Sem categoria

working on our fitness

Mais um dia na mansão da Quinta das Conchas. É verdade. Hoje começou oficialmente o programa “Caminhar com Ana Clemente”. Ora, em que é que consiste o programa “Caminhar com Ana Clemente”? É de natureza religiosa?

Não. O programa “Caminhar com Ana Clemente” baseia-se simplesmente em caminhadas matinais (vá, depois das 11 para ser razoável; não sou pessoa de madrugar), DIÁRIAS, no Parque da Quinta das Conchas. A seguir à caminhada inicial seguem-se uma série de alongamentos que findos darão início a um ciclo de exercícios localizados para pernas, abdominais e glúteos. Tudo ao ar livre e após o estudo decorrente da vizualização de vídeos do youtube dos mesmos exercícios executados por um profissional cuja área de especialização é moldar rabinhos.

As minhas pernas morreram hoje. Achei que hoje era também um dia indicado para voltar a pegar num livro que já tenho a alguns meses. É todo zen. E eu não. No entanto, vai tendo umas coisas que fazem pensar; ditados japoneses, principalmente. Não sabia que os japoneses eram tão dedicados à beleza física e ao culto do corpo, mas os seus ditados relacionados com o tema são bastante inspiradores.

«A doença mais grave é o desprezo do nosso corpo.»

E com esta fonte de inspiração preparo-me para o dia seguinte deste programa tão intensivo. 😛

7 Comments

  • shampo decapante

    Só ler isto cansa, quando corro acho que os glúteos me passam pelo esófago, e passam a Gregório… As 11 da manhã acham que ainda é hora de missa. Ou a tal hora de pegar no tal livro…

  • João Vilela

    «As minhas pernas morreram hoje»

    Ressuscita-as depressa, Nini, o Mundo precisa delas para ser um lugar melhor!;D
    A propósito de exercícios localizados para os glúteos e vídeos no YouTube – que tal colocares tu um vídeo desse tipo no site em questão, enquanto exercitas aquilo que legitima que eu te chame calipígia? Não é por nada: é que muito boa gente pode desconhecer a técnica, e parece-me mal que não a partilhes.;D

    Saludos from the Unbeaten City.

  • João Vilela

    Pelo menos incluo alusões à mitologia latina nos meus comentários. Serei um trolha, mas sou claramente um trolha erudito.@ muçulmano sem sentido de humor

Leave a Reply

Your email address will not be published.