personal

O melhor do meu 2016

01/01/2017

2016 foi o que foi a nível mundial, o que significa que não foi dos melhores anos. Não me refiro a mortes de celebridades (afinal, todos os anos as há), mas sim a catástrofes, mortes, guerra, o Brexit, a Martia Leal, you name it.
Para mim foi um ano com um balanço muito positivo, mas não perfeito, que isso não existe. 2016 foi o ano em que mudei de casa e que fui à Irlanda. Foi um ano muito emocional, com algumas desilusões, muita ansiedade, mas acima de tudo muitas novidades e projectos.
Agora, à semelhança de anos anteriores, vou listar algumas das melhores coisas que me aconteceram este ano. É um exercício que considero muito benéfico e que me ajuda a sentir grata por todas as experiências e aprendizagens do ano que passou.

O blog

Vou começar pelo óbvio: o blog. Este ano, o Joan of July cresceu mais um bocadinho, desafiou-me a criar mais e melhor conteúdo e fez-me ter a certeza absoluta de que adoro este cantinho e escrever mesmo sem ter qualquer finalidade em mente para além de simplesmente gostar. Para além disso, eu e o Joan of July aparecemos na revista Lux Woman!

O Bloggers Camp e os nossos workshops

Um dos eventos mais importantes para mim, sem surpresa para ninguém, aposto. O Bloggers Camp é o meu (e da Cat e da Ana) bebé, o meu projecto maravilha, que me inspira a sair da zona de conforto e a fazer coisas diferentes, com que as pessoas se identificam e até que procuram. Mais tarde neste ano, tivemos ainda os nossos workshops, os primeiros de todos, e foi uma experiência que nunca vou esquecer. Para além de ter sido uma tarde fantástica e passada em boa companhia, obrigou-me a voltar a dar workshops, algo que já não fazia há anos e que achava que já nem sabia fazer.

o Verão e as férias

O Verão é por si só uma estação em que praticamente tudo o que acontece me deixa feliz, até porque tiro sempre férias para ir ao Algarve e desfrutar dos longos e maravilhosos dias de praia que nos proporciona. Este ano, não só fui ao Algarve, como passei um fim de semana romântico em Minde, fui visitar grutas lindíssimas e fui à Feira Medieval de Santa Maria da Feira, a minha favorita e à qual já não conseguia ir há alguns anos.
Foi um bom e longo Verão este de 2016. 🙂

A música e os festivais

Este ano tive a sorte de ir a imensos concertos, mas festivais foram só dois: o NOS Alive e o Reverence Valada, este último o meu favorito de todos os festivais a nível nacional. O Alive não foi fantástico (embora os concertos tenham valido a pena), mas o Reverence é uma experiência que quererei certamente repetir pela quarta vez em 2017.

Os workshops que fiz

Já alguma vez vos disse que adoro frequentar workshops? Que adoro estar sempre a aprender coisas novas e/ou a aprofundar conhecimentos em áreas que me atraem? Em Fevereiro fiz um workshop de Escrita Criativa na Escrever Escrever que simplesmente adorei e que me ensinou a desbloquear e a escrever sob pressão. Em Julho fiz um workshop de retrato maravilhoso e super personalizado que me ensinou a não ter “medo” do flash e a usá-lo durante o dia também. Levo, por isso, deste ano, ensinamentos preciosos e mais conhecimento nas minhas duas áreas favoritas: a escrita e a fotografia.

A casa nova

Oh sim, a casa nova. Foi uma mudança atribulada e houve muitos mixed feelings à mistura, mas a verdade é que esta casa é maravilhosa e me está a fazer muito, muito feliz. Em breve vou partilhar convosco alguns detalhes cá de casa. 🙂

O trabalho

Houve muita coisa boa a acontecer também em termos de trabalho. Tive muito trabalhinho extra (fotografia e paginação), o que me deixa muito feliz, mas no meu trabalho full time também tive novidades. Mudámos-nos de Telheiras para Miraflores e ficámos todos a ganhar com a mudança (excepto no que diz respeito à distância casa-trabalho 😛 ).

A viagem à Irlanda

Uma viagem mágica que fiz só com ele. Foram dias frios e chuvosos, mas muito felizes. Agora, quando olho para as fotos, não consigo não ficar com um sorriso de orelha a orelha. Vi coisas incríveis, andei por estradas desafiantes com montanhas e penhascos a espreitar mesmo ao nosso lado, visitei a biblioteca mais bonita em que já estive e… bem, tenho muito ainda para vos contar e mostrar sobre esta viagem, mas vou guardar para mais tarde.

O Natal

O Natal deste ano foi mais especial que todos, porque foi o primeiro com ele. Isto sim, é algo que vou sempre lembrar-me que aconteceu em 2016.

É, parece que o meu 2016 não foi tão mau como (aparentemente) o do resto do Mundo. Estou-lhe grata por isso e sei que me vou lembrar dele daqui a uns anos como um ano maravilhoso.

E o vosso, como foi? Também gostam de fazer esta espécie de introspecção?

 

Only registered users can comment.

  1. Também adoro fazer este exercício no fim ou início do ano, porque muitas vezes nos esquecemos das coisas boas que tivemos ao longo do ano e focamos mais nas coisas que não foram tão boas.

    Mas sentar e reflectir um pouco nas coisas boas que tivemos é maravilhoso e realmente nos deixa mais agradecidos pelo ano que tivemos [é uma das coisas que mais gosto em ter um blog, poder ir atrás nos artigos e rever as coisas boas que vivemos =D]

    Bom ano Catarina 😉 *

    Meio Cheio

    1. É esse o sentimento: gratidão pelas coisas boas que aconteceram ao longo do ano. É mesmo isso, Jessica. 🙂
      E concordo contigo; ter um blog é bom para podermos facilmente ir atrás e relembrar o que se passou ao longo do ano!

      Que venham mais memórias e coisas boas de 2017. 😀
      Beijinho grande e bom ano!*

    1. É mesmo inevitável, Angela. 😛

      Obrigada, um 2017 maravilhoso para ti também! ♥

  2. Gosto muito de fazer este tipo de introspecção, mas faço tanto no final como a meio do ano, para ver se as coisas estão a ir na direcção certa. 2016 também foi um ano muito bom para mim, tanto a nível pessoal como profissional. Sou como tu: adoro aprender e volta e meia faço um workshop. Tenho feito também alguns cursos online, em plataformas MOOC, e tenho gostado imenso da experiência (e do preço eheh gosto sempre de coisas gratuitas mas com qualidade).

    Um excelente 2017 para ti e aqui para o teu Joan of July 😉

    1. Sim, fazer a meio do ano é uma excelente ideia! Eu não tinha esse hábito, mas em 2016 fiz e é realmente uma boa forma de nos certificarmos de que temos os nossos objectivos encaminhados. 🙂
      Também cheguei a fazer alguns gratuitos na plataforma Eduke.me e no Coursera. Adorei um de História da Fotografia que eles tinham! 😀

      Obrigada, Catarina e um fantástico 2017 para ti e para o teu Mundo Infefinido! ?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *