Casamento,  personal

O meu pedido de casamento apareceu num jornal italiano (aka “Estou noiva… e agora?”)

Já sabem que o título é meramente especulativo, embora verdadeiro. A presente publicação serve para oficializar – aqui no blog – esta fase tão mágica, única e inesperada da minha vida.

Quem me segue por aqui há algum tempo, sabe que já antes me casei (e descasei rapidamente), mas o que podem não saber é que nunca tive um pedido de casamento ou sequer um anel. Verdade seja dita, nunca senti que queria nada disso, até o conhecer. Foram anos e anos de vida a rejeitar que o casamento era para mim e apregoava aos sete ventos que ceder a estes rituais heteronormativos da sociedade estava fora de questão. 

Mas algo mudou quando o conheci; houve um click, algo inexplicável e muito, muito forte. Se percebesse dessas coisas, ia jurar que a nossa é uma relação kármica, porque sinto que já nos conhecemos de outras vidas.

Mas adiante.

Nós, em Messina, a poucas horas de ficarmos noivos

Outra coisa que sempre disse foi que, a haver pedido de casamento, não queria que fosse público, porque ficaria com imensa vergonha e fico desconfortável com a ideia de ser o centro das atenções de uma multidão.

E o que é que eu tive?

Um pedido de casamento super público, no meio de uma praia siciliana, rodeada por +100 motards num encontro europeu no motoclube ao qual pertence o meu namorado noivo.

Sim, existe um vídeo do pedido de casamento!

Eu sei que a maioria das pessoas gosta é de histórias do pedido e de ver o anel, mas eu também acho muito especial relembrar os momentos que antecederam o pedido. Muita gente me perguntou se eu sabia que ia acontecer ali (ou nas férias) e se sabia o que estava a acontecer naquele momento. As respostas a essas questões são não e não. 

Eu já andava semi desconfiada de que ele estava a pensar em pedir-me em casamento, mas não sabia sequer que ia ser este ano. Ele falava muitas vezes sobre querer casar comigo e passar o resto da vida comigo, mas nunca sabemos quando é que isso vai ser. 

Quanto ao momento em si, desconfiei zero que seria ali, no meio de um encontro do motoclube, em Messina (Sicília). Desde o início que interiorizei que aquele fim de semana não era sobre mim nem sobre nós e que ia poder viver a minha melhor vida de introvertida, a chillar e a ler. 

Mas ele tinha outros planos.

Um dos membros do motoclube (que eu já conhecia), distraiu-me no bar da praia e meteu conversa. Disse-me que dali a uns minutos iriam chamar-me para ir tirar uma foto junto à praia com o resto das raparigas presentes no encontro (mais duas, só). Ou seja, quando chamaram pelo meu nome (conseguem ver isso no vídeo), eu desci as escadas a achar que ia tirar a tal foto.

Quando o vejo ali, sozinho, a falar de mim, cai-me a ficha e apercebo-me de que poderá estar a acontecer ali… A minha reação foi atirar a bolsa para um canto e tirar o elástico que me prendia o cabelo porque se vou ser pedida em casamento de calção de ganga e tshirt, ao mesmo que esteja com o cabelo solto e esvoaçante. Pfffff. 

Ser-se pedida em casamento de vestido lindo a esvoaçar ao vento, juntamente com um cabelo sedoso, zero transpirado pelo calor intenso do dia, é só nos filmes (ou nos vídeos de Instagram das influencers).

E lembram-se de ter dito que morria de vergonha a ser o centro das atenções? Confirma-se e fiquei ainda meio em choque durante várias horas após o pedido. Tremi um bocadinho das mãos, confesso.

E como se esta exposição não tivesse sido suficiente, claro, aparecemos no jornal mais importante do sul de Itália! Eu bem tinha visto lá um fotógrafo, mas achei que ele só estava a tirar fotos ao evento europeu do motoclube. Mas não, e agora temos uma memória lindíssima e absolutamente única para colocarmos em exposição na casa nova (quando nos mudarmos), onde vamos construir a nossa vida e memórias futuras.

Agora, meus amigos, existe uma grande diferença de fases entre ficar-se noivo e começar a entrar em força na parte da organização do casamento, que é algo que eu nunca me imaginei a fazer. E, como devem imaginar, tenho muito a dizer sobre isso também.

Será que mudei de ideias? Será que vou ter um casamento grande? Fiquem por cá para descobrir. 😉
E, com este post, inauguro uma nova categoria no blog: casamento (seja ele grande, pequeno ou algo só entre nós os dois).

6 Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published.