books,  culture

Livros vs Ebooks: vantagens e desvantagens

Adoro ler; não o faço tanto quanto gostaria porque o tempo não estica, mas estou envolvida em desafios que estimulam a minha leitura e, fora esses, vou lendo livros que alimentam a minha curiosidade e paixão por certos tópicos. Mas a questão é: livros em papel ou ebooks? Como leio ambos os formatos, falo-vos das vantagens e desvantagens de cada um.

Livros em papel: vantagens e desvantagens

Vantagens

1. Ligação emocional

Creio que muito pouca gente irá discordar: é muito mais fácil criar uma ligação emocional com um livro físico do que com a sua versão digital. Só num livro físico é possível sentir-se aquele cheiro das páginas de que tanto se fala; quer sejam novas ou antigas, o olfacto também nos ajuda a criar uma ligação com o livro.

2. Decoração

Não há dúvida de que livros bonitos ficam maravilhosos nas nossas estantes ou mesas de centro. Há livros tão bonitos que se tornam parte da decoração.

3. Memórias

Os livros físicos carregam as nossas memórias, normalmente boas. Falei sobre isso aqui, mais especificamente sobre memórias que criei na Feira do Livro. E se seguem este blog já há algum tempo, também sabem que passei a assinar e a colocar a data nos meus livros, tal como fazia a minha avó paterna. Além disso, adoro comprar livros antigos que vêm com a data em que foram comprados ou oferecidos.

Comprei este na Escócia em 2015 e vinha com esta informação cá dentro…

TO EDWIN
CHRISTMAS 1934
FROM HIS DAD

O tal livro que comprei na Escócia, que foi oferecido ao Edwin, em 1934.

Com os ebooks, isto simplesmente não acontece e perde-se um bocado da magia.

4. Podem ser revendidos

Leakey’s Bookshop, Inverness, Escócia, 2015
(só livros em segunda mão)

Secret Book and Record Shop, Dublin, Irlanda, 2016

Não compro livros a pensar que depois os vou vender, mas já me aconteceu algumas vezes ficar desiludida com alguns livros e não querer que se mantenham lá em casa. Nesse caso, gosto de os revender e ter de volta algum do meu investimento nos mesmos.

Desvantagens

1. Pesados e volumosos

Já experimentaram ler um livro de 400 páginas em pé no metro? Há uma dor característica para quem ergue um livro no ar no metro, em hora de ponta e, diga-se de passagem, é bem desconfortável. Para além disso, nem todos os livros cabem nas nossas malas do dia-a-dia, o que faz com que só consigamos ler alguns livros em casa, quando até nos dava jeito ler nos transportes a caminho do ou para o trabalho.

2. Facilmente se transformam em tralha

Conheço muitas pessoas que são incapazes de se livrarem de livros. Eu não sou nada assim. Só quero manter livros que me façam sentir algo e que eu queira reler. Se não me acrescentarem nada, têm que ir embora. Qual metáfora para a forma como vivo a minha vida e relações. Eheheh

Não sou da opinião que os livros são bons só por serem livros. Acho até que essa forma de pensar é muito estranha. Quando não consigo vender os meus livros em segunda mão (e já vendi bastantes), também gosto de os doar à Little Free Library da Quinta das Conchas. Aí sim, já doei imensos.

Ebooks: vantagens e desvantagens

Vantagens

1. Possibilidade de ajustar a leitura

Esta é uma das grandes vantagens dos ebooks. Eu detesto quando os livros vêem com letrinhas pequeninas que me fazem doer os olhos e puxam o sono. E eu até vejo bem e não uso óculos! Mas apesar de conseguir ler as letras pequenas, a verdade é que facilmente me perco no texto. Ora, com os leitores de ebooks é possível ajustar a letra como quiserem! Mudam a fonte, o tamanho da letra, o espaçamento, … Vocês é que mandam na formatação do texto.

Ainda agora comprei um ebook, que estou a ler agora, e mudei tudo. A fonte era feia e meia fantasiosa, o que dificultava a leitura. Meti-lhe uma fonte normal, aumentei a letra, um bocadinho o espaçamento também e estou a ler muito mais rápido do que se aceitasse o seu formato original.

Talvez uma consequência desta vantagem seja mesmo não só facilitar, mas aumentar a velocidade de leitura.

2. Leves e portáteis

Já experimentaram ler um livro de 400 páginas no metro em hora de ponta? Para além do engarrafamento humano, tranquilo. O peso do e-reader é sempre o mesmo, quer sejam 50 ou 500 páginas. Para mim, esta é uma grande vantagem e prefiro ler livros densos num destes gadgets.

3. Mais gentis para os olhos

Por podermos ajustar a formatação toda, não cansa tanto os olhos. O meu Kobo Glo, por exemplo, tem também a sua própria luz, pelo que nunca leio às escuras mesmo que não estiver nenhuma luz ligada ou se só tiver uma luz fraquinha. Isto faz uma diferença enorme para os nossos olhos!

4. Mais baratos

Como seria de esperar, não havendo custos de impressão e encadernação, os ebooks são mais baratos que os livros tradicionais. Em alguns casos, não o suficiente, mas noutros casos, esta diferença de preço faz, bem… toda a diferença.

Por exemplo, o livro que estou a ler agora está a custar 18/19€ nas livrarias. Em ebook custou-me 6€ e qualquer coisa.

Desvantagens

1. Menor ligação emocional

Não há discussão possível: entre um livro digital e um livro em papel a ligação emocional é mais facilmente criada com o último. Não crio qualquer ligação com os livros do meu ebook. Depois de os ler, não me importo nada de os apagar.

2. Não é possível reaver o investimento

Pois… ao contrário dos livros tradicionais, em princípio, não se revendem ebooks. Não digo que não seja fazível, mas não é costume nem vi qualquer procura para tal cá em Portugal (se houver alguma plataforma de livros digitais mais baratos, digam-me que eu estou interessada!)

Conclusão

Posto isto, a minha posição relativamente a livros tradicionais vs livros digitais é a seguinte:

Adoro ambos. Claro que vou sempre favorecer os livros em papel e sou um coração mole por eles (embora, lá está, não queira “tralha” que não me acrescenta nada). Porém, também estou a adorar ler o livro que estou a ler actualmente no meu Kobo. É um livro médio em termos de tamanho, mas não cabe nas minhas malas, foi mais barato do que a versão em papel, como ajustei a formatação consigo lê-lo mais rapidamente e em transportes.

Há livros nas minhas estantes que me recuso a vender e que fazem parte da minha biblioteca pessoal e outros que fico contente por vender ou doar, pois darão espaço a livros mais especiais.

Quanto aos ebooks que leio e que são muito especiais para mim e que até gostaria de reler, aí quero sempre comprar e ter a sua versão tradicional, tal como um disco de vinil de algum álbum que adoramos de coração e cuja audição no Spotify não nos satisfaz nem faz jus à sua genialidade.

E vocês? Também lêem nas duas versões? Qual preferem ou lêem mais actualmente?

A ler aqui no blog relativamente a este tema:

Porque é que assino todos os meus livros?
6 memórias inesquecíveis da Feira do Livro
Declaração de amor ao meu Kobo
Quem ama cuida (dos seus livros)

2 Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *