advice,  travel

12 tips to save money and travel (more)!

Antes mesmo de sabermos para onde vamos viajar, há muita coisa que podemos fazer para nos prepararmos (e ao nosso orçamento) para a próxima viagem. Desde as minhas últimas férias (na Escócia) tenho pensado cada vez mais em viajar mais vezes, por isso vou de certeza aplicar  e testar muitas (se não todas) estas dicas para tornar os meus desejos de conhecer mais países e culturas uma realidade!

1. A escolha do destino

A escolha do destino da próxima viagem é o primeiro passo a dar se quiserem não gastar muito dinheiro. Como sabem, há países e cidades mais caros que outros. Se querem mesmo muito ir a um país “caro” devem ir, claro! Não estou a dizer para escolherem um destino barato só porque sim. Eu só viajo uma vez por ano (infelizmente), por isso tento escolher bem e só ir onde realmente quero ir, não por ser mais ou menos barato.
Sou da opinião que depois de lá estar (onde quer que seja), há sempre coisas que posso fazer para não gastar tanto dinheiro.

2. Viajar fora da época alta

Este é uma dica óbvia, mas que convém sempre lembrar. Não se esqueçam de que a época alta varia de destino para destino.
A época alta é, geralmente, a melhor época (do ponto de vista do lazer e do conforto) para viajar para um local. Por exemplo, se quiserem ir às Maldivas, talvez prefiram ir de Dezembro a Março, já que é a altura mais seca do ano (sendo que a partir dessa altura o clima é mais húmido e chuvoso).
Por outro lado, viajar em meses de “época baixa” permite poupar, por vezes, 50% do valor total. Ah, e é menos provável terem que lidar com verdadeiras enchentes de outros grupos de turistas onde quer que vão!

3. Ver preços de viagens em sites de comparadores de tarifas

Não vale a pena irem a correr (figurativamente) ao site da Ryanair ou da Easyjet. Vejam os preços num site comparador de tarifas de voos. Quem sabe se não encontram voos ainda mais baratos em companhias aéreas em que nunca pesquisariam! Já me aconteceu. 🙂
Alguns desses comparadores são, por exemplo eDreams, Momondo, Skyscanner, Dohop e Vayama.

4. Viajar a horas pouco convencionais

Se vais viajar de férias e não em trabalho, considera escolher um voo a horas pouco convencionais. Normalmente são bem mais baratos! 🙂
Não te preocupes, quando regressares a casa descansas e logo recuperas os teus horários.

5. A escolha do alojamento

A escolha mais lógica e instintiva continuam a ser os hóteis, embora já se recorra mais aos hostels e pousadas da juventude (youth hostels).
Se se decidirem por um hotel, escolham um em que o pequeno-almoço esteja incluído! Já é uma grande ajuda nos custos totais da viagem.
Quando estive em Inverness agora em Maio, o hotel não só tinha incluído o pequeno-almoço (buffet self-service), como uma zona em que era possível preparar o pequeno-almoço para levar. Ou seja, o que acontecia era que comia lá o pequeno-almoço e preparava depois algumas coisas para levar para o carro (alugado) para ir comendo durante o dia.

Sites como o Airbnb oferecem também uma alternativa valiosa aos tipos de alojamento mencionados. Ficar num apartamento é uma boa forma de viver como um habitante local e, para além disso, como têm cozinha, podem sempre cozinhar algumas refeições. Digo algumas, porque é sempre boa ideia guardar um dinheirinho para experimentar comida típica em restaurantes locais. 🙂
A gastronomia é uma excelente forma de ficar a conhecer melhor as tradições e costumes de um país.

Outros tipos de alojamento aconselhados para quem quer poupar dinheiro passam por pet sitting, couchsurfing (já não é novidade, não é verdade?), troca de casa e acampar.

Sites úteis para arranjar alojamento mais barato e viajar de uma forma alternativa (aconselha-se uma mentalidade aberta para viajar de acordo com alguns destes sites):

6. Façam compras no supermercado e cozinhem as vossas próprias refeições ou comam com habitantes locais

Esta dica prende-se com o tipo de alojamento que escolherem. Vejam a dica de cima. 🙂
Mas volto a repetir; não deixem de comer de vez em quando em restaurantes típicos em que sirvam comida tradicional do país que estão a visitar. Gastronomia também é turismo.
Se preferirem comer com habitantes locais para poupar dinheiro e conhecer pessoas, dêem uma olhada nestes sites:

Esta é uma oportunidade fantástica para pedirem conselhos, direcções e indicações a pessoas que realmente vivem no local que estão a visitar! Para além disso, toda a gente sabe que é à mesa que se trocam as melhores histórias e experiências. 🙂

7. Antes da viagem pesquisa por atracções e eventos grátis

Se procurarmos bem, existem atracções grátis em todas as cidades, sejam museus, festivais de rua, feirinhas engraçadas e até mesmo actuações musicais e teatro. É tudo uma questão de procurar bem e/ou de manter os olhos e ouvidos bem abertos quando lá estamos no nosso destino de eleição!
Por exemplo, tal como cá em Portugal existem cantores de fado na rua, em Edimburgo encontram-se também tocadores de gaitas de foles tradicionais. E assim absorve-se mais um bocadinho da cultura do país. De graça. 🙂

8. Arma-te com as melhores apps

É verdade, as apps podem ser uma arma muito eficaz contra os gastos desnecessários e exagerados.

Recomendo, por exemplo:

Boonzi, para controlo dos gastos em viagem e análise dos mesmos após a viagem
XE Currency – é sempre bom fazer a conversão do dinheiro para sabermos quanto estamos realmente a gastar.

Por exemplo, na loja do Museu de Edimburgo, vi um livro de que gostei imenso e queria comprar. O preço marcado era de 24£, que não achei exagerado, mas quando pensei na conversão para euros (cerca de 33€) disse “Nooo wayyy, Jose…. Depois vejo se há mais barato no Amazon ou Book Depository”. Facto: Há. A 14€! Top that! 😉

Whatsupp, para mandar mensagens grátis, obviamente. 😀

9. Antes da partida, lê os regulamentos da(s) companhia(s) aérea(s) pela qual vais viajar

Escusas de pagar 50 ou 60€ por uma mala que não sabias que podias levar contigo na cabine (dentro do avião). Saber a priori quantas malas podes levar sem pagar é sempre uma boa ideia. E, já que estás com “a mão na massa”, vê também os objectos que podes ou não transportar, capacidades máximas de produtos de beleza/higiene, etc. Ou seja, evita desperdícios de produtos e dinheiro ao máximo. 😉

10. Cria um orçamento!

Se querem mesmo controlar os vossos gastos em viagem e regressar sem arruinarem completamente as vossas finanças, façam um orçamento. Ou seja, estabeleça, um limite para gastar em viagem. A partir daí, resta-vos fazer escolhas acertadas sobre em que gastar o dinheiro. Eu falei-vos aqui sobre o orçamento para poupar dinheiro antes da viagem, mas fazer um para durante a viagem é igualmente importante e também mencionei o meu no mesmo artigo.
E estou muito feliz por vos poder comunicar que sim, respeitei o meu orçamento para a Escócia na perfeição! 😀 (e ainda sobrou dinheiro porque o ATM do aeroporto não me deixou levantar todo o dinheiro que tinha no orçamento de uma só vez e depois optei por não levantar mais).

11. Arranjem logo um mapa quando chegares ao destino

A maioria dos aeroportos, hoteis e hostels têm mapas da cidade gratuitos à disposição dos turistas. Tira um (ou dois) e anda sempre com ele. Assim, em vez de apanhares um táxi por impulso, vês primeiro no mapa se compensa realmente ou se podes facilmente ir a pé.

12. Enquanto estás ausente aluga a tua casa!

O Airbnb não funciona só como um site de pesquisa de alojamento! Nãaao senhora! Já pensaram em colocar lá a vossa casa para que outros viajantes possam alugar enquanto vocês estão fora? Sempre é uma forma inteligente (e fácil, diga-se) de recuperar algum dinheiro investido na vossa viagem! 🙂

2 Comments

  • Inês Silva

    Olha isto tá mesmo bem pensado e há aqui coisas que não me lembraria. Ainda não planeei uma viagem para fora sozinha ou só com gente da minha idade por isso nunca me preocupei com algumas coisas, mas com os planos que tenho, este post já é uma ajuda ^^

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *