personal

Meet my current role models (rock & tv edition)

Cada vez mais acredito que é possível moldarmos-nos para nos tornarmos nas pessoas que gostaríamos realmente ser. Há traços da nossa personalidade que são únicos, inatos e originais, mas existem outros que por vezes não possuímos, mas que, com prática e tempo de vivência, podemos vir a adquirir.
Por exemplo, a falta de confiança. Há várias situações desconfortáveis que me tiram da zona de conforto e me fazem sentir exposta e indefesa. Pensei que por esta idade seria uma pessoa cheia de lata, mas ainda não cheguei lá.

Tenho, no entanto, uma espécie de lista de personalidades que gostaria de esmagar, juntar, amassar e juntar depois à minha. Isto porque acredito piamente em treino de personalidade e que o ser humano é uma criatura fascinante e em constante aperfeiçoamento. 🙂

Posto isto, apresento-vos a minha lista actual de influências. Spoiler: não está lá a Beyonce. Ah, e considerem este post mais um momento dorky da minha parte.

Axl Rose

Axl Rose

O vocalista dos Guns ‘N Roses era uma bela peça back in the day (digamos que desde 1987 a 1996). Personificando todos os clichés de uma verdadeira rock star, Axl era dado a alterações de humor, episódios frequentes de violência e, sejamos francos, era insuportável. A sorte dele é que tinha um talento enorme por trás que compensava tudo isto.
Rose tinha algo que parecia emitir um sinal de “não se metam comigo” ou “estou aqui e está tudo bem, mas dás um movimento em falso e passo-me dos cornos”. Axl Rose era sinónimo de uma badassness que às vezes faz falta à nossa personalidade (em moderação). Não acredito que eu fosse ter muito sucesso sem levar dois pares de estalos se me armasse em full on Axl Rose mode, mas em certas situações dava um jeitão.

Traço de personalidade a reter: badassness
Ideal para: situações desconfortáveis em que sejam precisas doses industriais de auto-confiança e em que estejam presentes potenciais “inimigos” de quem não precisamos.
Característica em comum: talvez a única, mas a verdade é que quando alguém me é tóxico e não me traz (activamente) nada de novo, não gosto de guardar para mim e prefiro deixar claros os meus sentimentos negativos em relação à outra pessoa. Não vale a pena perder tempo em joguinhos com pessoas que não nos trazem qualquer benefício. Tal como o Axl, se há alguém de quem não gosto e que me quer mal, essa pessoa vai saber. 😀

Courtney Love

Courtney Love

Sim, é um exemplo mais ou menos nesta onda, mas no feminino, se bem que com um twist humorístico de vez em quando. Quando tinha 15 anos adorava-a e queria ser como ela: destemida, roqueira e com uma predisposição natural para dizer o que lhe vem à cabeça sem ter medo do que possam pensar sobre ela. Mesmo com 15 anos sabia que não poderia ser assim no mundo real sem repercussões, mas perdura o desejo se conseguir ser assim quando é preciso.

Traço de personalidade a reter: ausência de preocupação excessiva com o que os outros pensam dela.
Ideal para: tudo! Há pessoas que nos convém impressionar, é verdade, mas no geral o ideal é vivermos a vida sem tanta contenção só por medo do que possam pensar.
Característica em comum: erm… we love Nirvana? 😛

Sebastian Bach

Sebastian Bach

Para terminar aqui os role models do rock, faltava o Sebastian Bach. Na minha opinião, um dos melhores e mais subvalorizados vocalistas dos anos 80 e 90 (e ainda de agora. Btw, o álbum que lançou este ano está fantástico), Bach tinha algo diferente dos restantes vocalistas da altura (como Axl Rose, por exemplo). Apesar do sucesso que tinha atingido com os Skid Row, deixava transparecer uma humildade e simplicidade desarmantes, visíveis tanto nos palcos como fora deles. Para além disso notava-se que se sentia verdadeiramente feliz por estar a fazer aquilo de que gostava e essa gratidão era óbvia. Não se metia em grandes porcarias (if you know what I mean) e cuidava tão bem da sua voz que não fumava marijuana (o Sebastian já falou algumas vezes sobre os benefícios desta erva) antes de concertos.

É de notar também uma certa infantilidade (de uma forma positiva) inerente à sua personalidade e que parece – felizmente – ainda manter hoje em dia.

Traço de personalidade a reter: gratidão, humildade e espírito jovem; não se leva demasiado a sério.
Ideal para: saber apreciar as oportunidades que nos dão dadas na vida ou que atingimos com o nosso trabalho. Às vezes é preciso parar e pensar na sorte que temos porque tão depressa como atingimos o sucesso, tão depressa este pode fugir.
Característica em comum: a parte de conservar um lado infantil e de (tentar) não levar as coisas com demasiada seriedade, sem dúvida nenhuma!

Mindy Lahiri

Mindy Lahiri

Sou mega fã da actriz Mindy Kalling e, em especial, da sua personagem Mindy Lahiri na série Mindy’s Project. A Dr. Lahiri é hilariante, gira, divertidíssima, tem um guarda-roupa interessante e possui níveis altíssimos de patetice adorável (dork + adorable = adorkable). É dificílimo não se gostar dela e desejar que seja a nossa melhor amiga com quem passamos noites de pijama a ver “filmes de gaja” e a falar de rapazes e das nossas patetices em geral.

Traço de personalidade a reter: sentido de humor e adorabilidade (inventei agora, ok?)
Ideal para: fazermos amigos facilmente.
Característica em comum: um conhecimento assustador da cultura de celebridades. Não me orgulho disso.

Carrie Mathison

carrie mathison

Esta mulher é louca – literalmente -, portanto não é exactamente essa a característica da Carrie que eu invejo. Esta agente da CIA mostra-se, na série Homeland, como uma pessoa irritantemente teimosa, mas que acredita tanto na sua intuição como os muçulmanos em Alá (se vêem Homeland, percebem a referência :P). Por vezes as pessoas à sua volta tentam descredibilizá-la e duvidam das suas teorias e suspeitas (nomeadamente relativas à identidade de terroristas), mas mais tarde ou mais cedo acabam por descobrir que afinal a “maluquinha” tinha razão.

Traço de personalidade a reter: crença inabalável nos seus princípios e teorias
Ideal para: ser melhor profissional e para ter mais momentos em que possa dizer “eu bem te disse!”
Característica em comum: nenhuma ainda, mas devia trabalhar nisso (subtraindo os crazy eyes e obsessão sempre presentes na Carrie).

Kim Kardashian

kim kardashian

Não cresci propriamente com o mote do “ama as tuas curvas” e o facto de as ter desenvolvido muito cedo não ajudou a ser muito confiante no que toca ao corpo e ao guarda-roupa. Mesmo agora nunca me senti confortável para andar a aconselhar outras pessoas a adoptarem esse ponto de vista, pois seria algo hipócrita. Mas hoje tive um clique enquanto experimentava roupa nova com cortes que nunca antes teria pensado em usar. Ao vestir um vestido justo e meio comprido a princípio estranhei. O tecido não caía a direito, mas antes abraçava as curvas, deixando-me meia desconfortável, mas depois dei por mim a pensar positivamente que “este vestido é muito Kim Kardashian.

E foi nesse momento que me apercebi de que esta pessoa fútil (vai publicar um livro de selfies, what?) conseguiu ter um impacto positivo no mundo, apesar de não ter ficado famosa pelos melhores motivos. Por causa dela milhares de raparigas – como eu – aprendem todos os dias um bocadinho mais a gostarem de si próprias e a familiarizarem-se com figuras nos media que não são autênticos espetos. Bem, podia estar a escrever sobre isto a noite toda, mas este tópico merece um post só para ele. 🙂

Traço de personalidade a reter: auto-confiança para usar peças que não se vêem tipicamente a ser usadas por raparigas com curvas.
Ideal para: bem, ter mais confiança, claro, e ser mais aventureira nas escolhas de guarda-roupa. 😉
Característica em comum: not the butt though.

Menções Honrosas:

Blair Waldorf (Gossip Girl)
Arya Stark (Game of Thrones)
Kevin O’Leary (Shark Tank)
Jessa (Girls)
Leslie Knope
(Parks and Recreation)
Max Black (2 Broke Girls)

E com este top passam assim a conhecer-me um bocadinho melhor. Espero que não o levem demasiado a sério. A maioria serve apenas de esperança a ser um bocadinho mais awesome. Toda a gente tem figuras mais ou menos conhecidas que admira por algum motivo, certo?

Quais são as vossas? Vá lá, contem-me, mas sejam verdadeiros que não vou acreditar em Madres Teresas e Princesas Dianas. Let’s get real! 😀

4 Comments

  • Analog girl

    Adorei este post! Que colecção de personalidades interessantes. Vou pensar seriamente nisto e acho que te responderei em forma de post no meu blog very very soon… 😉

    • joan of july

      Yay, obrigada Joana! Adoro esta gente toda (mesmo que algumas delas não existam efectivamente e também não adoro a Kim Kardashian, embora lhe reconheça valor). Lá interessantes são eles!

      Sim, faz isso! Se pensares em quem te inspira, vai sair daí uma colecção de personalidades giríssima. Eu leio! :D*

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *