podcast-par-de-jarras
podcast

10 coisas que aprendi como co-apresentadora de um podcast

Em Fevereiro deste ano, eu e a Ana lançámos o nosso podcast – Par de Jarras -, que tem sido um dos meus projectos favoritos deste ano. Neste post, falo-vos sobre 10 coisas que aprendi como co-apresentadora deste podcast, do alto da experiência de quem já vai na segunda temporada! Digo-o com alguma ironia, mas simultaneamente com fascínio e alguma admiração por estarmos a ser tão consistentes com o nosso Par de Jarras. 

1. Nada é ou vai ser perfeito

Absolutamente nada. E como já aprendi em várias esferas da minha vida, mais vale feito que perfeito. Obviamente que há mínimos, mas se esperarmos que algo esteja 100% perfeito antes de lançarmos, é provável que esse projecto nunca veja a luz do dia… Porquê? Porque nada vai ser perfeito.

2. Quanto mais gravamos, melhor ficamos

Há todo um motor que precisa de ser oleado, tanto na gravação de um podcast, como na escrita, na fotografia… os exemplos podiam continuar quase ad aeternum. No meu caso e no da Ana, enquanto criadoras e apresentadoras de um podcast, reparamos que de um episódio para o outro, quando mantemos a cadência das nossas gravações semanais, ficamos mais soltas, mais divertidas, mas também mais profissionais (vá) e conscientes de que estamos a gravar para um público. Nós divertimo-nos bastante a gravar, mas à medida que o fazemos, direcionamos melhor o nosso discurso e temáticas a quem nos ouve. É mais isso. 

3. Não é um formato que agrada a toda a gente

Nem toda a gente ouve podcasts. A imagem ainda reina sobre tudo, quer em vídeo ou fotografia e são, normalmente, conteúdos mais fácil e rapidamente consumíveis. Ouvir um podcast é algo que requer alguma atenção, o que pode não ser 100% compatível com algumas funções. No meu caso, antes de dar o meu contributo para o mundo dos podcasts enquanto produtora de conteúdos, fui consumidora durante vários anos. Continuo a ser. Consigo facilmente inserir este hábito durante várias tarefas do meu dia-a-dia: enquanto faço pesquisa no trabalho (enquanto escrevo não dá tanto jeito, embora já me tenha habituado um bocadinho), enquanto faço tarefas domésticas, enquanto conduzo, quando ando sozinha na rua para ir andar, por exemplo…

4. Dá algum trabalho


Pois, isto é muito giro, mas também dá trabalhinho. Quanto a isto, tenho uma confissão a fazer: se não tivéssemos um editor de som, eu não teria tempo para me dedicar a este podcast. E acredito que a Ana também não tivesse durante muito tempo. Para já, edição de som (ou se vídeo, já agora) não é uma coisa que domine e o tempo que gastaria nesta tarefa seria sempre superior ao de alguém que esteja à vontade a desempenhar esta tarefa.

Da minha parte, estou muito grata ao nosso sonoplasta! 

5. Não vamos ficar ricas à pala do nosso podcast

Se vão criar um podcast com ideias de fama e fortuna, aconselho-vos desde já a enveredarem antes pelo Tik Tok ou pelo Youtube.Se não são conhecidos já, não o vão ser apenas devido a um podcast. Este formato não é para toda a gente, como disse mais acima, e não atinge uma popularidade viral. Por outro lado, sim, os conteúdos em som estão a popularizar-se e assumem uma importância cada vez maior. Ainda assim, se começarem um podcast, façam-no por gosto, sem grandes expectativas no sentido de haver uma recompensa. 

6. Como em quase tudo, organização é a chave

Quem ouve o Par de Jarras podem achar que eu e a Ana vamos para lá inventar e improvisar em todos os episódios e temas. E é mais ou menos verdade, mas… nós temos um método de organização. Podemos não ter um guião, mas tempos todo um board do Milanote (já falei nele aqui e continuo super apaixonada por esta app/software).

Coisas que constam no nosso Milanote:

  • Ideias para episódios
  • Lista de episódios gravados
  • Descrições de cada episódio para colocar nas plataformas quando vamos Agendar/publicar
  • Inspiração visual para criação de conteúdos
  • Feed do Instagram para ser mais fácil pensarmos no conteúdo seguinte
  • Wishlist de equipamento

7. A qualidade importa

Brincamos muitas vezes com o facto de usarmos mini microfones comprados no Ali Express, mas a verdade é que são estupidamente bons para aquilo que são. Não obstante, queremos MESMO investir em material com mais qualidade para que o nosso conteúdo seja cada vez melhor para quem nos ouve. Quando começámos, não pensámos que iríamos ter tanta gente a ouvir-nos, mas já que assim é… vamos fazer o melhor por quem nos ouve! Portanto, o nosso próximo passo é mesmo esse: investir em material mais profissional. Ou semi, vá, mas só porque queremos ter mais margem para evoluir.

8. Tem que haver uma estratégia

Criar conteúdo à toa, normalmente não dá em muito… E sim, nós também temos uma estratégia por detrás dos nossos. E mais vos digo: a nossa descontração e fluidez de conversa, além de natural, é também parte da nossa estratégia. É a nossa essência, a nossa brand identity, se preferirem termos mais a roçar no Marketing. E isso também é estratégia: a definição da identidade de marca/do podcast, o rumo de uma temporada, a ordem pela qual escolhemos gravar os episódios, etc

9. As pausas são importantes

Eu e a Ana achámos importante fazermos uma pausa entre o fim da nossa primeira temporada de podcast e a segunda, como se fosse uma oportunidade para limpar o palato entre temporadas. Eu gosto de dar este tempo, aos ouvintes e a nós; aos ouvintes para que tenham algum tempo para sentir a nossa falta (mas não o suficiente para nos esquecer) e a nós, para que tenhamos tempo para reagrupar ideias, ter novas e fazer balanços da temporada que passou.

10. É muito divertido!

Como já referi mais acima, nós divertimo-nos imenso a gravar o Par de Jarras! Basicamente, o que fazemos é pegar em tópicos que sejam interessantes para nós, falamos sobre eles como fazemos sobre tanta coisa e adaptamos o discurso ao formato que escolhemos para vos levar o nosso conteúdo. No dia em que isto deixar de nos divertir, saberemos que está na altura de parar. Afinal, o nosso podcast é suposto ser um escape criativo. 🙂

Espero que tenham gostado deste post e espero que, se ainda não conhecem, que vos tenha despertado a curiosidade de ir ouvir pelo menos um episódio do podcast Par de Jarras. Também podem seguir-nos no Instagram, onde publicamos várias brincadeiras, perguntas e novidades sobre o nosso podcast. 🙂

Hasta pronto, chicas y chicos!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *