À redescoberta do Porto: Casa Aberta

Posted on

Há uns poucos dias escrevi no meu Facebook pessoal que sentia falta de conhecer sítios novos no Porto e pedi logo sugestões. Os meus amiguinhos facebookquianos foram uns queridos e responderam prontamente e rápido construí uma pequena lista de sítios a visitar em breve na minha cidade. Para quem chegou agora pela primeira vez ao blog, nasci e vivi no Porto full-time até 2005, ano em que me mudei para Lisboa para estudar. Apesar de tudo, vivi ainda muitos anos entre Porto e Lisboa, uma vez que a vida de estudante permitia essa flexibilidade.

Contudo, em anos mais recentes, fui-me adaptando melhor à vida lisboeta, principalmente desde que eu e o meu namorado fomos viver juntos em 2012, e arranjei um trabalho fixo no ano passado, pelo que fiquei com menos tempo para conhecer os sítios novos que vão abrindo pela minha cidade-natal.

E como este foi um fim de semana para matar as saudades da família e da cidade, decidi pôr o meu novo plano de redescoberta do Porto em marcha. A primeira visita de várias que me espera foi então reservada à Casa Aberta.

  

A par das sugestões dos meus amigos no Facebook, levei simultaneamente a cabo uma pequena investigação por espaços com brunch para levar a minha mãe e o meu irmão neste sábado de manhã. Encontrei logo este artigo do Porto Cool que enumerava vários sítios no Porto (acessíveis) para se tomar um bom brunch. Vi também este artigo da Visão que falava na Casa Aberta. Depois de ter ido cuscá-la um bocadinho ao Facebook, foi declarada a eleita para o brunch de hoje.

E assim fomos. Apesar do dia estar cinzento e chuvoso, a minha vontade de aproveitar bem o fim de semana não desapareceu.

Mas ao entrarmos na Casa Aberta e perguntarmos se ainda estavamos a tempo do brunch, o Diogo respondeu-nos: “Desculpem, mas não temos brunch. Nunca tivemos. Viram essa informação no Porto Cool, não foi?”, ao que respondi que sim. Pelos vistos o brunch da Casa Aberta foi também considerado um dos melhores do Porto por uma revista, mesmo nunca tendo oferecido brunch. Segundo o Diogo, já enviaram muitos emails para as publicações em questão para que retirem essa informação da internet, mas até à data lá continua.

Entendo que deve ser frustrante aparecerem pessoas todos os sábados a pedir brunch com base em informações falsas. Estão a ver porque é que se deve sempre confirmar as fontes? Escrever o que outros blogs ou revistas escrevem como se fosse informação reunida por nós às vezes sai muito mal.

Mas não houve problema. Não havia brunch? Tudo bem, ficamos na mesma. Havia uns pães e uns croissants com um aspecto divinal mesmo atrás da mesa em que nos sentamos e o espaço era irresistivelmente convidativo.

A simpatia do pessoal, a singularidade da Casa Aberta e do seu ambiente, bem como a selecção de revistas disponíveis convenceram-me a ficar sem sequer tentar. Num dia destes, sabe mesmo bem passar algum tempo na Casa Aberta a ler uma boa revista, um livro ou até mesmo aproveitar para levar o portátil e trabalhar um bocadinho. 🙂

Como podem ver, a Casa Aberta não tem apenas o espaço da restauração, mas também uma grande área dedicada ao artesanato.

Existe também um espacinho muito agradável lá fora para aproveitar em dias mais solarengos ou, vá, menos chuvosos.

Fica aqui a sugestão para uma tarde bem passada e bem sossegada no coração da Foz Velha. Ainda tenho muito para explorar no Porto e parece-me que nestas ruelas se encontram verdadeiras pérolas da cidade do Porto.

Tenho ainda mais uns locais deste fim de semana para partilhar convosco, mas entretanto porque não partilham comigo os vossos sítios favoritos na Invicta? 😀 Vá, sugiram! Quero adicionar mais à minha lista! 😉

Contactos

Site: www.casa-aberta.com/
Facebook: https://www.facebook.com/CasaAberta/
Morada: Rua Padre Luís Cabral 1080, 4150-461 Porto
Telefone: 918 557 477

9 Comments

  1. Margarida Ribeiro e Silva says:

    Que espaço tão amoroso!! Já está na lista de sítios a visitar na próxima viagem ao Porto 🙂

    1. joan of july says:

      É, não é, Gui? 😀 Acho que vais adorar!

  2. Ju says:

    Que sítio tão simpático 🙂 mas essa questão do brunch é mesmo uma parvoíce, não acho normal :/ *

    1. joan of july says:

      Mesmo! Imagina como ficam as pessoas que lá trabalham sempre que alguém vai lá de propósito para o bunch… E a culpa não é deles. :\

  3. Catarina Paiva says:

    Depois de ler a tua história parece que estou a ler a minha, que começou uns aninhos mais tarde mas que em algumas datas bate certo! Por isso, venho muitas vezes ao norte para rever a minha família e aproveito para de vez em quando passar por uns sítios giros no Porto! Esta sugestão é muito boa!! Já está na wishlist 🙂

    1. joan of july says:

      Oh, a sério? Não sabia que tínhamos um percurso tão parecido, Cat! É sempre bom conhecer e partilhar experiências com alguém que passou pelas mesmas situações que nós e que entende perfeitamente. 🙂
      Se tiveres umas sugestões para colocar também na minha wishlist, estás à vontade! 😀

  4. Paulo says:

    Olá! O meu nome é Paulo e sou o autor do blog OPORTOCOOL.Gostava de pedir desculpas pela informação errada relativamente ao brunch da Casa Aberta, que partilhei com base em diversas fontes pelos vistos incorretas. Lamento algum inconveniente causado, tendo já corrigido a informação. Obrigado! Paulo

    1. joan of july says:

      Olá Paulo!

      Muito obrigada pela mensagem e por ter feito a correcção. 🙂
      De qualquer forma, aproveito também por agradecer ter falado da Casa Aberta, que fiquei a conhecer pelo OPORTOCOOL. Apesar de não ter brunch, resultou na mesma numa experiência muito agradável. 😀

Leave a comment

Your email address will not be published.

CommentLuv badge