Lisboa,  my photos,  photography

Finding beauty in everything and everywhere

Desde que comecei a frequentar o meu curso de fotografia (em Fevereiro) que não só tenho aprendido imensas coisas novas sobre técnica, como também tenho sido obrigada a sair da minha zona de conforto e desenvolvido a minha criatividade.

Como? Na primeira aula prática, fomos “lançados aos lobos” quando tivemos que fotografar exposições do Museu de Etnologia, com pouca luz e reflexos nos vidros. Foi um grande desafio que nos obrigou a planear, a arranjar uma estratégia, a experimentar várias posições e ângulos; em suma, a pensar antes de carregar no botão.

Na aula prática que tive mais recentemente, o objectivo foi pôr-nos a fotografar uma rua normalíssima ali para os lados de Belém, das 14 às 16h, ou seja, no pico solar, quando ele está mais alto e directamente acima das nossas cabeças, algo que implica haver uma luz impiedosa, violenta e um monte de sombras projectadas em todo o lado.

 photo 11167791_10153238505917748_406566189982121143_n_zpsnbwrjudt.jpg

Não é, de todo, a melhor hora do dia para fotografar e o cenário não era, para mim, o mais inspirador de todos.  Para além disso, éramos mais de 20 pessoas a fotografar o mesmo, por isso tive que pensar:

O que é que eu posso fazer para que as minhas fotos não fiquem iguais às dos meus colegas?

 

 photo spring_zpsf4dihn7w.jpg

 photo pinkandwhite_zpsves4qegi.jpg

Então comecei a olhar à minha volta e tive uma epifania despoletada pelo sol, pelo colarzinho agradável e pela recente chegada da Primavera:

Color Block!

 photo building20_zpsyeoyqxxj.jpg

 photo IMG_8236_zpsw2gmsokm.jpg

 photo dog_zpsa5bx263m.jpg

Assim que defini o tema, foi mais fácil decidir o que fotografar e comecei a construir uma espécie de série a honrar o “color block”.

 photo redandpink_zpszat71kpp.jpg

A arte é um conceito vazio, preenchido pelo olhar do observador.

– Adalberto Santos (o meu professor de Fotografia)

Esta frase do meu professor aplica-se bem à foto acima. Sei perfeitamente que vocês não saberão a priori o que se está a passar nas fotos ou que coisas são aquelas, por isso num contexto diferente (num em que eu não vos revelasse quais são os objectos) teriam que se servir da vossa criatividade para tentar descobrir. 🙂

Neste caso, o vermelho é um carro estacionado na rua e o rosa é a parede de um prédio (o mesmo que aparece numa das fotos acima).

 photo prettyflowers_zpsl9hftrgw.jpg

 photo IMG_8404_zpsrnt4klro.jpg

Também me servi de algumas plantas que fui encontrando pela rua. A flor acima roubei-a a um vaso com flores (sorry!!) num cantinho da rua. Peguei nela e comecei a fazer experiências contra várias paredes e objectos. Por fim, escolhi esta parede cor de laranja de uma casa daquela rua também. Rosa e laranja dá um perfeito color block! 😀

 photo purplecactus_zpsgrwxkgpo.jpg

E afinal, é possível sermos criativos em qualquer contexto e vermos beleza em qualquer lugar, especialmente se estivermos atentos a todos os pormenores que nos rodeiam.

Se quiserem ver as minhas fotos do Museu Etnológico, as que tirei na primeira aula prática, podem ver aqui no meu Flickr.

A minha próxima aula vai ser no Museu Arqueológico de Odrinhas (Sintra). Vai giríssima! Vamos ter visita guiada, fazer um piquenique e fotografar muito, dentro e fora do Museu. E a melhor parte é que podemos levar quem nos quisermos e ainda temos um preço muito simpático para usufruir do Museu durante grande parte do dia (7,5€). Querem vir? 😀

E, já agora, têm algumas dicas que queiram partilhar para tirar fotos giras em lugares (à partida) com pouco interesse visual ou que não sejam particularmente inspiradores? I’m all ears! 😉

5 Comments

  • Analog Girl

    Noto imenso progresso nas tuas fotos miúda, tu continua. Há meses que não pego na minha máquina e qualquer dia já não a sei usar… Estás a inspirar-me.
    E essa visita ao museu parece tão bem. Quando vai ser? Fiquei bastante curiosa e com vontade de te acompanhar (já viste o FB da Lu? Hoje faz um ano que nos conhecemos ao vivo e a cores!)
    Beijinhos 🙂

    • joan of july

      Obrigada, Joana, fico tão, mas tão contente! Afinal, ando a trabalhar nesse sentido. 😀

      Tu pega nessa máquina e vem comigo! Vai ser giríssimo! Vai haver caminha da pedagógica, visita ao museu (tudo visita guiada), piquenique e tempo para fotografar tudo. Vai ser no dia 23 de Maio, um sábado. Segundo a programação que me foi enviada é das 9h30 (até vai doer ;_;) às 15h.
      Parece bem? 🙂

      Fui ver agora! Gurrrl… o tempo passa rápido. Foi um dia tão bonito! (E agora não me posso esquecer de dar os parabéns à Lu, não tenho desculpa nenhuma agora que me lembraste) eheheh

      Beijinhos!*

      • Analog Girl

        Parece-me muito bem. Eu alinho! 😀
        Perto da data combinamos detalhes, vale?

        (comigo estás tramada, eu retenho todas as informações e datas e cenas… :P)
        Beijinho grande**

        • joan of july

          Sim, claro! Boa!! 😀 😀
          Pois, já soube que tens uma memória fora do normal. Me-do. Eu já achava que tinha boa memória, mas tu… 😉
          Beijinho grande, Joana!**

  • Inês Silva

    Ai que belezura de post <3 Faz-me lembrar porque gosto tanto disto ^^ e é tão bom ver isto tão bem verbalizado/escrito! Obrigarmo-nos a fotografar mais abre-nos o olhar pro mundo não é? (foi muito parolo isto xD?) E depois de vermos fotos em todo o lado não se consegue desligar a coisa! As tuas fotos estão a ficar um mimo daqueles e fico mesmo contente de acompanhar isso 😀 Aposto que davamos ótimas companheiras de aventuras fotográficas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *