personal

8 vantagens do comprimento lob e o meu novo corte de cabelo

No dia 2 de fevereiro decidi fazer um corte de cabelo à séria. Não houve cá nenhum “era só aparar as pontas, sff” nem “só queria cortar dois dedos no máximo”. Não. Foi à vida metade (ou mais) do meu cabelo. Podia dizer-vos que foi uma decisão muito ponderada, mas nem por isso. Deu-me a coragem nesse dia e teve que ser! Aqui, mostro-vos melhor o resultado final deste meu “lob” e algumas vantagens deste comprimento, caso estejam a pensar em enveredar por ele.

Como podem perceber por esta decisão, não sou nada fixada no início de Janeiro como a época ideal para mudanças. Lá porque o ano é novo, não quer dizer que algo mais o seja. De facto, com a chegada do primeiro dia do ano nada mudou em mim, mas à medida que o tempo foi passando senti uma vontade imensa de cortar o cabelo.

Porquê cortar (tanto) o cabelo?

Já algum tempo que andava aborrecida do meu. Estava enorme e pesado e estava a fazer-me sentir mais pesada e mais velha. Sempre adorei cabelo comprido, mas nem sempre gostei de sentir o cabelo comprido. Dá para perceber? Mas a verdade é que quase sempre, na minha vida, o tive assim e, mesmo quando o cortei muito, em 2016, ele cresceu num ápice e não mantive o corte “lob”.

Não vos consigo explicar o quão ‘bored’ já estava com o meu cabelo. Ainda fiz uma franja longa em Dezembro para tentar contrariar este sentimento, mas não mudou grande coisa na forma como via o meu cabelo. Então, dei por mim a cobiçar a minha pasta de cabelos no Pinterest, com a maioria dos cortes de cabelo na categoria “lob” (long bob).

Não há nada de filosófico aqui, simplesmente senti que precisava muito desta mudança para me sentir melhor comigo mesma. E… funcionou!

Adoro este comprimento e já vos vou explicar porquê.

  • Gasto muito menos champô, amaciador e máscara
  • Leva-me muito menos tempo a secar

Ultimamente já nem secava o cabelo com o secador, porque – apesar do frio – dava-me imensa preguiça de o fazer por saber que ia demorar séculos.

  • É mais versátil

Ainda dá perfeitamente para o prender, se eu quiser, fica giro liso, com caracóis ou beach waves, dá para fazer tranças (pequenas, mas dá) e quase todos os penteados.

  • Ficou muito mais saudável

Duh! Não que ele estivesse em péssimo estado antes, mas sendo um bocado seco e com textura de cabelo ondulado/encaracolado era dificílimo de pentear, mesmo com condicionador ou máscara. Era mesmo um trabalho hercúleo penteá-lo, acreditem.

O cabelo já não fica preso nas alças das malas ou por baixo dos casacos
Isto é tão, mas tão bom! Ainda tenho o reflexo de o ir tirar de debaixo das alças das minhas malas, mas… ele não está lá! 😀

  • Já não sujo o cabelo a comer

Ou já não tenho que o prender cada vez que como, porque é menos provável sujá-lo!

  • Não preciso de tantos cuidados para não molhar o cabelo a lavar os dentes

A mesma coisa do ponto acima. Eu ainda tenho o reflexo de o prender, mas ele não está lá e é muito mais difícil molhá-lo a lavar os dentes.

  • Vêem-se melhor os meus brincos!

Claro que esta não é uma boa razão para cortar o cabelo, mas tenho achado engraçado receber tantos elogios aos meus brincos agora que cortei o cabelo. De facto, vêem-se muito melhor!

  • Faz-me parecer mais nova e sofisticada

Claro que isto é subjectivo, mas é assim que me sinto e é a imagem que o espelho me devolve. Acho mesmo que me faz parecer mais nova, mais leve e, por estar sempre arrumadinho (é mais fácil de tratar e de fazer styling), também sinto que me dá um ar mais sofisticado.

Não quero, com isto, afirmar que os cabelos compridos são menos sofisticados, apenas que o meu era meio indomável e que esta mudança me ajudou a tratar melhor dele.

Cabelo e identidade

Com esta experiência aprendi que – chocante! – cabelo é só cabelo. Nem sempre senti isto, atenção. Não vou mentir-vos e dizer que nunca chorei por me terem cortado o cabelo muito mais do que aquilo que pedi ou com uma franja demasiado curta que eu própria cortei em casa, por impuso.

Mas sinto que cheguei a um patamar de maturidade em que sinto que ok, é importante eu gostar do meu cabelo, mas também que “cabelo é só cabelo”. Ele cresce de novo, portanto mesmo que me canse deste corte, ele volta e posso fazer-lhe o que eu quiser. Outra coisa de que me apercebi com esta recém-adquirida maturidade foi que o meu cabelo não me define. Não me sinto diferente por já não saber a Catarina do cabelo comprido. Sinto-me exactamente na mesma; nem mais nem menos eu.

Também não acho que toda a gente tenha que mudar radicalmente para se sentir mais bonita e mais confiante, mas foi aquilo de que estava a precisar nesta fase e, comigo, resultou. 🙂

Para terminar, deixo apenas a minha opinião em como – se andas a pensar experimentar cortar o cabelo em “lob” – este comprimento favorece qualquer pessoa. Acredito mesmo.

10 Comments

  • rita erre grande

    Estou agora a pensar em cortar o meu e deixaste-me inspirada!!! Vamos ver o que sai daqui 😉

    • Catarina Alves de Sousa

      Yayyy! Espero que sim, Rita! 😀 a mim soube-me incrivelmente bem esta mudança. De vez em quando faz falta. 🙂

  • Catarina Coelho

    🙂 Fizeste muito bem! Confesso que adorava o teu cabelo antes mas o que interessa é o que TU achas 🙂 Eu fiz alisamento há quase 1 mês porque também já não suportava o tempo que precisava para que o cabelo ficasse bonito Como lavar + secar era demasiado tempo para o meu estado de espírito de agora, acabava por lavá-lo menos e andava regularmente com um cabelo feio e pouco arranjado/cuidado.
    Com o alisamento também o cortei um bocado, mas sinceramente ainda não me sinto convencida. Nos últimos tempos olho para o espelho e nem sempre me reconheço… mas acho que é um processo! Sempre que anteriormente fiz alisamentos acabei a cortar o cabelo pelos ombros… apesar de o adorar comprido. Desta vez deixei num tamanho médio e parece que não é carne nem peixe ahah Diria que ainda estou a caminho nesta mudança… só não sei se dos ombos ou das costas! O tempo o dirá 😉

  • Joana Sousa

    Olha, e fizeste tu muito bem – concordo contigo, estás mais leve! Estás linda 😀 Eu nunca fui muito apegada ao cabelo – ou melhor, gosto muito dele porque me permite “inventar” e não tenho grandes medos da tesoura ou de cor. Acho que é mesmo uma forma fácil de brincarmos com a nossa imagem e o nosso estado de espírito 🙂 Tbh, não tivesse eu uma peça no fina de Março e o meu já não estava como está lool

    Jiji

  • Andreia Moita

    Fica-te bem, Cat. Gosto mesmo e concordo que ficas mais leve! Também eu já chorei muito por um corte de cabelo. Sei do que falas. Hoje não faço tantas fitas para cortar e gosto sempre do resultado quando me vejo com cabelo curto, no entando demoro sempre imenso a tomar a decisão… como se estivesse com saudades antecipadas!

  • Marta Fernandes

    Bom dia
    Há cerca de duas semanas fiz o mesmo ao meu. Estava pelo meio das costas e agora ficou pela base do pescoço.
    Ainda tenho tendências de o agarrar quando estou a fazer a higiene matinal, mas já não é preciso :).
    O meu cabelo chegava a ficar preso nas axilas…
    Fiquei mais leve e demoro muito menos tempo a arranjá-lo.
    Agora estou a ver se consigo não pintar. Já estou muito grisalha (48 anos), mas nunca o pintei para esconder os brancos, era mesmo porque gostava de me ver com o cabelo preto.
    Mas acho que desta vez é para ficar sem tinta mesmo. Vamos ver se consigo 🙂
    Beijinho
    Marta
    https://pitinhosdamarta.blogspot.com/

  • Ines | Wit Konijn

    És linda de qualquer forma, mas este corte deu-te um ar mais fresco!
    Sempre tive o cabelo enorme, desde criança, e à uns anos atrás decidi cortar bem curtinho pelas orelhas, desde então tenho andado volta não volta a cortar.
    Muitas vezes tenho saudades do cabelo mais comprido, por outro lado não só é mais prático o cabelo curto como honestamente não tenho saudades nenhumas de sentir puxões de cabelo a meio da noite ou dores de cabeça por top knots apertados hahah Beijinhos!

    http://pt.witkonijn.net/?zx=5db7eb4baba725fe

  • Daniela Soares

    Eu não tenho problemas nenhuns em cortar o cabelo, aliás adoro aquela sensação de passar as mãos e sentir o cabelo curto. Infelizmente não acho que me favoreça muito por isso opto por tê-lo mais comprido na maior parte do ano, mas por vezes é aborrecido ter o cabelo preso em tudo o que é sítio ou embaraçado…

    Another Lovely Blog!, https://letrad.blogspot.com/

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *