e pimenta picados e mistura bem.
  7. Coloca sal a gosto (aos poucos para não ficar salgado).
  8. Opcional: mistura os coentros picados.

A construção da “pizza”


Barra a massa de quiche com o hummus.
Coloca o guacamole por cima
Coloca os ingredientes que quiseres por cima. Eu optei por tomate cortado aos bocadinhos com queijo mozarella e ervas secas. Levei tudo ao forno e comi com prazer. Estava delicioso!!

Esta receita experimental correu super bem, sendo que a única coisa que mudaria seria a confecção do hummus com pasta de sésamo em vez de ter feito a pasta em casa. De resto, maravilhoso e desafio-vos a experimentar!

Espero que tenham gostado desta partilha! Já não publicava uma receita (ou um post neste blog, já agora…) há algum tempo. Se quiserem ver outras receitas do Páginas Salteadas, basta clicarem aqui!

3 Comments

    • Catarina Alves de Sousa

      Obrigada, querida Martinha! Saudades tuas e do teu blog (voltaaaaa!). Quando vieres a Lisboa adorava que viesses conhecer a casinha nova e os novos inquilinos também. 🙂

      • Marta Chan

        Também estou cheiiaaaa de saudades tuas 🙂 Quero muito voltar ao blog, tenho mesmo que me organizar. E claroooo, quando for aí acima aviso para uma visitinha à tua nova familia e casinha que já sei que deve estar toda lindona com o toque da dona Cat 😀 beijinho

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

CommentLuv badge