6 sugestões para desfrutar do Porto como um portuense

Posted on

Vim ao Porto passar uns dias, visitar a família, rever alguns amigos e matar saudades dos meus lugares. Ontem, por exemplo, estive com a Marta numa tarde de pôr a conversa em dia e de ir ao Centro Português de Fotografia ver a exposição temporária da Frida Kahlo, quando ela me confessou que já conhecia as coisas tipicamente turísticas do Porto, mas que ainda assim consegue sempre descobrir algo novo quando cá vem.
A pensar em quem também não é do Porto (como a Marta), mas já o conhece bem do ponto de vista turístico, aqui ficam algumas das minhas sugestões para visitas e descobertas surpreendentes nesta minha cidade-berço. 🙂

Passear pelo Palácio de Cristal

Esta até pode ser a actividade mais turística desta lista, mas caramba, antes dos turistas já cá estávamos nós – portuenses – e já antes gostávamos deste lugar. Não é que tenha muitos turistas, atenção, mas costuma estar nos roteiros. E tudo bem, merece essa menção! Sempre que eu venho ao Porto vou lá. Aliás, acho que raramente há vez que cá venha e que não lhe faça uma visita.

Quando andava no secundário, ia para lá, para a parte do Museu Romântico, escrever durante horas. Há lá um cantinho que parecia que era só meu, ninguém mo tirava nem me incomodava lá. Esse cantinho é aconchegado e com uma vista incrível para o rio que… sem palavras… Aliás, quando eu digo “visitar o Palácio de Cristal” não me refiro ao edifício que lá está, que não tem nada que ver, mas sim aos jardins e ao rio que tão bem se vê de lá. 🙂

Este é também o local onde se costuma fazer a Feira do Livro do Porto. Cá no Porto a Feira do Livro decorre algures em Setembro.

Podem ver neste post algumas fotos que tirei no Palácio de Cristal e logo decidem se merece ser colocado ou não no vosso itinerário. 🙂

Apreciar a Arte em Miguel Bombarda

A rua Miguel Bombarda, no Porto, é uma das artérias culturais do “novo Porto”. Chamo “novo Porto” a um Porto renascido nos últimos anos, cheio de vida, de pessoas, de arte e de zonas da cidade renovadas. Miguel Bombarda compreende, ao longo dos seus 650 metros, várias galerias de arte e lojas incríveis em que tudo parece uma obra de arte, desde acessórios, a decoração e a roupa. Também existem alguns restaurantes interessantes, assim como lojas vintage e livrarias que valem a pena visitar.

Quando vou a caminho do Palácio de Cristal, normalmente a pé, esta rua é sempre de paragem obrigatória!
Se aqui passarem, não deixem de visitar a Ó! Galeria, a minha favorita! 🙂

Ver exposições fotográficas no Centro Português de Fotografia

Vou ao CPF várias vezes por ano. Vejo até as exposições permanentes várias vezes por ano. Eu adoro o CPF e volto lá sempre que posso. A última vez foi ontem com a companhia da minha querida Marta; fomos ver a exposição da Frida Kahlo. Ainda têm até Novembro para a irem ver! Na minha modesta opinião, vale muito a pena.

Quanto ao espaço físico do CPF, também ele é interessante de visitar. O actual CPF era a antiga Cadeia da Relação do Porto. A história da cadeia e dos presos mais famosos que conteve, também está exposta na parte permanente da exposição fotográfica do CPF.

Absorver a beleza da cidade no Miradouro da Vitória

Como fica super perto do Centro Português de Fotografia, não podem mesmo perder esta vista maravilhosa! É um dos miradouros mais desconhecidos do Porto, por incrível que pareça. Situa-se na Rua de São Bento da Vitória, mesmo por trás do CPF.

Comer um lanche no Forno dos Clérigos

Quem não é do Porto vai estranhar esta fase. “Comer um lanche, como assim? Aí no Porto não se diz lanchar?”. Ahh, mas eu tenho todo o gosto em explicar-vos!

Um lanche no Porto existe como:

  1. refeição tipicamente realizada a meio da tarde, entre o almoço e o jantar;
  2. um bolo salgado d-e-l-i-c-i-o-s-o que é – obviamente – aquilo a que me estou a referir.

Quando fui estudar para Lisboa, em 2005, a coisa que mais tive saudades de comer foi um lanche, de vez em quando, quando me apetecia. Não havia em lado nenhum, ou os lisboetas não sabiam o nome daquilo ou os que havia era simplesmente terríveis. Nunca eram como os do Porto; mas sim secos, sem sabor e sem graça. Pelo menos todos os que encontrei. Após algum tempo, deixei de pedir lanches em Lisboa, desisti.

Se estiverem pelo Porto e decidirem seguir as minhas sugestões, passem pelo Forno dos Clérigos e peçam um lanche, de preferência misto e aquecido. Digo no Forno dos Clérigos porque sei que lá são bons e são – talvez – os meus favoritos no Porto. Quando cá estou costumo ir lá, mesmo sozinha às vezes e peço sempre o mesmo. Sabe-me pela vida!

Beber algo a ver o pôr do sol nas Virtudes

Foto: daqui

Se querem viver o Porto como um portuense enquanto cá estiverem, então façam como os locais e dirijam-se ao Passeio das Virtudes para tomar algo enquanto põe a conversa em dia com os vossos amigos e observem o quão bonito é o pôr do sol e o rio Douro no horizonte. É o momento romântico do dia, ainda mais que uma possível ao Museu Romântico do Palácio de Cristal. Aí, nas Virtudes, vão sentir a verdadeira essência da vida quotidiana no Porto e, quase sem se aperceberem, podem bem começar a sentir que “vivia na boa aqui”.

Não se admirem se acontecer. 🙂

10 Comments

  1. LucieLu says:

    Há coisas aí que ainda não conheço. Tenho que ir explorar!! 😉

    1. Catarina Alves de Sousa says:

      Tens que voltar ao Porto! Está tão cheio de vida e de coisas e lugares tão bonitos. 😀

  2. Daniela Pineu Oliveira says:

    O forno dos clérigos é a alma do Porto! Esse e o Tupi!
    As virtudes andam impossíveis de turistas, pelos vistos descobriram-nas! .-.
    Só faltou aí a Foz Velha/Fluvial, o meu number 1 no top de locais favoritos da cidade 🙂

    1. Catarina Alves de Sousa says:

      Oh sim, sabes bem! 😀 Será que dá para inventar um Uber Eats que me venham trazer lanches de lá cá para Lisboa?
      Ohh não sabia… Quase não vi turistas nesta semana que passei no Porto, para dizer a verdade. :/ Estava a estranhar.

      Eu adoro a Foz Velha e tenho imensas saudades, mas por alguma razão não visito essa zona tanto quanto as outras. Para a próxima não em escapa, lá mais para o fim do mês. 🙂

  3. Marta Chan says:

    Epa epa só me faltou o lanche porque ainda amanhã vou ao passeio das virtudes antes de ir para Lisboa.
    Adorei a tarde Cat, como sempre**

    http://www.viveraviajar.com

    1. Catarina Alves de Sousa says:

      Também adorei, Marta! E obrigada pela tua fonte inesgotável de ideias para posts. Ahahahah :**

  4. Patrícia Lobo says:

    Minha nossa! Tantos lugares bonitos no Porto que não tive oportunidade de visitar quando lá fui passar uns dias. Nem sabia que existiam, sou sincera…
    Obrigada pelas dicas! Com certeza passarei por esses lugares numa próxima viagem a essa cidade linda!

    Beijo *

    https://patricialobo.blogspot.com/

    1. Catarina Alves de Sousa says:

      Que bom, merecem mesmo uma visita, Patrícia! Espero que gostes. :D*

  5. Andreia Moita says:

    Quando fui ao Porto, pela primeira vez, fui levada por um amigo de lá. Ele fartou-se de dizer, a tarde inteira, que tínhamos que ir comer um lanche. E eu, “ok, ele quer ir lanchar”. Quando nos sentamos para comer ele pede um lanche e eu pensei “mas que lata, então já não posso escolher o que quero lanchar, ele pede um lanche e trazem o quê?” Só depois é que percebi, claro. Achei, na altura, que era parecido àquilo a que chamamos “merenda” cá em Lisboa. E fiquei com esta linda história para a posteridade.

    1. Catarina Alves de Sousa says:

      Ahahahaha essa história é hilariante, Andreia! XD
      Mas não digas que é parecido com uma merenda… é tão melhor! Bem, pelo menos os que se comem em casas especializadas. O Forno dos Clérigos é uma delas, também não gosto em qualquer lado, porque em alguns sítios, de facto, parecem comuns merendas. 😛

      (parece mesmo que fui paga pelo Forno dos Clérigos, mas não fui. Nem em lanches. Infelizmente).

Leave a comment

Your email address will not be published.

CommentLuv badge