photography

Photoshoot inspiration: Salem witches

Já aqui mencionei algumas vezes o meu fascínio pelo oculto, mesmo em criança. Nos mitos e lendas que enchiam o meu imaginário, incluíam-se também as bruxas. Sempre as vi de uma forma muito objectiva: as bruxas eram mulheres, não seres sobrenaturais, que se dedicavam a rituais de magia e lançavam feitiços. Pronto.

Mais tarde, quando vi o filme The Crucible (filme de 1996, mas que eu só vi bem mais tarde) – em português “As Bruxas de Salém”-, com a Winona Ryder, apercebi-me dos terrores da Inquisição e da perseguição desenfreada às “bruxas”. A maioria das vezes, os condenados (homens e mulheres) nada tinham a ver com a prática de magia. Nessa época, bastava literalmente alguém apontar o dedo para acusar alguém de bruxaria e aí haveria dolorosas sessões de tortura com três desfechos:

  1. a “bruxa” confessava e era queimada para limpar e salvar a sua alma;
  2. a bruxa não confessava e era torturada até à morte;
  3. a bruxa não confessava e era queimada na mesma.

Era muito, mas muito pouco provável que alguém acusado de bruxaria fosse ilibado.

salem
The Crucible (1996)

Não vos vou explicar até onde o meu fascínio histórico pela Inquisição já foi para não vos assustar. Bem, agora que li esta frase percebi que é mais assustador dizer isso do que a explicação em si, mas digo apenas que me levou a estudar muito sobre o assunto e até comprei livros sobre a temática.

Recentemente, voltei a pensar nas injustiças cometidas contra as mulheres acusadas de bruxaria por casa de duas sérias que ando a ver. A primeira, Outlander, teve uma cena com um julgamento que envolveu duas personagens da série. A outra, chama-se Salem, e deixou-me tão viciada que acabei de ver as duas temporadas em pouquíssimas semanas.
A série chama-se Salem, por isso já perceberam sobre o que é, não é preciso dizer mais nada. 😛
E para juntar à “festa” tenho também a terceira temporada do American Horror Story chamada “Coven” e que se focou, lá está, em bruxas, embora de uma forma diferente.

Está explicada então esta minha grande inspiração fotográfica.
Gostava de – em breve – fazer uma sessão inspirada nas bruxas de Salem, mas não decidi ainda se com uma só pessoa ou se com um grupo (coven).

Já tenho uma pessoa em mente para esta sessão e até uma história pensada para contar através de cliques.

E lembram-se desta fotógrafa de que vos falei aqui há umas semanas? Também é uma grande fonte de inspiração para esta sessão que não sei quando vai ser, com quem nem muito bem onde (embora já tenha pensado nisso), mas que vou querer muito partilhar com vocês quando já estiver feita. 😀

Entretanto, tenho uma nova sessão fotográfica para partilhar com vocês esta semana! Curiosos? 🙂

6 Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *