humour,  what I've learned from

What I’ve learned from… big boobs

Uma vez que tive tão bom feedback deste post que escrevi sobre algumas dificuldades que só quem tem um peito grande compreende, achei que fazia todo o sentido a rubrica “O que aprendi com” desta semana continuar no mesmo tema.

Since I had such good feedback from this post I wrote about some difficulties that only those who have a large chest understand, I thought it would make perfect sense to write this week’s “What I’ve learned from” about the same theme.

Vamos a isso então!
Let’s do this! 

1. Arranjar soutiens giros e que sirvam é uma tarefa hercúlea.

Finding cute bras that fit is an (almost) impossible task.

É exactamente o mesmo problema que já mencionei aqui. Ah, e quando arranjamos soutiens que são giros e nos servem, fixe, mas são sempre MUITO mais caros…
It’s exactly the same problem I addressed here. Oh, and when we do find one, they are always A LOT more expensive.
 

2. Temos que levar com gente a perguntar coisas como “Já pensaste em fazer uma redução mamária?”

We have to subject to questions like “Have you ever considered getting a breast reduction?

Será que não percebem o quão intrusiva é esta pergunta? Gostavam que vos perguntasse: “Já pensaste em fazer um aumento mamário?” Digam lá se não soa a insulto. 😉 Por acaso fiz um, mas ouvi muito disto antes e enfurecia-me sempre. Ninguém tem nada que perguntar isso a não ser que se ofereçam para pagar.
Why can’t people realize how offensive this question is? How would you feel if I asked you: “Have you thought about undergoing a breast augmentation surgery?” Tell me it doesn’t sound a little insulting… 😉 Actually I did have a breast reduction, but befire that I did hear this a lot (the breast reduction question) and always infuriated me. It”s nobody’s business unless they offer to pay for the surgery.
 

3. E ainda: tens muitas dores de costas?

And also: does it hurt your back?

Aqui têm. Satisfeitos?
There you have it. Happy?

4. Ficamos com um ar sexual em QUALQUER COISA

You look automatically sexual in ANYTHING we wear.


Não pensem por um segundo que estou a gabar-me de alguma coisa, antes pelo contrário. Há tanta coisa que é impossível usar no trabalho, entrevistas de emprego, casamentos, a lista continua… Don’t think for a second that I’m bragging. It’s actually the opposite situation. There are so many things we can’t wear to work, to a job interview, to a wedding, the list goes on…

5. E às vezes há aquele momento em que alguém (normalmente do sexo feminino) nos pergunta se pode tocar (e se são verdadeiras)

And then sometimes there’s an awkward moment when someone (usually a girl) asks us if she can feel them (and asks us if they’re real)

Er… eu preferia que não.
Er… I’d rather not.

6. Fazer desporto é terrivelmente difícil pelas razões óbvias.

Playing sports is extremely difficult for obvious reasons.

Só o acto vestir um soutien de desporto (quando não temos que usar dois) quase conta como exercício.
Just putting on a sports bra almost counts as excercise.

7. As pessoas focam-se demasiado numa única característica nossa

People focus on our breasts way too much

Quer os homens, quer as mulheres, olham e referem-se a nós mencionando esta única característica. Podemos ter pernas altamente definidas, um nariz perfeito, um cabelo de sonho, mas não. A única coisa que somos é “a rapariga das mamas grandes”.
Both men and women look and refer to us meantioning this one feature. We can have super toned legs, a perfect nose, a dreamy hair, but no. All we are is “the girl with the big boobs”.

… e há mais!
… oh, but there’s more!

  • Esqueçam os crop tops. O nosso peito enche todo o espaço do top.
  • Forget crop tops. Our boobs eat up the entire shirt.
  • Os tops com soutien embutido são um mito. Wtf?? Onde está o soutien exactamente? Não sinto nada.
  • Tank tops with built-in bras are a myth. Wtf? Where exactly IS the bra? I can’t feel it…
  • Não podemos usar push-up bras. Primeiro, porque não os há em tamanhos verdadeiramente grandes e depois, porque vamos parecer a Pamela Anderson pós-Baywatch em 1998 (não no bom sentido).
  • We can’t wear push-up bras. First because we can’t find them in bigger sizes, and second because we risk looking like Pamela Anderson post-Baywatch circa 1998 (and not in a good way).
  • O corte império é uma ideia muito bonita… e romântica. Pena é parecer que temos sempre vestida uma peça de maternidade.
  • Empire waists are a really cute but romantic idea. Too bad we always look like we’re wearing maternity clothes.
  • Podia ficar aqui a noite toda a enumerar ainda mais coisas que aprendi com a condição de ter um peito grande (que já foi bem maior), mas ninguém (nem eu) tem tempo para isto! 😛
  • I could stay here all night listing all the things I’ve learned from having to live with big boobs (that used to be even bigger), but ain’t nobody got time fo’ that!

A ideia para escrever este post surgiu de um artigo da Cosmopolitan, mas subscrevo inteiramente e acho um piadão a estas coisas. Não quero que pensem que me estou a queixar! Só acho que um bocadinho de humor ajuda a aligeirar a coisa. 😉
The idea to write this post came from an article on Cosmpolitan but I subscribe entirely to everything they wrote. I don’t want you to think I’m complaining, I just thought I little humour could help lighten things up. 😉

Espero que tenham gostado!
I hope you all liked it! 🙂

P.S.- Para vos “dar” este post com estes gifs foi super difícil. Tentem lá ir ao Tumblr procurar gifs de peitos grandes sem se depararem com porn. Boa sorte. 😛
It was super difficult to bring this posts with these gifs today. Just try looking for big boob gifs on Tumblr without stumbling upon porn.

17 Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *