blogging,  home,  personal

A última colega de quarto e quarenta seguidores

Sexy brunette roommates

 

Já passa da meia noite e ainda estou em estado de adrenalina. Passei a tarde, depois do trabalho, às compras com o namorado para a casa nova, da qual tenho imensa vontade de falar aqui, mas não vos vou massacrar todos os dias com posts sobre cada candeeiro que compramos para lá enfiar, não se preocupem.

Devia estar cansada, até porque, como vocês bem sabem, o Ikea é gigante e até nem foi o único sítio onde fizemos hoje, mas a verdade é que não estou. Cheguei a casa depois das dez e ainda estive a fazer exercício no meu EA Sports Active (para a Wii).

Então por que não me sinto cansada?
Às vezes estou realmente de rastos e só me apercebo disso quando me sento e paro um bocado. Aí sim, cai-me tudo em cima. Mas hoje não é isso. Estou sentadinha a escrever este post e ainda estou “cheia de pica”.
Acho que a única explicação é este clima de mudança que paira no ar e cujo aroma se vai tornando cada vez mais nítido.

A minha colega de casa polaca foi embora hoje de manhã, portanto estou novamente sozinha neste grande apartamento. Foi estranho. Ela já cá tinha vivido no ano passado enquanto aluna de Erasmus; desta vez estava cá deste Janeiro a fazer um estágio.

Quando alguém partilha casa com outras pessoas durante muito tempo, como eu, acaba por se habituar a ver pessoas a chegar e a partir de casa, mas desta vez foi totalmente diferente. Não é só por gostar dela; é também porque me apercebi de que esta foi a última vez que vi alguém sair desta casa e a última vou ser eu.

Mas vá, nem era nada disto que eu queria dizer neste post, mas não tem mal, até acaba por ser um post completamente espontâneo sobre algo que quis partilhar em tom de desabafo. E tenho que aproveitar para escrever porque estou na posse de outro pc (o meu está com um problema no teclado) que o meu namorado me emprestou.

follower

Aquilo que eu vinha realmente aqui fazer era agradecer aos meus QUARENTA seguidores por tomarem interesse pelo meu blog, pelos meus devaneios e por comentarem com palavras doces e sempre simpáticas as patetices que eu escrevo para aqui.
Nunca me preocupei nada com esta coisa dos seguidores, nem muito menos faço publicidade ao meu blog quando comento outros. Limito-me a comentar aquilo que acho interessante e, se as pessoas tiverem curiosidade, que visitem o meu cantinho. Só me seguem se quiserem e não prometo a ninguém seguir se também me seguirem.
No entanto… obrigada! Escreveria na mesma com 1, 0, 41 ou 5000 seguidores, mas é sempre bom “ouvir” outras vozes e sentir-me acompanhada nesta blogosfera.

Às vezes precisamos- ou até nos sabem melhor- as palavras de completos desconhecidos. Não sei porquê, escusam de perguntar. Talvez um dia possam até nem ser desconhecidos. Nunca se sabe. Há pessoas muito interessantes por aí e que adorava conhecer, mesmo que seja por aqui.

Mas há coisas que me fazem pensar. Tantas questões e tão poucas respostas.
Por que gostamos tanto de partilhar coisas íntimas com estranhos?

Por que nos importamos com o número de seguidores? Já não queremos só saber que lêem o nosso blog, mas também quantas pessoas. E porquê?

Mais alguém pensa nestas coisas, ou fui eu que simplesmente entrei numa nova idade dos porquês?

Ou isso ou então estou-me a armar em Carrie Bradshaw, fazer perguntas na minha cabeça e a passa-las para o texto?

Damn, agora apetece-me imenso ver Sexo e a Cidade quando devia mas é já estar a dormir. Boa. Obrigada, blogger.

5 Comments

  • Aida

    por muito esgotante que seja andarmos a mobilar a nossa casa, é verdadeiramente empolgantes, não achas? eu estou completamente na tua onda e cada achado é uma vitória. agora se eu tivesse mais uns euritos…

    boa continuação nas compras e muitas inspirações!

    beijinhos

  • Pics

    Também ando numa onda de remobilar alguns compartimentos, mas numa escala muito menor. Muito mais calminho do que tu 🙂

    Acho que a questão dos seguidores nos dá uma ideia aproximada de quantas pessoas gostam verdadeiramente do que escrevemos, ao ponto de se auto-proclamarem nossas “seguidoras”. Às vezes não quer dizer nada, mas ver o número crescer deixa um sentimento de conforto connosco mesmos.

  • lena

    Olá Catarina.
    Tão bom fazer compras para a casa. Eu gosto muito.
    Eu também não costumo fazer publicidade ao blog quando comento noutros blogs. No inicio cheguei a fazer mas há muito que deixei. Também acho que devemos deixar as pessoas livres de visitar ou não e seguir ou não nada de sigo-te – segue-me… Mas também gosto de ver o numero de seguidores a crescer porque é sinal que gostaram do meu trabalho. Claro que também sigo as minhas estatísticas e fico contente com o crescimento. A blogosfera é um mundo ainda com muito por explorar e entender mas é fascinante…
    Felicidades para a nova etapa…
    Beijinhos grandes.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *