• journaling

    O poderoso papel do Journaling na minha recuperação

    No início deste ano dei por mim na Fnac do Chiado a escolher um caderno. Durante uma hora. Não podia ser um caderno qualquer, tinha que ser um que eu sentisse como especial. Sem demasiada bonecada, sem linhas, sem quadrados, mas não liso. Descobri o dotted paper (com pontinhos) e foi amor à primeira vista. E este foi o dia em que também comecei uma bonita história de amor com os cadernos Leuchtturm1917. Nesse dia, recomecei verdadeiramente a minha prática de journaling. Em criança e adolescente, enchei três diários com histórias, dúvidas e dramas, mas com o passar dos anos passei a escrever em cadernos menos “especiais” até abandonar a…