Sem categoria

um simples “Olá” ou “O que é que eu ando a fazer nesta vida”

Estou para fazer um post neste blog há tantas, tantas semanas.

Não sei muito bem que necessidade tão grande é esta de actualizar um blog com acontecimentos da minha vida, como se esta fosse interessante por aí fora.

Durante as minhas “férias” evitei falar sobre o status da minha vida publicamente para não me deprimir mais. Passo a explicar.

Acabei oficialmente a parte lectiva do mestrado (em Jornalismo) no dia 31 de Janeiro de 2010, o que quer dizer que, para obter o diploma, teria que realizar um estágio ou um trabalho de projecto (whatever that means). Como é que arranjava o estágio? Boa pergunta. Pensei que era um professor meu que estava encarregue disso. Mas, afinal não, segundo descobri várias semanas mais tarde.

E mais semanas se passaram até que…um belo dia (uma quinta-feira, se não me engano) recebi uma chamada de um número privado. Eram 11 da manhã e estava a dormir, mas achei que podia ser importante e atendi. Logo me respondeu uma voz feminina do outro lado a perguntar-me se estaria interessada num estágio na Máxima. “Hellz, yeah!”, respondi eu. Not. Disse apenas que sim e combinámos uma data para a entrevista. O que é que eu ia dizer? “Não, obrigada”? Não me parece. Andava a tentar arranjar um estágio nesta revista desde o meu último ano de licenciatura (2007-2008).

O que é engraçado é que, depois de tantas e tantas tentativas, já tinha perdido a esperança de qualquer contacto por parte da Máxima.

E sabem o que é ainda mais engraçado?

 

O que é ainda mais engraçado é que, depois de tantas semanas e mais de um mês em que não tinha qualquer resposta ou proposta de estágio, no dia seguinte me ligaram a perguntar se estaria interessada num estágio na Cosmopolitan. Não me candidatei. Oi? Oh meu deus.

Combinámos entrevista.

Long story short: Fui à entrevista na Máxima numa 2ª e pediram-me para começar a estagiar na 4ª. A entrevista na Cosmo era terça. Desmarquei.

E foi isto… Cá estou…na Máxima. 😉

Isto foi só para vos pôr a par, mas não me fico por aqui. Há imensa coisa que quero escrever aqui. Ando a ter verdadeiras revelações e epifanias sobre a vida, o crescimento, os estudos, o trabalho… Há coisas que preciso de escrever senão posso muito bem vir a explodir. E ninguém quer isso. Se começar a falar, nunca mais páro. 😡

XoXo

P.S.- BTW, não, não me pagam. Mas preciso disto para acabar o mestrado eeeeee…. para acumular meses para obtenção da carteira profissional da jornalista.

3 Comments

  • Lydie

    Beeem boa sorte aí na máxima! (quando acabar a minha licenciatura gostava mesmo de ter uma oportunidade de ver as minhas ilustrações numa dessas revistas de moda!!!)

    já não estou de férias 🙂 (só tive uma semaninha) esse cenário é o que vejo da janela do meu quarto em Tomar (cidade em que estudo), tem uma vista bonita, sobretudo no crepúsculo.

    beijinhos*

  • Catarina

    sim, sou eu que escrevo tudo, mas quando copio algo refiro o autor.
    fico muito (muito mesmo) agradecida pelos seus alogios em relação ao meu blog, e espero que volte e que goste na mesma dos novos posts 🙂
    muito obrigada, mais uma vez.
    Beijinhos.

Leave a Reply

Your email address will not be published.