República Checa,  travel

Humans of Prague

Se me seguem há algum tempo, sabem que, para mim, viajar e fotografar as minhas viagens sem fotografar pessoas (ainda que desconhecidas) faz-me pouco sentido. Há muito que aprendi a não ver os turistas como incómodos nas minhas fotos de paisagens ou de monumentos. Neste post, partilho convosco alguns “Humanos de Praga” que fotografei na minha viagem de Junho à República Checa.

Este post é uma partilha de fotografias dos desconhecidos que fotografei durante esta viagem. Se preferes um post mais aproximado a um relato de viagem por Praga, podes encontrá-lo aqui.

Mas voltando ao presente post e como já referi nos anteriores em que fotografei pessoas aleatórias propostitadamente nas minhas viagens, continuo a achar que trazem um valor inestimável às minhas fotografias de viagem.

São eles, os “estranhos”, os desconhecidos, que me ajudam a medir o quão vibrante, serena, acelerada ou nostálgica é a cidade ou localidade em que me encontro. São eles que me ajudam a medir o pulso aos locais.

São eles, os “estranhos”, os desconhecidos, que me ajudam a medir o pulso aos locais que visito.

Com o tempo e as viagens que fui fazendo, fui deixando de perceber que satisfação me trazia fotografar monumentos sozinhos, sem vida, sem animais ou pessoas. Deixei de perceber como é que, em alguma altura, achei que me estragavam a paisagem.

O que seriam as cidades sem as pessoas? Para quem venderiam os artistas de rua? De que forma poderíamos conhecer tão bem a cultura de um país sem relembrar os seus locais, os seus traços característicos e até as modas actuais?

Quão belos são os estranhos nas paisagens urbanas, com a as suas movimentações, os seus gestos e os seus hábitos, por vezes, tão diferentes dos nossos? Haverá algo melhor para respirarmos e aprendermos uma cultura diferente?

Quase finda esta partilha de fotos de viagem, deixo-vos o convite para espreitarem outras fotos de Praga e locais icónicos que vale a pena conhecer por lá.

Gostam desta temática de fotografar estranhos em viagem? Não deixem então de espreitar outros posts meus:

A importância de fotografar desconhecidos em viagem
Humans of Bruges (and Ghent)

One Comment

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *